Já tinha visto o trailer de “365 Dias” na Netflix e a trama não me chamou a atenção – sou mais de séries documentais sobre serial-killers, confesso – mas um dia recebi uma mensagem de uma amiga que me deixou um bocado intrigada. “Alguém já viu o 365 dias? A história é parva, mas aquele protagonista… Um filme que está a deixar as pessoas revoltadas por causa do enredo. Estou ansiosa para saber a tua opinião”. Perguntei a outra amiga, que tem pensamentos muito parecidos aos meus, que foi bem direta: “30 minutos muito dolorosos”. Ok, decidi dar uma chance.

“365 Dias” é um filme polonês que estreou na Netflix em Portugal no início de junho. A produção chegou logo ao topo dos conteúdos mais vistos da plataforma de streaming em mais de 20 países e gerou muita polémica ao redor do mundo por alguns motivos. O primeiro deles é o mais óbvio: tem cenas de sexo que arranham num soft porn, muito mais intensas que outros filmes com premissa erótica, como “As 50 Sombras de Grey”. O segundo motivo é o protagonista, interpretado pelo galã italiano Michele Morrone – que ganhou mais de 6 milhões de seguidores no Instagram desde a estreia da longa-metragem. E o terceiro (e mais problemático) motivo é a história.

E é a partir daqui que este artigo contém SPOILERS.

O filme é baseado nos livros da polonesa Blanka Lipinska. Laura, interpretada por Anna-Maria Sieklucka, é sequestrada pelo mafioso italiano Massimo, papel de Michele Morrone, que lhe dá 365 dias para se apaixonar por ele. Pois bem, as minhas amigas queriam a minha opinião. Claramente não consegui assistir a este filme sem partilhar nada com aquelas que já tinham tido a coragem de o fazer. E aqui estão os meus comentários.

A romantização de um crime

Ser sequestrada por um homem obcecado por si não é romântico, nem fofo. Dito isto, vamos para o que o filme mostra.

Uma das primeiras cenas em que vemos o italiano é quando o pai, líder da máfia, morre assassinado numa fortaleza localizada numa ilha italiana. E, magicamente, Laura, a polonesa por quem Massimo se vai apaixonar, está a sensualizar na praia a alguns metros dali. Nunca nos explicam o motivo para Laura estar lá e ela parece não perceber que, numa praia praticamente deserta, um homem foi assassinado com um tiro. E é a vê-la através de um binóculo que Massimo se apaixona (ou fica obcecado) por uma mulher que ele nunca viu antes e nem vai ver nos próximos 5 anos.

Quando Laura é sequestrada depara-se com uma casa onde há um grande quadro com o seu rosto na parede. Isso mostra como Massimo era louco por ela, mas também como tem boa memória e consegue descrever nos mínimos detalhes o rosto de uma mulher desconhecida e que só viu através das lentes de um binóculo.

Uma das cenas mais problemáticas, na minha opinião, é o momento em que Massimo explica a Laura o motivo pelo qual a sequestrou. A determinado momento ela tenta fugir e o mafioso agarra-a pelo braço e atira-a para uma poltrona. Depois ele começa a apalpar Laura e afirma: “Não vou fazer nada sem a tua permissão”. E o diálogo difícil de ouvir continua: “Não estou acostumado a tolerar desobediência”, diz o mesmo homem que não sabe o que é “permissão”. Outro detalhe deste momento é que apesar de Laura ter sido sequestrada e presa contra a sua vontade numa sala muito creepy, ela continua a sensualizar num robe, deixando os ombros e as pernas à mostra.

Há uma obsessão pelo “equipamento” de Massimo

O primeiro momento “erótico” do filme é uma cena de sexo oral no avião particular de Massimo, em que o mafioso ouve uma má notícia sobre os negócios e decide obrigar uma comissária de bordo a satisfazê-lo. A cena é violenta e não deixa claro se a mulher consentiu o acto – mas ao terminar o vôo a mulher faz-lhe uma expressão de felicidade, o que para mim é extremamente confuso. Definitivamente não é excitante nem engraçado, é, na minha opinião, muito triste.

