Marta Moncacha

Filha única de pais divorciados, ela própria se divorciou quando tinha três filhos pequenos. Decidiu depois que a experiência podia ser útil a outras mulheres. Assistente social há mais de vinte anos, formadora na área da comunicação, especializada em mediação familiar e parentalidade, Marta Moncacha trabalha atualmente como divorce coach, apoiando mulheres em processo de divórcio. Falámos com ela para perceber como é que um processo de sofimento e muitas vezes abandono pode ser transformado numa experiência positiva.

Quando é que percebeu que podia partir do seu próprio divórcio para ajudar outras pessoas?

Casei-me aos 26 anos e divorciei-me aos 37. Quando decidi escrever este livro, numa primeira fase só tinha a minha história para contar, mas pensei que era muito pouco. Foi quando comecei a estudar mais que decidi partir da minha história para ajudar outras pessoas. Portanto, esta história não é só minha.

Mas em Portugal ainda vemos um divórcio como um fracasso, não é?

Sim, é como se aqueles anos não tivessem valido a pena, como se fosse tudo para o lixo. Mas isso não tem de ser assim. Até porque só conseguimos olhar para uma experiência de forma positiva se percebermos o que é que aquilo nos trouxe de aprendizagem. Pode trazer muito. E esse também foi o exercício que tive de fazer. No meu caso, fui eu que tomei a decisão de me separar, por isso mais senti que era culpada, que ia traumatizar os miúdos para a vida toda, etc. Eu não era a vítima, a abandonada, estava do lado da ‘vilã’ (risos). E depois, percebi que tinha o direito de ser feliz.

Como é que o divórcio dos seus pais a marcou?

Aprendi muito com eles. Quando se separaram eu já tinha 20 anos, mas foi muito marcante. E acho que o casamento deles, que não foi de todo feliz, acabou por ser mais difícil do que o divórcio. É verdade que o divórcio dos pais pode ser um alívio para os filhos, que assistem de camarote a todas as discussões. Portanto, entre um mau casamento e um bom divórcio, eu prefiro claramente um bom divórcio.

Mas um divórcio não pode significar o fim de uma família?

Uma família não significa necessariamente mãe e pai juntos. Essa família continua, mas passa de relação romântica a relação parental. Tem de ser reinventada, e nós estamos todos muito pouco preparados para reinventar, para voltar a comunicar de maneira diferente, para dar uma série de passos que não são fáceis. Depois, as mães nem sempre estão dispostas a abrir mão do protagonismo na vida dos filhos. Passamos a vida a queixar-nos, mas quando chega a hora de delegar, é duro. Temos muito medo de perder o amor dos filhos. Eu só atendo mulheres, e grande parte delas dizem: ‘E agora que eu tenho tantas horas sem os meus filhos, quem é que eu sou?’ Porque as mulheres ainda se focam muito no casamento, nos filhos e na casa, e depois quando há mais tempo para pensarem nelas, para cuidarem delas, para perceberem o que querem fazer da vida, percebem que se perderam pelo caminho. Claro que ao princípio é sempre um luto, e há um caminho de pedra a fazer. Mas depois, com o tempo livre que ganham, invistam em vocês!

Foi assim consigo?

Sim. Posso dizer que ganhei uma vida nova com o divórcio. E ganhei uma nova relação com os meus filhos: muitas vezes, as crianças desenvolvem depois do divórcio uma relação com o pai ou mãe que não tinham quando eles estavam casados. Isso é um aspeto muito positivo que pode resultar de um divórcio e a que raramente damos valor.

Mas é preciso coragem para sair de um casamento, não é?

Sim, ainda é preciso coragem para sair de um casamento. Porque é duro, interna e externamente. E ainda há muito preconceito. Quando me separei, ouvi muita coisa. Coisas terríveis. Culpabilizaram-me muito. As mulheres são sempre muito culpabilizadas, por tudo. E, portanto, há pessoas que não tomam esta decisão para não passarem por isso. Também há famílias muito vulneráveis economicamente, cada vez mais vemos isso, e isso é trágico. Mas nas famílias com mais bem-estar económico, muitas vezes também não se dá este passo para não se perder estatuto. Hoje em dia, estar casada ainda dá ‘posição’ a uma mulher, principalmente em certos meios. Isso não devia ser assim, mas ainda acontece.

Depois de se divorciar, tornou-se ‘coach’, reencontrou o amor, teve mais um filho. Portanto, divorciar-se foi mesmo uma boa opção?

Claro que foi. Ter tomado esta decisão contribuiu muito para a minha autoestima. Ter encontrado o Rui veio ajudar, mas tive de fazer todo um caminho prévio por mim própria, uma busca de aceitação, de trbalho interior, de conhecimento, de paz. Se acho que é também possível ser-se feliz sozinha? Claro que acho. E às vezes sozinha consegues estar profundamente acompanhada, se estiveres a viver a tua verdade.

