Getty

Normalmente, somos nós a lançar desafios aos entrevistados, mas desta vez fomos nós a ser postas à prova. Durante um mês mudámos hábitos profundamente enraizados no nosso dia a dia ou ainda decidimos criar outros, mais saudáveis. Pelo menos, tentámos…

Mais ainda que na passagem de ano, os meses depois das férias de verão, trazem uma nova onda de boas intenções. Entre mergulhos e bolas-de-berlim, prometemos deixar o açúcar, fazer exercício o ano inteiro, ler mais e ver menos televisão à noite… Este ano, a redação da ACTIVA decidiu não ficar pelas boas intenções e passar à ação.

E nem sempre somos o exemplo de boas práticas democráticas. Que o diga Patrícia, empurrada para o ginásio à força, depois de uma vida sedentária que nunca a incomodou particularmente. Já Catarina não precisou de ajuda para dificultar a sua própria vida. Ainda lhe sugerimos que passasse a beber mais água, mas ela preferiu levar água ao seu moinho: comprou o passe Navegante e começou a vir de Lisboa para Paço de Arcos de transportes, desafio que veio a dar-lhe água pela barba. Foram 30 dias (ou mais) por vezes difíceis, com muita contestação (e gargalhadas) à mistura, agora aqui relatados numa espécie de desabafo público.

Aqui fica o testemunho da nossa editora coordenadora, Cíntia Sakellarides. O próximo episódio sai daqui a uma semana.

“Começo por dizer que sou pessoa para comer exatamente a mesma coisa todas as manhãs e durante 40 anos não vivi sem o meu pãozinho matinal. Mas sempre fui exigente: o pão tinha de ser de mistura ou escuro, tinha de estar bem cozido, estaladiço e não podia ter miolo a mais. Era capaz de percorrer quilómetros para ir comer a chapata que só encontro num café bem escondido nas Galerias do Alto da Barra, em Oeiras, e de fazer os detours necessários para encontrar o pão de Rio Maior perfeito. Durante anos fui alvo de chacota por parte dos colegas quando, no bar da empresa, pedia ao Sr. Lopes ‘uma bola de mistura, bem cozida e estaladiça e com uma só fatia de queijo’ ou ‘uma torrada em pão caseiro, com pouca manteiga, só de um lado e homogeneamente espalhada’. Nem sequer vou entrar pelo departamento do pão naan pois estou neste momento à secretária, limitada a um pokê bowl com quinoa.

Sempre fui magra, a não ser quando dei alegremente abrigo a 20kg extra em cada uma das duas gravidezes. A minha barriga de grávida parecia ela própria uma bola e posso dizer que ficou muito pouco estaladiça após o parto. Por causa dela quis terminar temporariamente a minha relação de longa data com o pão, para voltar a vislumbrar o músculo abdominal e recuperar o tal ‘six-pack’ de sonho. Achei que era o fermento que fazia levedar o volume da minha barriga – claro que não ia desconfiar da imperial dos petiscos ao fim de semana… Comecei o meu desafio mais cedo do que as minhas colegas, logo ali junho, antes mesmo das férias – sou daquelas pessoas que quando mete uma coisa na cabeça é para fazer logo e despachar. Avisei o impiedoso ‘júri’ da Redação que poderia ‘pecar’ no Santo António, altura em que a fatia de pão a fazer de caminha à sardinha salgada e gordurenta e no fim comida com a salada de pimentos bem temperada faz de mim uma mulher muitissimo feliz.

Os primeiros dias foram confusos: para mim, não comer pão era sinónimo de fazer dieta e sem pensar comecei a ficar obcecada e a cortar noutros hidratos de carbono. Quando fazia um pedido num restaurante, ficava horas a perceber se tinha ou não luz verde para avançar.

Passei fome, até meter na minha cabeça que o pão era o único vilão neste filme de terror e acho que até perdi peso. Depois, foi o debate na Redação do que era, afinal, considerado pão. Cheguei a telefonar às minhas colegas fora de horas a perguntar se podia comer quiche. Depressa me vedaram o acesso às tostas (e à pizza) e alimentar-me ao longo do dia começou a ser um verdadeiro desafio.

Quando tinha fome, a única coisa que me saciava era uma sandes e sem ela dei por mim a comer ainda com mais frequência. O pequeno almoço foi o mais difícil, alternava entre papas de aveia e os ‘overnight oats’ da moda, que consiste numa mixórdia que passa a noite no frigorífico, num convívio supostamente saudável entre a aveia e outros superalimentos, como a chia, considerados os atuais ‘influencers’ da nutrição. E tomar o pequeno almoço fora tornou-se impossível, a não ser uma vez que investi num boião mal servido de iogurte com meia dúzia de sementes que me custou mais de 4 euros. Durante as horas de trabalho, pois que o mastigar passou a fazer concorrência com o teclar: iogurte com granola, frutos secos, queijo e muitas bolachas de milho e arroz. Deu mesmo para enjoar.

Passados os 30 dias, não comecei logo a comer pão, mas chegadas as férias o molho à bulhão pato falou mais alto e lá cedi ao sedutor alentejano. Quanto aos resultados do desafio, não são fáceis de avaliar. Primeiro, porque comecei a ir ao ginásio com bastante mais frequência. Depois, porque, em plena época balnear, decidi também testar alguns cremes com promessas tentadoras. E, além do mais, descobri que há alimentos bem piores para a minha barriga do que o pão (os brócolos por exemplo). É verdade que me senti bem, mais ‘leve’, e foi muito bom para diversificar a minha alimentação – também passei a comer mais fruta. Mas hoje não me privo de uma chapata bem cozida e estaladiça.