Há outros três momentos em que parece que tudo o que importa no mundo é aquilo que Massimo carrega entre as pernas. Numa cena no chuveiro Laura toma uma duche (de novo, uma duche muito sensual) quando o mafioso surge nu ao seu lado. Ela fixa o olhar num “determinado” ponto, como se aquilo fosse uma justificação para esquecer o facto de que tinha sido sequestrada e estava presa contra a sua vontade.

Depois Massimo tenta convencer Laura a ter relações sexuais, mas ela nega. Ele prende-a numa cama pelos braços e pernas, o que faz Laura ficar visivelmente nervosa e com medo. Depois o mafioso chama uma outra mulher para lhe fazer sexo oral enquanto Laura assiste.

Mas o momento que remata a minha teoria é a famosa cena do barco. Por esta altura já está claro que Laura quer envolver-se com Massimo. A tensão sexual é impressionante. E qual é a primeira coisa que Laura decide fazer quando assume que vai ter relações com o homem que a sequestrou?

Entretanto Laura fica loira e o filme vira uma comédia romântica

É isso mesmo. Torna-se meio difícil explicar o que acontece aqui. De repente, não há mais tensão. Laura já não quer fugir. A história vira um romance perfeito. E assistimos àquelas sequências clássicas de comédias românticas com músicas animadas e amigas a irem ao spa, a fazerem compras e a divertirem-se. Ah, e isso acontece depois de Laura pintar o cabelo de loiro.

O que parece significar que tudo o que Laura precisava na vida era de ser sequestrada por um italiano rico e bonitão que ganha dinheiro (e outras coisas) de formas duvidosas. E ser loira.

E afinal, vale a pena?

O filme fez muito buzz na internet porque realmente é polémico. E, apesar de romantizar o não consentimento, também pode ter ajudado a fomentar a discussão sobre o tema. Muitas pessoas aproveitaram a deixa do filme para falarem abertamente sobre relacionamentos abusivos, misoginia, machismo e assédio.

Há também muitas mulheres que têm fetiches sexuais com esta temática, o que não é errado! Mas é muito importante ter a liberdade de entrar e sair quando se quiser de uma narrativa como essa – o que não acontece no caso de Laura. Além do mais, quem gosta de cenas eróticas fortes, pode gostar da tal cena do barco. E para quem gosta de homens altos e morenos, vale a pena ver o Instagram do galã mafioso.

Palavras-chave

Relacionados

Mais no portal

Diz Quem Sabe

Tudo o que precisa de saber sobre a reabilitação oncológica

Um artigo de opinião assinado pelo médico Énio Pestana, do Hospital CUF Cascais, sobre este tipo de cuidados.

Beleza

Conheça as grandes vantagens dos champôs sólidos

Preparámos também uma lista de produtos que pode incluir na sua rotina de cuidados capilares.

Nas Bancas

Como salvar as suas plantas

Na ACTIVA Verde, já em banca, os conselhos para escolher e cuidar das suas plantas.

Nas Bancas

Este casal mostra-nos como é viver "fora da rede"

Uma casa de madeira foi o início da mudança.

Nas Bancas

Receitas (de chef): desperdício zero

Sabia que está a deitar fora uma das melhores partes dos seus legumes?

Comportamento

A sustentabilidade chegou ao sexo

Conheça quatro formas de ajudar a salvar o planeta entre quatro paredes.

Moda

7 coleções que mostram que a moda sustentável é o estilo do futuro (a começar agora)

Coleções sustentáveis que são um “must-have” para receber o calor

Saúde

Experimentei um copo menstrual pela primeira vez - e foi assim que correu

Nunca é tarde para tomar uma decisão com impacto positivo no ambiente.

Beleza

Saiba como criar uma rotina de beleza mais sustentável

Pequenas mudanças de hábitos podem fazer uma grande diferença no compromisso com a sustentabilidade.

Lifestyle

Faça você mesma: receitas de detergentes ecológicos

Para além destas seis sugestões, partilhamos outros truques que podem ajudar o lar a ser mais "eco-friendly".

Nas Bancas

Activa Verde: é urgente mudar o futuro

Nas bancas!

Saúde

Como qualquer músculo, o cérebro tem de ser trabalhado: Sandra Martins explica-nos como

É possível ter um cérebro à prova de cansaço