Para ler: ‘Divórcio Positivo’, Marta Moncacha, Manuscrito, €14,90

Palavras-chave

Relacionados

Mais no portal

Mais Notícias

“O Trio em Mi Bemol”: Mozart, Siza e Rohmer num filme sobre os pequenos prazeres da vida

“O Trio em Mi Bemol”: Mozart, Siza e Rohmer num filme sobre os pequenos prazeres da vida

Wrapped do Spotify: conheça os artistas, músicas, álbuns e podcasts mais ouvidos em 2022

Wrapped do Spotify: conheça os artistas, músicas, álbuns e podcasts mais ouvidos em 2022

Conheça a história por detrás do beijo de Harry e Meghan, com o qual 'anunciam' a sua nova série

Conheça a história por detrás do beijo de Harry e Meghan, com o qual 'anunciam' a sua nova série

Abra as portas ao Natal e vista a casa a rigor

Abra as portas ao Natal e vista a casa a rigor

Pastelaria Versailles: 100 anos de histórias, sabores e algumas novidades

Pastelaria Versailles: 100 anos de histórias, sabores e algumas novidades

Fátima Lopes inaugura nova loja na Avenida da Liberdade, em Lisboa

Fátima Lopes inaugura nova loja na Avenida da Liberdade, em Lisboa

PCP diz que PS quis eleições para começar política de constrangimentos para o povo

PCP diz que PS quis eleições para começar política de constrangimentos para o povo

JL 1359

JL 1359

Legislação de proteção dos solos está

Legislação de proteção dos solos está "na gaveta" há sete anos

Desencontro de irmãos

Desencontro de irmãos

Dolores Aveiro já está no Qatar e é surpreendida com algo inédito!

Dolores Aveiro já está no Qatar e é surpreendida com algo inédito!

Portugal faz bem: matéria natural

Portugal faz bem: matéria natural

Mercado imobiliário: o que se espera para 2023

Mercado imobiliário: o que se espera para 2023

Hospital de Almada pediu desvio de doentes não críticos para outros hospitais

Hospital de Almada pediu desvio de doentes não críticos para outros hospitais

João Galamba assegura que agricultura conta com 90 ME em apoios desde 2021

João Galamba assegura que agricultura conta com 90 ME em apoios desde 2021

Lancia ‘renasce’ como marca 100% elétrica

Lancia ‘renasce’ como marca 100% elétrica

Cientistas de Coimbra criam ferramentas inteligentes para prevenir erros informáticos

Cientistas de Coimbra criam ferramentas inteligentes para prevenir erros informáticos

O centenário de Saramago

O centenário de Saramago

Natal: Presentes essenciais

Natal: Presentes essenciais

Mortandade de bivalves na ria Formosa ameaça sustentabilidade da amêijoa

Mortandade de bivalves na ria Formosa ameaça sustentabilidade da amêijoa

E ainda... Saramago

E ainda... Saramago

Universidade de Évora e Cruz Vermelha testa com sucesso baterias de segunda vida em cenário de catástrofe

Universidade de Évora e Cruz Vermelha testa com sucesso baterias de segunda vida em cenário de catástrofe

Mais ricos de Portugal estão ainda mais ricos

Mais ricos de Portugal estão ainda mais ricos

Este decote ousado é a aposta das famosas. Saiba quanto custa!

Este decote ousado é a aposta das famosas. Saiba quanto custa!

VISÃO Júnior, uma prenda de Natal original

VISÃO Júnior, uma prenda de Natal original

Em “Sangue Oculto”: Olavo pede o divórcio a Vanda

Em “Sangue Oculto”: Olavo pede o divórcio a Vanda

Passatempos: vê o que podes ganhar este mês!

Passatempos: vê o que podes ganhar este mês!

Eduardo Carpinteiro Albino e José Carlos Figueiredo vencem Campeonato de Portugal de Novas Energias

Eduardo Carpinteiro Albino e José Carlos Figueiredo vencem Campeonato de Portugal de Novas Energias

Loja da Costa Nova no Porto

Loja da Costa Nova no Porto

Dão Nobre e outros senhores: Vinhos da nossa alegria

Dão Nobre e outros senhores: Vinhos da nossa alegria

Como cresceu Archie, o filho mais velho do príncipe Harry e de Meghan Markle

Como cresceu Archie, o filho mais velho do príncipe Harry e de Meghan Markle

6 podcasts de true crime para detetives de bancada

6 podcasts de true crime para detetives de bancada

Atitude, arrojo e inovação: Recorde os

Atitude, arrojo e inovação: Recorde os "looks" de Letizia na entrega dos prémios Francisco Cerecedo

A megafraude em carrossel por detrás da vida de luxo exibida nas redes sociais

A megafraude em carrossel por detrás da vida de luxo exibida nas redes sociais

Urgência Geral do Hospital de Setúbal com constrangimentos até às 20:00 de hoje

Urgência Geral do Hospital de Setúbal com constrangimentos até às 20:00 de hoje

Livros: Os melhores de 2022

Livros: Os melhores de 2022

Exame Informática TV 791: auriculares sem fios, o impressionante Odyssey Ark e smartphones recondicionados

Exame Informática TV 791: auriculares sem fios, o impressionante Odyssey Ark e smartphones recondicionados

EXAME 464 - Dezembro de 2022

EXAME 464 - Dezembro de 2022

Ofereça beleza este Natal

Ofereça beleza este Natal

Porque é que numa maratona se correm exatamente 42,195 quilómetros?

Porque é que numa maratona se correm exatamente 42,195 quilómetros?

Decskill chega aos 500 consultores

Decskill chega aos 500 consultores

Pastelaria Versailles: 100 anos de histórias, sabores e algumas novidades

Pastelaria Versailles: 100 anos de histórias, sabores e algumas novidades