Diante do relato de Sofia Arruda sobre o assédio sexual que sofreu, apanhei-me a pensar o que faria se vivesse uma situação parecida. Cheguei à conclusão que provavelmente não denunciaria já – porque teria medo de perder o meu emprego,das críticas que receberia, de ser descredibilizada, do julgamento. Mas também porque um episódio tão flagrante como o descrito pela Sofia e por tantas outras mulheres que vieram a público denunciar o que sofreram, são reflexo de um sistema que faz do assédio algo normal. E talvez é isso que precise mudar primeiro.

Gosto muito do projeto “#That’s Harrassment”, uma série de vídeos produzidos em 2018 realizados por Sigal Avin, da série “Losing Alice”. Nestes filmes curtos de cerca de 5 minutos, situações bastante frequentes são retratadas nos mais diferentes ambientes – um consultório médico, uma sessão fotográfica, uma reunião com um chefe. Situações que já podem ter acontecido a muitas de nós.

Cena da série #That’s Harrasment – Episódio “The Boss”

Arrisco-me dizer que quase todas as mulheres já viveram uma situação de assédio no ambiente de trabalho. Mas não esse assédio descarado – um convite para jantar inapropriado, uma aproximação numa sala de reuniões, uma ameaça no caso de rejeição. É que desde sempre há comportamentos sistemáticos que são minimizados, mascarados como se fossem piada, ou justificados como “é o meu jeito”.

Por exemplo: Não faça piadas sobre os corpos das mulheres; não comente a roupa da sua colega de trabalho – principalmente se o comentário envolver decotes, peças justas ou curtas; não elogie a sua aparência física para além do que diria à sua mãe ou filha; não toque nela quando estiver a falar; não pegue na cintura dela para pedir licença para passar por um corredor; não diga que o escritório está mais bonito com a presença dela; não diga que só vai fazer algo se ela pedir com carinho; não diga piropos. 

“Ela sabe que não estou a falar a sério”

“Estou só a brincar, ela sabe que não estou a falar a sério”. Será que a brincadeira está a divertir os dois? É que pode ser bastante difícil para alguém responder ou negar certas aproximações em ambiente de trabalho, principalmente porque ninguém quer piorar a situação. Já ouvi de muitas amigas e identifico-me: Quando estamos desconfortáveis a nossa primeira reação é quebrar o clima ruim ao mudar de assunto, ou com um sorriso. Se a sua colega não riu da sua piada, fez uma expressão de desagrado ou desconforto quando ouviu o seu elogio, afastou-se no momento em que foi tocada, é porque estes comportamentos não devem ser repetidos. 

Há quem diga que já perguntou se aquilo a incomodava, e ela disse que não. Um chefe chamar uma colaboradora numa sala de reuniões e perguntá-la se acha que está a ser assediada não vale; um colega do mesmo nível hierárquico dizer em público: “Sabes que estou a brincar, certo?” também não vale. 

Cena da série #That’s Harrasment – Episódio “The Coworker”

“Então não posso mais fazer nada que já é assédio?”

Já prevejo pessoas a pensarem: “Então não posso mais fazer nada que já é assédio?”. Mas, afinal, há muitas coisas que podem ser feitas para manter um ambiente de trabalho saudável. Respeitar a sua colega de trabalho; elogiar as suas competências profissionais; ser educado e dizer bom dia, boa tarde, por favor e obrigado; segurar a porta para ela – e deixá-la segurar a porta para os colegas homens também; conversar sobre temas de trabalho e da atualidade (ou privados se a relação assim permitir); tratar as mulheres do escritório como iguais. 

Este novo movimento #metoo em Portugal está a gerar muitas opiniões. Há quem diga que é inútil se os nomes dos assediadores não forem revelados, há quem ache que é um primeiro passo para se transformarem as coisas no país. Sem dúvida que as vítimas são neste momento protagonistas, denunciam para trazer o tema à tona e gerar discussão. Mas os homens e as mulheres em posições de poder, e todos aqueles que são potenciais assediadores, também têm um papel importante. Para estes é tempo de ouvir, refletir e considerar mudar de atitudes.

Palavras-chave

Relacionados

Sem Filtros

A sua viagem para as Maldivas não é fruto (só) do seu trabalho

Precisamos reconhecer que acreditar que chegámos ao sucesso por mérito é diminuir o trabalho do outro.

Sem Filtros

Aos 15 anos achava que aos 30 teria a vida resolvida. Tenho 29, e agora?

Ser uma millennial é ter os planos constantemente adiados.

Sem Filtros

A personalidade de Ljubomir Stanisic não justifica sexismo na televisão

"Hell's Kitchen" pode ser um bom programa, mas passa do ponto ao promover os comentários machistas do chef.

Mais no portal

Beleza

"Pre-poo": os grandes benefícios deste tratamento para cabelos crespos

E para todos os tipos de caracóis, que estão sempre sedentos de hidratação.

#VozActiva

Isabela Valadeiro: "Se não salvarmos os oceanos, não há futuro"

A nossa protagonista de julho fala sobre a relação com o mar e da necessidade de preservarmosos oceanos no #VozActiva deste mês.

Saúde

5 mitos e verdades sobre proteção solar

O verão chegou esta segunda-feira, dia 21, e nunca é demais recordar a importância de manter a pele protegida. Em qualquer altura o ano.

Moda

Descobrimos onde pode comprar um casaco desportivo igualzinho ao de Bella Hadid

A modelo rendeu-se a uma criação que custa menos de 50 euros.

Comportamento

5 hábitos de bons ouvintes - e como eles podem melhorar relações

Pode parecer simples e intuitivo mas ouvir (mesmo) outra pessoa requer um esforço sincero e muita prática.

Diz Quem Sabe

Saiba como preparar a mente para o regresso ao escritório em seis passos

Um artigo de opinião assinado por Joana Freitas, mental coach e CEO da empresaespecializada em serviços de Gestão de Stress Up Your Mind.

Saúde

Todos juntos para um bom ritmo cardíaco

O Dia Mundial do Ritmo Cardíaco assinalou-se no passado dia 13 de junho e inspirou este artigo de opinião assinado pelo Dr. Rogério Ferreira, médico especialista em medicina interna.

Diz Quem Sabe

Eu sou a minha paixão, não a minha doença

Um artigo de opinião assinado por Elsa Mateus, presidente da Liga Portuguesa Contra as Doenças Reumáticas.

Celebridades

Karlie Kloss mostra os bastidores da nova realidade como mãe

"A primeira saída à noite da mamã", diz a legenda de uma fotografia (literalmente) sem filtros.

Comportamento

Saiba como quebrar um ciclo de procrastinação

Em apenas quatro passos, de acordo com um especialista.

Celebridades

Khloé Kardashian admite que fez rinoplastia

A estrela abriu o coração sobre os rumores de cirurgia plástica num episódio especial de "Keeping Up with the Kardashians".

Moda

Os vestidos de verão que adoramos neste momento

Tem espreitado as novidades da Zara recentemente?