@amebeverly

Vivemos numa época de grandes lutas e mudanças. Ou, pelo menos, pequenos grandes passos para as atingir. Desde as preocupações ambientais à luta pela igualdade de género, é inegável o destaque dado a tantos temas que, durante muito tempo, apenas eram debatidos à mesa (e não em todas as mesas).

Neste sentido, é impossível ignorar a importância das redes sociais. Termos acesso praticamente ilimitado a plataformas como o Instagram, o Twitter, o Facebook – entre tantas outras – tanto pesa para o lado bom como para o lado mau da balança. Mas, no que toca aos assuntos que realmente importam, são, sem dúvida, uma das melhores (se não “a melhor”) formas de atingir grandes audiências.

Isto para dizer que são, sobretudo, as gerações mais jovens que fazem parte destas lutas – até porque acompanharam o aparecimento e crescimento de muitas destas plataformas. Ainda assim, continuam, em muitos temas – desde o emprego às relações -, a ser vistos como “crianças” e, frequentemente, “irresponsáveis” (de uma forma muito geral, claro, mas acontece).

Ora, a verdade é que não me choca absolutamente nada que um recente estudo realizado na América tenha mostrado que os casais mais jovens que sobem ao altar têm permanecido casados. Philip N. Cohen mostrou que as taxas de divórcio entre os mais novos são baixas – contra as expectativas de todos aqueles que, com certeza, os acharam “irresponsáveis” por dizer o “sim” tão cedo.

A explicação parece-me simples: a nossa geração assistiu à dominância dos divórcios entre os pais ou os tios. Tivemos tempo de perceber aquilo que não queríamos que acontecesse connosco. Por outro lado, e novamente, as redes sociais. O acesso a estas – e também a aplicações de encontros – permite-nos ir percebendo aquilo de que gostamos e aquilo que, definitivamente, não é para nós.

Conseguimos, hoje, conversar com alguém sem nunca ter estado presencialmente com a pessoa – e, depois, decidir se gostaríamos de a conhecer melhor ou não. Conseguimos marcar um encontro com alguém – e, depois, decidir se o queremos repetir ou não. Conseguimos, no fundo, de forma mais facilitada do que nunca, definir aquilo que pretendemos numa relação.

E isto leva-me à minha conclusão: quando os mais jovens escolhem manter uma relação com alguém, quando se comprometem, já tiveram, na maioria dos casos, experiências que as levaram a definir o tipo de relação que querem. Acredito que, quando fazemos um compromisso assim, é porque vemos no outro o potencial de nos tornar melhores, de nos fazer pessoas mais felizes.

Os ditos millenials sabem que ninguém é perfeito – mas também sabem que, para qualquer relação dar certo, é preciso aprender a navegar entre as águas mais agitadas, em vez de deixar o barco afundar. Somos mais resilientes, conscientes e responsáveis do que muitos mais velhos nos querem fazer parecer. Uma vez mais, generalizo – mas porque acredito verdadeiramente que somos uma maioria (ou então tenho a sorte de conhecer os millenials mais terra à terra de todos os millenials).

A nossa luta é constante – queremos provar que somos mais, que somos capazes, que não somos assim tão inconscientes e que podemos mudar o mundo aos poucos. Mas nem sempre nos dão o devido crédito. O lado bom é que evitamos aceitar um não e continuamos a lutar pelo que queremos e acreditamos. Que venham mais estudos, pesquisas que provem aquilo que valemos. Para já, estamos a vingar nas relações. E então?

Palavras-chave

Mais no portal

Mais Notícias

Quem trabalha na televisão?

Quem trabalha na televisão?

Já começou a campanha eleitoral de 'Miúdos a Votos'!

Já começou a campanha eleitoral de 'Miúdos a Votos'!

Sofá e pufe Loop, é mesmo divertido sentar

Sofá e pufe Loop, é mesmo divertido sentar

Os planos da princesa Ana e de Sir Timothy Laurence para o Dia dos Namorados

Os planos da princesa Ana e de Sir Timothy Laurence para o Dia dos Namorados

"Achávamos que era uma relação saudável". Bárbara Branco sobre José Condessa

Cientistas pretendem trazer o dodo de volta

Cientistas pretendem trazer o dodo de volta

Maior avião elétrico e a hidrogénio voa durante dez minutos no Reino Unido

Maior avião elétrico e a hidrogénio voa durante dez minutos no Reino Unido

Agenda para pais e filhos: o que fazer em fevereiro com os seus filhos

Agenda para pais e filhos: o que fazer em fevereiro com os seus filhos

VEXAS: Devemos estar atentos a esta nova e ainda misteriosa doença inflamatória?

