@elitedaily

Voltámos a casa. Voltámos às experiências culinárias, às séries sem parar, às conversas por videochamada e às rotinas de exercício físico. Ou não. Este período de confinamento está a ser mais duro do que o outro – talvez por já termos tido um cheirinho de liberdade – e começam a faltar-me as ideias.

Dei por mim a pensar que, lá para finais de março ou inícios de abril de 2020, a motivação era outra. Experimentei várias receitas diferentes, mantive-me fiel ao compromisso de continuar ativa e, no geral, consegui distrair-me mais. Agora, parece que já não me sei distrair tão bem.

Mas se os hobbies me vão falhando, ao mesmo tempo há algo que parece ter um efeito de relaxamento imediato: comprar roupa (que superficial!). Não falo de um vício obsessivo ou de uma prática insustentável. Falo de comprarmos, consoante as nossas possibilidades, peças que saibamos que nos façam sentir bem.

E a verdade é que, se comprei recentemente alguns conjuntos confortáveis para vestir por casa, também escolhi várias peças que sei que não vou usar nos próximos meses. Falo de vestidos, de camisolas exterior-friendly (nem sei se este termo existe), botas ou mesmo calças de ganga.

Foram compras conscientes. Mas porquê? Bom, cada um lida com o stress gerado pelo confinamento de formas bastante diferentes. Eu percebi que ter roupa por estrear me dá alguma segurança – afinal, há-de chegar o dia em que as poderei usar – e um certo entusiasmo – típico de quem quer usar algo novo.

É claro que este é um hábito que pode não funcionar com todos. Mas como em qualquer coisa que façamos, é impossível chegar a todo mundo de igual forma. Se é algo superficial? Talvez. Mas tempos incertos exigem técnicas inusitadas. E esta não nos impede de ler, de ver filmes ou mesmo de investir na nossa formação também.

Por isso, se puderem, comprem aquela peça, mesmo sabendo que só a vão usar daqui a um tempinho. Planeiem como a vão usar e em que circunstâncias. Talvez o tempo custe menos a passar. E, se isto não funcionar, não deixem de procurar algo que vos faça bem.

Consumam cultura, consumam notícias, consumam gastronomia, consumam o que quer que seja que torne a situação que vivemos mais aceitável. Porque cuidar na nossa saúde mental deve ser sempre uma prioridade. Afinal, estamos todos no mesmo barco – e este nem sempre é o mais equilibrado.

Palavras-chave

Mais no portal

Comportamento

4 formas de salvar o planeta entre quatro paredes

A sustentabilidade chegou ao sexo.

Moda

Parfois: 5 colares perfeitos para o verão

Cor não lhes falta!

Comportamento

Os 10 países mais ecológicos do mundo ficam na Europa - mas Portugal não é um deles

Veja em que posição estamos e o que podemos aprender com as nações que dão o exemplo.

Moda

Conheça cinco marcas de moda que estão a mobilizar-se pelo planeta

O resultado são estas coleções, que aliam estilo a consciência ambiental.

Beleza

As novidades de beleza para um estilo de vida mais sustentável e consciente

Para celebrar o Dia da Terra, assinalado anualmente a 22 de abril.

Lifestyle

O segredo de Vanessa Martins para poupar até 5 litros de água por dia em casa

Um pequeno gesto com grandes repercussões.

Mulheres Inspiradoras

Quatro ambientalistas portuguesas que tem mesmo de conhecer

Aqui ficam alguns exemplos de mulheres que renovam diariamente o compromisso de conservação e preservação ambiental.

Saúde

Grávida? Entenda a importância da gestão da ansiedade e do exercício físico

Uma fase de várias mudanças que exige um grande sentido de adaptação.

Moda

Roupa interior e de banho criada a pensar em mulheres que passaram por uma mastectomia

A Mango estreia-se neste tipo de underwear e swimwear específicos, sendo que todos as lucros da venda desta coleção serão doados à associação teta & teta.

#VozActiva

Madalena Brandão: "Ser mãe é uma aprendizagem constante"

No #VozActiva deste mês, a nossa protagonista de capa fala sobre a jornada que é a maternidade. Uma conversa a não perder!

Nas Bancas

A sua Activa ao alcance de um click

Abril águas mil e aquela preguiça de correr debaixo de chuva até ao quiosque para comprar a Activa mais recente? Não stresse. Basta assinar a ACTIVA digital e tem acesso a tudo, sem se molhar.