Se há coisa que a quarentena me ensinou é que nós não controlamos nada. Então, por que raio é que eu sinto a necessidade de fazê-lo constantemente com as minhas emoções? Esta foi a dúvida que me levou a considerar fazer uma terapia alternativa.

Vou fazer Reiki esta semana”, disse eu, entusiasmada, à minha melhor amiga. “Se há pessoa que não imagino numa marquesa de Reiki, és tu”, respondeu ela, fazendo referência ao meu nível de ceticismo. Mas a vida dá voltas e, de há uns tempos para cá, tenho sentido a necessidade de ‘afinar’ o que existe entre a minha cabeça e o coração — eles parecem estar sempre em desacordo — e, acima de tudo, de trabalhar a famosa inteligência emocional.

Dois dias depois, tive a minha primeira sessão. Ao chegar ao centro, fui recebida por Carla Collinson, a proprietária, com um grande sorriso. Como manda a ‘nova tradição’, os beijinhos e abraços deram lugar à oferta de álcool gel e de proteções para sapatos em plástico descartável. Depois, a profissional certificada em Reiki I e Reiki II apresentou-me o espaço e fez um resumo daquilo em que consistiriam as duas horas seguintes.

“O teu muro caiu”

A premissa do Reiki é bastante simples: seguindo a técnica centenária japonesa, o terapeuta estende as mãos em posições específicas sobre pontos-chave do corpo do paciente ligados aos chacras principais e canaliza energia vital universal, de modo a restaurar o equilíbrio físico, regular as funções vitais e equilibrar o campo mental e emocional.

“Não vou tocar-te. É muito raro eu ter de tocar em alguém”, explicou-me a especialista. Basicamente, deitei-me numa marquesa, completamente vestida, e segui as instruções para respirar profundamente e descontrair ao som da música relaxante que tocava, tentando abstrair-me ao máximo da vida ‘lá fora’. Uma coisa importante que retive é que não existe uma forma padrão ou correta de experienciar a terapia.

“O Reiki funciona, mesmo à distância. Portanto, se não conseguires abstrair-te ou se tiveres pensamentos, agradece e foca-te na música… ou num lugar que te traga paz”. Este conselho tornou tudo muito mais fácil, porque não senti a pressão de ter atingir o nirvana naquele curto espaço de tempo.

Passados uns bons minutos, consegui relaxar completamente. É curioso porque, para minha surpresa, tive sensações localizadas de calor – repito: sem qualquer toque – e, a determinada altura, vieram-me lágrimas aos olhos. Mal terminámos, perguntei à Carla do que se tratava.

“O calor é a energia a atuar”, afirmou. “E choraste porque o teu muro caiu. Se sentires a necessidade de chorar, chora. Eu vou dar-te uns minutos e já volto. Não temos restrições de tempo”. 

Emoções à flor da pele

Para alguém que detesta chorar em público, especialmente na presença de desconhecidos, dei o espetáculo de uma vida. Primeiro, chorei sozinha, enquanto estive sentada na marquesa a recompor-me. Não satisfeita com isso, quando a Carla voltou com chás para acompanharem a conversa que se segue ao tratamento, ainda tive umas quantas ‘recaídas’. Em circunstâncias normais, no meu pensamento ‘à ocidental’, teria ficado constrangida. Porém, aqui mandam as regras do Oriente e, na verdade, foi uma experiência libertadora.

De seguida, falámos sobre as conclusões a que a terapeuta profissional chegou durante a sessão, com base no estado atual dos meus chacras, ou seja, de cada um dos centros de energia distribuídos pelo corpo. Resumindo: a maioria deles estava bloqueada, exatamente devido à tal luta interna entre a razão e o coração. Foi estranho ter alguém que tinha acabado de me conhecer a ‘ler-me’ de uma forma tão detalhada, mas tudo fez sentido. 

É difícil descrever este tipo de experiência. Tudo o que sei é que saí do centro a compreender-me melhor e com uma grande sensação de calma e leveza, como há muito não sentia. E isso, por si só, já é uma vitória. Este foi o meu primeiro contacto com o Reiki, mas certamente não será o último.

Palavras-chave

Relacionados

Mulheres Inspiradoras

10 inventoras negras que tornaram as nossas vidas bem mais fáceis

Sem o espírito de inovação e de empreendedorismo de cada uma destas mulheres, estas 10 invenções poderiam nunca ter existido.

Mulheres Inspiradoras

Sarah Nicole Landry: uma escritora que se libertou da prisão da imagem

Na página de Instagram desta influencer, não há estrias, peles flácidas ou 'furinhos' de celulite que fiquem por mostrar. Tudo em nome do amor-próprio.

Faits Divers

É isto que 11 jovens têm a dizer a quem critica as manifestações #BlackLivesMatter portuguesas

Estes jovens colocaram uma causa nobre acima dos próprios medos, saíram às ruas e juntaram-se às manifestações antirracistas em Portugal.

Mais no portal

Moda

Inspire-se no que há de novo nestas marcas de moda populares

A nova estação traz muitas novidades e estas marcas dão o mote para o que vamos querer usar nos dias quentes.

Exclusivo
Beleza

Bárbara Corby: "Considero que a beleza vem de dentro"

A influencer é o novo rosto da Vichy em Portugal, depois de ter sido embaixadora digita da marca durante algum tempo. Em conversa com a ACTIVA falou sobre o novo papel e a a relação que tem com o mundo da beleza.

Imagem de Sucesso

Como usar o cinto para modernizar looks e valorizar a silhueta

Quer seja fino, grosso, de metal ou de couro, o cinto pode ser um grande aliado para no que toca ao styling.

Mulheres Inspiradoras

Joana Pessoa: um novo fado

É fadista desde os 15 anos, mas isso está longe de resumir a sua vida. Estivemos à conversa sobre escolhas, caminhos, filhos, divórcio, destino, amor, velhice, para voltarmos ao fado e fecharmos o círculo. Levei-lhe quase quatro horas de vida. É o que dá conversar com uma das mulheres mais interessantes que já entrevistei.

Celebridades

O momento exato em que o palácio anunciou a morte do duque de Edimburgo

Algumas pessoas já foram deixar flores nos portões de Buckingham para homenagear Philip, que morreu nesta quinta-feira, 9 de abril. Veja as primeiras imagens.

Comportamento

Existem quatro tipos de vinculação num relacionamento - saiba qual é o seu

Este tipo de apego é construído na infância e pode acabar por ter repercussões na vida adulta.

Lifestyle

O guia de cinco passos para começar a praticar o "self-care"

Este tipo de cuidados consigo mesma é capaz de gerar mais qualidade de vida e bem-estar.

Celebridades

Os motivos para a polícia ter ido nove vezes à mansão de Meghan e Harry na Califórnia

O afastamento da família real trouxe vários problemas de segurança para a vida dos duques de Sussex nos Estados Unidos.

Moda

Estas novidades de moda prometem fazer furor nos meses quentes

São mais de 20 artigos que aliam elegância, estilo e cor. A combinação ideal para receber a primavera.

Moda

Conheça esta coleção de roupa sustentável para a primavera/verão

Com direção criativa de Sara Carbonero.

Beleza

Beleza: as novidades que estão na ordem do dia

Os produtos que temos de experimentar