Afinal, as palmadinhas que os pais dão aos filhos “para educar” são ou não prejudiciais para as crianças? Cada vez mais este é um tema debatido entre especialistas e pais – e há cada vez mais argumentos a favor de uma educação sem recorrer à violência.

Bem sabemos que, em momentos de grande tensão, como as birras, pode ser difícil controlar o instinto de mostrar autoridade através, por exemplo, da tal palmada. Porém, este impulso surge da nossa própria raiva e não permite que deixemos a criança viver aquelas emoções que ainda só sabe expressar de forma limitada. 

Deixar os mais novos sentir – tanto o bom como o mau – é essencial. E qual o papel dos pais? Estar presentes, mostrar afeto e compreensão. Afinal, não nos podemos esquecer que são apenas crianças e ainda não desenvolveram ferramentas para lidar com as adversidades. 

Em conversa com a revista CRESCER, o escritor Renato Moriconi, que defende que o diálogo tem um enorme poder, lembra o que fez quando o filho, João, tinha 2 anos, e se dirigiu a ele com raiva: “Tínhamos voltado de viagem e, como ele dormiu durante o trajeto, ficou chateado ao acordar em casa. Por isso, eu segurei-o com firmeza e expliquei: ‘Filho, isso que estás a sentir é saudade´”. Este reconhecimento fez com que o menino o abraçasse e parasse de chorar. 

As crianças, tal como os adultos, ficam frustradas quando algo acontece de forma contrária à que gostariam, mas a forma de o expressarem é diferente – daí ser tão importante uma atitude compreensiva e empática por parte do adulto da relação. 

Assim como ensinamos aos nossos filhos os nomes dos objetos, temos de lhes mostrar como se chamam os sentimentos”, explica a  psicanalista e educadora parental Elisama Santos à mesma revista. E porquê? Para que eles aprendam a lidar com as próprias emoções. “Senão, do que adianta um jovem com um currículo avantajado, se ele não consegue superar o término de um namoro ou de um projeto que não foi para a frente?”, remata. 

Além disso, como a psicanalista ressalva, a comunicação entre pais e filhos é essencial, já que “É uma ilusão acreditar que, para cuidar de uma criança, devemos estar bem 100% do tempo. Dias maus acontecem, e os pequenos precisam de aprender isso”.

No fundo, importa que esta seja uma relação de respeito, que os pais saibam pedir desculpa quando erram e que também não se cobrem demasiado. Vale lembrar: o desenvolvimento emocional e intelectual andam de mãos dadas e, quando sob stress, é muito mais difícil aprendermos algo, pelo que educar de forma calma e respeitosa deve ser um caminho a considerar para uma aprendizagem saudável e uma relação ainda mais forte entre pais e filhos. 

Palavras-chave

Mais no portal

Mais Notícias

Cadeira R.U.M.: filha do mar

Cadeira R.U.M.: filha do mar

Indigène, um espumante para tantas ocasiões

Indigène, um espumante para tantas ocasiões

Disponibilizados 5 ME para ações de emergência na serra da Estrela até final do ano

Disponibilizados 5 ME para ações de emergência na serra da Estrela até final do ano

Artes e Ofícios: esta semana todos os caminhos vão dar a Oeiras

Artes e Ofícios: esta semana todos os caminhos vão dar a Oeiras

Volvo EX90, o SUV 100% elétrico vai ter LiDAR

Volvo EX90, o SUV 100% elétrico vai ter LiDAR

Lenovo Yoga Slim 7i Pro X em análise: Trabalhar, editar, jogar

Lenovo Yoga Slim 7i Pro X em análise: Trabalhar, editar, jogar

Descobrir Portugal no outono: As melhores escapadas, para todos os estilos e gostos

Descobrir Portugal no outono: As melhores escapadas, para todos os estilos e gostos

Cinco erros a evitar na instalação de um carregador para veículos elétricos

Cinco erros a evitar na instalação de um carregador para veículos elétricos

Governo da Madeira não vai limitar iluminação decorativa no Natal

Governo da Madeira não vai limitar iluminação decorativa no Natal

Doente em cuidados paliativos entra em remissão total depois de tratamento com uma versão geneticamente modificada do vírus do herpes. Resultados tão bons são