VEXAS: Devemos estar atentos a esta nova e ainda misteriosa doença inflamatória?

Downloads cósmicos

Downloads cósmicos

Ministro da Saúde garante que nenhuma maternidade vai ser fechada

Ministro da Saúde garante que nenhuma maternidade vai ser fechada

Nissan mostra protótipo do conceito elétrico Max-Out

Nissan mostra protótipo do conceito elétrico Max-Out

Em “Sangue Oculto”: João impede que Vanda e Carmo salvem Beni

Em “Sangue Oculto”: João impede que Vanda e Carmo salvem Beni

Letizia recupera vestido verde de estampado 'paisley' pela sexta vez

Letizia recupera vestido verde de estampado 'paisley' pela sexta vez

Passa o dia sentado? Especialistas descobrem fórmula ideal de pausa para reverter o impacto negativo

Passa o dia sentado? Especialistas descobrem fórmula ideal de pausa para reverter o impacto negativo

Sete ideias para fazer este fim de semana, em Lisboa

Sete ideias para fazer este fim de semana, em Lisboa

Cabaz de bens alimentares essenciais custa 30% do salário mínimo

Cabaz de bens alimentares essenciais custa 30% do salário mínimo

Fevereiro na CARAS Decoração

Fevereiro na CARAS Decoração

Perímetro abdominal: Mario Kart de Super Nintendo World não é para todos

Perímetro abdominal: Mario Kart de Super Nintendo World não é para todos

VOLT Live: o efeito da descida dos preços dos Tesla

VOLT Live: o efeito da descida dos preços dos Tesla

Terreno da antiga refinaria que Galp quer ceder à câmara está contaminado

Terreno da antiga refinaria que Galp quer ceder à câmara está contaminado

Número de casas à venda em Portugal cai para mínimos de 15 anos

Número de casas à venda em Portugal cai para mínimos de 15 anos

Velcro, uma ideia que colou

Velcro, uma ideia que colou

Conheça as empresas distinguidas nas 1000 PME

Conheça as empresas distinguidas nas 1000 PME

Bacia do Barlavento algarvio continua com quantidade de água abaixo da média

Bacia do Barlavento algarvio continua com quantidade de água abaixo da média

A coleção vibrante primavera-verão 2023 de Alexis Mabille desfila em Paris

A coleção vibrante primavera-verão 2023 de Alexis Mabille desfila em Paris

PCP vai levar ao parlamento projeto de lei de alteração do estatuto do SNS

PCP vai levar ao parlamento projeto de lei de alteração do estatuto do SNS

Duas crianças assistidas no Hospital da Estefânia após incêndio receberam alta

Duas crianças assistidas no Hospital da Estefânia após incêndio receberam alta

Um passeio na floresta de W. B. Yeats

Um passeio na floresta de W. B. Yeats

Schiaparelli leva

Schiaparelli leva "O Inferno" de Dante à Semana da Alta Costura de Paris

VOLT Live: como serão os custos dos carregamentos em 2023

VOLT Live: como serão os custos dos carregamentos em 2023

Homem do Leme: Anna

Homem do Leme: Anna

VISÃO Se7e - Com as mãos na massa: A moda da cerâmica e os novos restaurantes italianos

VISÃO Se7e - Com as mãos na massa: A moda da cerâmica e os novos restaurantes italianos

Duques de Bragança revelam-se felizes com o noivado da filha, Maria Francisca

Duques de Bragança revelam-se felizes com o noivado da filha, Maria Francisca

Domingos de cinema: Maratonas dos Oscars no TVCine Edition

Domingos de cinema: Maratonas dos Oscars no TVCine Edition

Uma vénia ao ovo

Uma vénia ao ovo

Vicaima antecipa as principais tendências para 2023

Vicaima antecipa as principais tendências para 2023

Únicos os cocktails, única a sua criadora. Bem-vindos ao Uni, o novo bar de Constança Cordeiro

Únicos os cocktails, única a sua criadora. Bem-vindos ao Uni, o novo bar de Constança Cordeiro

Catarina Furtado despediu-se dos cabelos compridos

Catarina Furtado despediu-se dos cabelos compridos

Porque as crianças estão sempre cheias de piolhos?

Porque as crianças estão sempre cheias de piolhos?

Investigadores imprimem enxertos de pele em 3D

Investigadores imprimem enxertos de pele em 3D

Em “Flor Sem Tempo”: Leonor reaparece e esconde-se dos filhos

Em “Flor Sem Tempo”: Leonor reaparece e esconde-se dos filhos