@_mariatoscano

A empatia é um trabalho difícil (mas necessário). É um caminho que percorremos às escuras e que parte da nossa vontade de querer fazer e ser melhor. Afinal, colocarmo-nos no lugar do outro quando ele está a viver algo pelo que nunca passámos não costuma surgir-nos com a naturalidade de quando, de facto, nos identificamos com alguém que trava as mesmas lutas que nós.

Eu acredito que não sentia empatia por mulheres que já tinham sofrido perdas gestacionais – até me calhar a mim. Não o sentia, no sentido em que nem sequer pensava no assunto, não era algo sobre o que me procurava informar. Nunca tendo sido mãe, nunca tendo estado grávida, para mim, a gravidez era igual a um filme romântico com final feliz.

Após ter começado a perder a minha primeira gravidez, três dias depois de a ter descoberto e vivido intensa, ingénua e alegremente, tive um grande abrir de olhos. Pensei na quantidade de vezes que lia notícias sobre a atriz X ou Y que tinha perdido um bebé e o quanto isso me passava ao lado. Porque nunca pensei que me acontecesse a mim – e porque não conhecia aquela dor.

Acabei por me dar conta que não importa ter 25 anos, ser saudável ou fazer tudo “certo” para que dê…certo. Há muitos fatores que não dependem de nós e que podem determinar a fatalidade de algo que devia ter sido, nove meses depois, o dia mais feliz das nossas vidas. Mas não foi disso que vim falar. Bom, não propriamente.

Dar-me conta de que a minha empatia perante aquela realidade que eu não conhecia era praticamente nula trouxe-me algumas emoções menos felizes e não me senti a melhor pessoa do mundo. Mas também me fez querer ser melhor. Acredito que sermos verdadeiramente empáticos é das atitudes mais nobres que podemos ter. E está tudo bem se este for um processo mais ou menos demorado.

Acredito também que a base da empatia é o respeito pelo outro. É o não fazer perguntas desnecessárias, é o não assumir que a vida daquela pessoa é de certa forma sem a conhecermos, é o estar apenas presente quando o outro precisa de nós e não fingir que temos as soluções mágicas ou palavras certas para lidar com uma situação que desconhecemos. É o não julgar algo por ser diferente daquilo que vivemos ou pensamos.

Ora, aplicando este princípio ao tema que aqui me trouxe hoje, digo que é urgente que paremos de perpetuar a cultura em que a mulher tem de querer ser mãe, tem de contar a toda a gente assim que quiser engravidar, tem de revelar assim que está grávida (ou quando atinge a dita “margem de segurança”) ou sorrir e acenar sempre que alguém lhe pergunta quando tem filhos, sem saber se os quer ou se os consegue ter.

A maternidade não é, para muitas, o mar de rosas que nos pintaram desde pequenas. A partir da primeira perda, a partir de um diagnóstico de infertilidade, a partir do momento em que ter filhos se torna uma luta, deixamos a ingenuidade de lado. Vivemos cada anúncio de gravidez com sentimentos mistos e com a ansiedade de que chegue a nossa vez, misturada com a tristeza do que já poderia ter sido.

Quero acreditar que qualquer mulher que trave uma batalha para engravidar ou manter uma gravidez é empática com outras mulheres porque ganhou uma nova sensibilidade ao tema. Choca-me a quantidade de comentários a assumir uma gravidez em fotografias de celebridades que parecem mais inchadas, seja pelo ângulo, seja porque engordaram ou seja por, de facto, estarem grávidas mas sem ainda o terem anunciado.

A curiosidade sobre a gravidez de alguém tem de ter um ponto final bem marcado. A maternidade nem sempre é um tema de conversa do chá das cinco, muito menos da secção de comentários das redes sociais – sobretudo daqueles que não conhecemos. Os anúncios de gravidez são feitos quando e se as pessoas assim o desejarem, bem como a conversa sobre as perdas ou infertilidade. E eu não sou ninguém para aumentar a dor de outra pessoa com uma pergunta desnecessária ou um comentário inconveniente.

Quantas vezes aquela mulher que tenta engravidar há anos já ouviu a pergunta “quando tens filhos”? Quantas mulheres que sofreram perdas gestacionais – e tinham ainda uma montanha russa hormonal no organismo – tiveram de ouvir “estás grávida?”, pela aparência mais inchada ou “cara de grávida”? Quantas mulheres sofrem com a pressão de ter filhos, sem que esse seja um desejo seu? Quantas mais mulheres terão de sofrer?

Que a empatia seja uma escolha diária e aquilo que nos faz pensar duas vezes antes de uma qualquer observação, aparentemente, inocente.

Palavras-chave

Mais no portal

Mais Notícias

Este decote ousado é a aposta das famosas. Saiba quanto custa!

Este decote ousado é a aposta das famosas. Saiba quanto custa!