Doente em cuidados paliativos entra em remissão total depois de tratamento com uma versão geneticamente modificada do vírus do herpes. Resultados tão bons são "raros"

EXAME 462 - Outubro de 2022

EXAME 462 - Outubro de 2022

A Ómicron veio para ficar? Especialistas acreditam que sim e explicam porque ainda não apareceu uma variante mais transmissível

A Ómicron veio para ficar? Especialistas acreditam que sim e explicam porque ainda não apareceu uma variante mais transmissível

Beatrice Borromeo e Alexandra de Hannover juntas no desfile da Dior em Paris

Beatrice Borromeo e Alexandra de Hannover juntas no desfile da Dior em Paris

Marido de Sónia Jesus conheceu o filho

Marido de Sónia Jesus conheceu o filho

Primeiras palavras da mãe de Iñigo Onieva sobre o fim do noivado do filho

Primeiras palavras da mãe de Iñigo Onieva sobre o fim do noivado do filho

Vanessa Martins arrasa em Paris

Vanessa Martins arrasa em Paris

Confiança dos consumidores e clima económico diminuem em setembro

Confiança dos consumidores e clima económico diminuem em setembro

VOLT Live: o novo manual para utilizadores de veículos elétricos

VOLT Live: o novo manual para utilizadores de veículos elétricos

Peças 'oversize' e transparências: Prada apresenta coleção primavera verão 2023 em Milão

Peças 'oversize' e transparências: Prada apresenta coleção primavera verão 2023 em Milão

VOLT Live: o novo manual para utilizadores de veículos elétricos

VOLT Live: o novo manual para utilizadores de veículos elétricos

SHL alia o melhor da inovação e do talento à solução PHC

SHL alia o melhor da inovação e do talento à solução PHC

Já vou levar a vacina atualizada contra a Ómicron? E em que aspeto é diferente das anteriores?

Já vou levar a vacina atualizada contra a Ómicron? E em que aspeto é diferente das anteriores?

A primeira Constituição Portuguesa faz 200 anos

A primeira Constituição Portuguesa faz 200 anos

Reconciliações na família real britânica? Rei Carlos III tem esperança

Reconciliações na família real britânica? Rei Carlos III tem esperança

Quer ter sucesso a decorar a sua casa?

Quer ter sucesso a decorar a sua casa?

Outono à vista: a cor da estação

Outono à vista: a cor da estação

A incrível transformação de Ana de Armas em Marilyn Monroe

A incrível transformação de Ana de Armas em Marilyn Monroe

A Casa de Bernarda Alba: A poética da austeridade no Teatro da Comuna

A Casa de Bernarda Alba: A poética da austeridade no Teatro da Comuna

Descolonizar o bicentenário da Independência do Brasil

Descolonizar o bicentenário da Independência do Brasil

Porque é que as árvores perdem as folhas?

Porque é que as árvores perdem as folhas?

Pó

As figuras da PRIMA 17

As figuras da PRIMA 17

Como é feito o guarda-roupa de um concorrente de “Big Brother”? A especialista conta

Como é feito o guarda-roupa de um concorrente de “Big Brother”? A especialista conta

NFTs em queda acelerada

NFTs em queda acelerada

As medidas (imposições e recomendações) do Governo para poupar energia

As medidas (imposições e recomendações) do Governo para poupar energia

A PRIMA gosta dos pratos da Casa Davolta, dos novos modelos Hunter e do regresso do Chefs on Fire

A PRIMA gosta dos pratos da Casa Davolta, dos novos modelos Hunter e do regresso do Chefs on Fire

Investigadores da FMUP estudam diferenças entre sexos na insuficiência cardíaca

Investigadores da FMUP estudam diferenças entre sexos na insuficiência cardíaca

Bem-vindo, outono!

Bem-vindo, outono!

"Maria Antónia Leite Siza: 50 anos depois", em Serralves: A celebração de uma vida breve

The Vine House, em Tabuaço: Entre o céu e os socalcos do Douro

The Vine House, em Tabuaço: Entre o céu e os socalcos do Douro

Princesa Leonor e infanta Sofía: as inesperadas protagonistas do último ato oficial da rainha Letizia

Princesa Leonor e infanta Sofía: as inesperadas protagonistas do último ato oficial da rainha Letizia

JL 1355

JL 1355