E o Santo António, como ficou? Pois devo dizer que resisti e a sardinha este ano não teve direito a colchão, apenas a um lençol de alface e pimentos. No caso dela, valeu-lhe a barriga gorda a amortecer. Sim, porque na ACTIVA as sardinhas também são bem reais.”

Palavras-chave

Relacionados

Mais no portal

Mais Notícias

Percursos pedestres da Madeira encerrados devido a estado do tempo

Percursos pedestres da Madeira encerrados devido a estado do tempo

Pastelaria Versailles: 100 anos de histórias, sabores e algumas novidades

Pastelaria Versailles: 100 anos de histórias, sabores e algumas novidades

JL 1360

JL 1360

Eco-Rally de Lisboa: os elétricos passaram pela capital

Eco-Rally de Lisboa: os elétricos passaram pela capital

Esta Iguana move-se no universo das novelas gráficas

Esta Iguana move-se no universo das novelas gráficas

Mercado imobiliário: o que se espera para 2023

Mercado imobiliário: o que se espera para 2023

Ligações felizes em Barcelona

Ligações felizes em Barcelona

Atitude, arrojo e inovação: Recorde os

Atitude, arrojo e inovação: Recorde os "looks" de Letizia na entrega dos prémios Francisco Cerecedo

Wall&gami: fazer da arte do origami uma peça de decoração

Wall&gami: fazer da arte do origami uma peça de decoração

Agenda pais e filhos para dezembro

Agenda pais e filhos para dezembro

Portugal faz bem: matéria natural

Portugal faz bem: matéria natural

As principais dúvidas sobre os dentes das crianças respondidas aqui

As principais dúvidas sobre os dentes das crianças respondidas aqui

Livros: Os melhores de 2022

Livros: Os melhores de 2022

ONG dá

ONG dá "voto de desconfiança" a comissão de acompanhamento em obstétrica

EXAME 464 - Dezembro de 2022

EXAME 464 - Dezembro de 2022

Lancia ‘renasce’ como marca 100% elétrica

Lancia ‘renasce’ como marca 100% elétrica

PR dá posse a seis secretários de Estado incluindo novo adjunto do PM

PR dá posse a seis secretários de Estado incluindo novo adjunto do PM

Exame Informática TV 791: auriculares sem fios, o impressionante Odyssey Ark e smartphones recondicionados

Exame Informática TV 791: auriculares sem fios, o impressionante Odyssey Ark e smartphones recondicionados

VOLT Live: Reparação de baterias em carros elétricos

VOLT Live: Reparação de baterias em carros elétricos

Adepta da Croácia é a “bomba” sexy do Mundial

Adepta da Croácia é a “bomba” sexy do Mundial

O centenário de Saramago

O centenário de Saramago

Wrapped do Spotify: conheça os artistas, músicas, álbuns e podcasts mais ouvidos em 2022

Wrapped do Spotify: conheça os artistas, músicas, álbuns e podcasts mais ouvidos em 2022

William furioso com Harry

William furioso com Harry

Ofereça beleza este Natal

Ofereça beleza este Natal

Urgência Geral do Hospital de Setúbal com constrangimentos até às 20:00 de hoje

Urgência Geral do Hospital de Setúbal com constrangimentos até às 20:00 de hoje

Diana de Cadaval: “Sempre vivi bem as minhas emoções”

Diana de Cadaval: “Sempre vivi bem as minhas emoções”

Gary Lineker e Piers Morgan pegados por causa de Messi e Ronaldo

Gary Lineker e Piers Morgan pegados por causa de Messi e Ronaldo

O que as unhas revelam sobre a nossa saúde

O que as unhas revelam sobre a nossa saúde

Girl Talk: este País não é para nós

Girl Talk: este País não é para nós

Loja da Costa Nova no Porto

Loja da Costa Nova no Porto

O centenário de José-Augusto França

O centenário de José-Augusto França

5 momentos a não perder neste Natal em Lisboa

5 momentos a não perder neste Natal em Lisboa

Universidade de Évora e Cruz Vermelha testa com sucesso baterias de segunda vida em cenário de catástrofe

Universidade de Évora e Cruz Vermelha testa com sucesso baterias de segunda vida em cenário de catástrofe

Máxima da Holanda surpreende com visual em tons de cinzento e preto em entrega de prémio em Amesterdão

Máxima da Holanda surpreende com visual em tons de cinzento e preto em entrega de prémio em Amesterdão

Isabel Preysler conta como está a filha, Tamara Falcó, após a separação e fala da sua relação com Mario Vargas Llosa

Isabel Preysler conta como está a filha, Tamara Falcó, após a separação e fala da sua relação com Mario Vargas Llosa

Harry e Meghan de mãos dadas contra tudo e contra todos

Harry e Meghan de mãos dadas contra tudo e contra todos

Vencedores do passatempo 'O Gato das Botas: O Último Desejo'

Vencedores do passatempo 'O Gato das Botas: O Último Desejo'

Abra as portas ao Natal e vista a casa a rigor

Abra as portas ao Natal e vista a casa a rigor

Em “Sangue Oculto”: Olavo pede o divórcio a Vanda

Em “Sangue Oculto”: Olavo pede o divórcio a Vanda

Dão Nobre e outros senhores: Vinhos da nossa alegria

Dão Nobre e outros senhores: Vinhos da nossa alegria

João Galamba assegura que agricultura conta com 90 ME em apoios desde 2021

João Galamba assegura que agricultura conta com 90 ME em apoios desde 2021

Decskill chega aos 500 consultores

Decskill chega aos 500 consultores