Musk: implantes de chips no cérebro estão a 6 meses de distância. E ele quer um

Musk: implantes de chips no cérebro estão a 6 meses de distância. E ele quer um

VISÃO Júnior de dezembro de 2022

VISÃO Júnior de dezembro de 2022

Manifestação no Campus de Justiça em solidariedade com ativistas em julgamento

Manifestação no Campus de Justiça em solidariedade com ativistas em julgamento

Primeiro contacto: Toyota bZ4X, o elétrico com garantia de um milhão de quilómetros para a bateria

Primeiro contacto: Toyota bZ4X, o elétrico com garantia de um milhão de quilómetros para a bateria

Hospital de Almada pediu desvio de doentes não críticos para outros hospitais

Hospital de Almada pediu desvio de doentes não críticos para outros hospitais

Moda: Fundo preto

Moda: Fundo preto

Ligações felizes em Barcelona

Ligações felizes em Barcelona

Legislação de proteção dos solos está

Legislação de proteção dos solos está "na gaveta" há sete anos

As 5 linguagens do amor. Como um best-seller com 30 anos continua a dar que falar e um teste que pode fazer

As 5 linguagens do amor. Como um best-seller com 30 anos continua a dar que falar e um teste que pode fazer

João Galamba assegura que agricultura conta com 90 ME em apoios desde 2021

João Galamba assegura que agricultura conta com 90 ME em apoios desde 2021

Tutankhamon, Nefertiti e Cleópatra: Do Antigo Egito a faraós superstars, na Fundação Gulbenkian

Tutankhamon, Nefertiti e Cleópatra: Do Antigo Egito a faraós superstars, na Fundação Gulbenkian

Volta a Portugal em design nos dois apartamentos da Santo Infante

Volta a Portugal em design nos dois apartamentos da Santo Infante

JL 1360

JL 1360

VISÃO Júnior, uma prenda de Natal original

VISÃO Júnior, uma prenda de Natal original

Diana Pereira explica os motivos da separação de Tiago Monteiro

Diana Pereira explica os motivos da separação de Tiago Monteiro

A reorganização do enoturismo

A reorganização do enoturismo

Universidade de Évora e Cruz Vermelha testa com sucesso baterias de segunda vida em cenário de catástrofe

Universidade de Évora e Cruz Vermelha testa com sucesso baterias de segunda vida em cenário de catástrofe

Porque não se pode comer nem beber antes de uma anestesia? Uma especialista responde

Porque não se pode comer nem beber antes de uma anestesia? Uma especialista responde

Está com Covid-19? Saiba o que fazer de acordo com as novas regras

Está com Covid-19? Saiba o que fazer de acordo com as novas regras

Diana de Cadaval: “Sempre vivi bem as minhas emoções”

Diana de Cadaval: “Sempre vivi bem as minhas emoções”

Natal: Presentes essenciais

Natal: Presentes essenciais

EXAME 464 - Dezembro de 2022

EXAME 464 - Dezembro de 2022

Passatempos: vê o que podes ganhar este mês!

Passatempos: vê o que podes ganhar este mês!

Portugueses sem poder de compra para tornar a casa mais eficiente

Portugueses sem poder de compra para tornar a casa mais eficiente

Filha de Heidi Klum arrasa com foto em lingerie

Filha de Heidi Klum arrasa com foto em lingerie

Universidade de Évora e Cruz Vermelha testa com sucesso baterias de segunda vida em cenário de catástrofe

Universidade de Évora e Cruz Vermelha testa com sucesso baterias de segunda vida em cenário de catástrofe

6 podcasts de true crime para detetives de bancada

6 podcasts de true crime para detetives de bancada

ONG dá

ONG dá "voto de desconfiança" a comissão de acompanhamento em obstétrica

Mais ricos de Portugal estão ainda mais ricos

Mais ricos de Portugal estão ainda mais ricos

Sara Matos planeia natal em família: “Com o Manuel a magia aumentou”

Sara Matos planeia natal em família: “Com o Manuel a magia aumentou”

Atitude, arrojo e inovação: Recorde os

Atitude, arrojo e inovação: Recorde os "looks" de Letizia na entrega dos prémios Francisco Cerecedo

Eco-Rally de Lisboa: os elétricos passaram pela capital

Eco-Rally de Lisboa: os elétricos passaram pela capital

Cientistas de Coimbra criam ferramentas inteligentes para prevenir erros informáticos

Cientistas de Coimbra criam ferramentas inteligentes para prevenir erros informáticos

Porque é que numa maratona se correm exatamente 42,195 quilómetros?

Porque é que numa maratona se correm exatamente 42,195 quilómetros?

Hospital de Santa Maria teve mais 30% de afluência nas urgências no sábado

Hospital de Santa Maria teve mais 30% de afluência nas urgências no sábado

Rota do Vinho de Talha: Uma viagem no Alentejo, de copo na mão

Rota do Vinho de Talha: Uma viagem no Alentejo, de copo na mão

JL 1361

JL 1361

Pastelaria Versailles: 100 anos de histórias, sabores e algumas novidades

Pastelaria Versailles: 100 anos de histórias, sabores e algumas novidades

O centenário de José-Augusto França

O centenário de José-Augusto França

Adepta da Croácia é a “bomba” sexy do Mundial

Adepta da Croácia é a “bomba” sexy do Mundial

Ofereça beleza este Natal

Ofereça beleza este Natal