Gosto de ficção científica, de distopias, aventuras fantásticas. Basicamente, histórias que testam limites e nos fazem viajar para uma outra realidade, mas nunca nos separando completamente dela. É isso que Zalatune, de Nuno Gomes Garcia, faz. 

Nesta obra, publicada pela Editorial Presença, somos levados a um futuro que pode parecer descabido mas que tem uma base sólida e fácil de entender. Imaginem um regime populista corrupto que manipula a opinião pública, uma sociedade conservadora onde os estrangeiros são desprezados e relegados a condição sub-humanas, em que as mulheres continuam a ser vistas como o sexo fraco e o mundo está a ser atacado por uma pandemia. Nuno Gomes Garcia pegou nestes ingredientes e criou a ilha de Ínsula.

Nesta ilha, assistimos a uma narrativa que cativa pelo enredo misterioso e pelas personagens bem construídas, mas que choca pelas situações descritas. Ao mesmo tempo, faz-nos analisar a nossa própria realidade, questionando certas ideologias ou até mesmo fazendo recordar a importância de algumas lutas que têm sido travadas. 

A certo ponto, senti que a leitura tinha perdido algum do seu ritmo. Isso pode ter acontecido por excesso de informação em alguns momentos ou até mesmo pelo estilo de escrita do autor, que se prende nos detalhes e nos floreados. Também gostaria que o conceito de “Zalatune” tivesse um desenvolvimento mais explícito, mas entendo que tal possa não ter acontecido para se manter uma aura de mistério quanto ao futuro.

Zalatune é uma distopia relevante e que prova que existem obras nacionais interessantes a serem publicadas dentro deste género. 

Sinopse:

Em Ínsula, uma ilha perdida algures no Mediterrâneo, os estrangeiros são inimigos, a procriação é uma missão patriótica (e, por isso, todas as mulheres são obrigadas a ter pelo menos dois filhos), a pena capital foi reinstaurada e a Internet foi substituída por uma Intranet insular.

Naquele que parece ser um regime político verdadeiramente democrático, a vida do primeiro-ministro é acompanhada por câmaras 24 horas por dia, para garantir a total transparência do poder, e são os cidadãos que decidem o futuro do país, sentados no conforto do sofá, através de referendos online. Em 2034, está na mão dos eleitores dar luz verde à decisão de construir um muro e expulsar de vez todos os imigrantes.

Só que o passado insiste em perseguir-nos e o desígnio traçado trinta anos antes por uma criança está prestes a cumprir-se: as pessoas estão a desaparecer e, para trás, deixam um único rasto, um pedaço de papel onde se lê «Parti para Zalatune». O que está a acontecer? Para onde vão as pessoas que desaparecem? Estará a existência de Ínsula condenada?

Palavras-chave

Assine a ACTIVA

Deixe-se inspirar, assine a ACTIVA, na sua versão em papel ou digital, a partir de €2,00 a edição. Saiba tudo aqui ASSINAR

Mais no portal

Celebridades

Kate regressa ao trabalho com abordagem fresca à tendência da alfaiataria

Depois de uma pausa de verão, a duquesa de Cambridge retomou os deveres oficiais com uma visita a oficias da Força Aérea Real.

Celebridades

Sofia Vergara celebra o trigésimo aniversário do filho com festa animada

A atriz foi mãe aos 19 anos e Manolo Gonzalez Vergara é o seu único filho.

Celebridades

O motivo para Morgan Freeman usar uma luva na mão esquerda

Muitos pensam que o ator teve a mão amputada ou que se trata de uma afirmação de moda, mas não é o caso.

Celebridades

Os artistas lusófonos que já se apresentaram na plataforma internacional ColorsxStudios

Carolina Deslandes fez manchetes recentemente ao apresentar o novo single "Eco", que homenageia a fadista Amália através do refrão de "Grito", neste palco global.

Saúde

Vírus que ataca plantas de feijão-frade pode proteger os pulmões do cancro metástico

A técnica preveniu, ou pelo menos minimizou, a disseminação de tumores malignos e melanoma em ratos-domésticos.

Nas Bancas

A ACTIVA de outubro, com Vera Kolodzig na capa, chega amanhã às bancas!

Uma edição sobre mulheres cujas vozes activas são forças de mudança.

Moda

Como usar cabedal com estilo e elegância

Com o aproximar da nova temporada, é altura de tirar estas peças da gaveta.

Beleza

Cabelos: conheça as tendências fortes da nova temporada

Dos cortes aos penteados, estas são algumas das apostas fortes para os meses de outono e inverno.

Comportamento

Psicóloga recomenda estratégia de 7 passos para deixar um parceiro controlador

Neste tipo de dinâmica, uma pessoa domina ou participa na intimidação do parceiro. Pode acontecer a qualquer pessoa.

Beleza

Cabelos espetados nunca mais! Este acessório veio acabar com o problema da eletricidade estática no nosso cabelo

Há um novo acessório para secador de cabelo que elimina o encrespamento

Saúde

O motivo para o corpo humano libertar vapor após treinos em climas húmidos

Sim, é possível, e a explicação é muito simples.

Mulheres Inspiradoras

“Somos brasileiras antes de sermos mulheres imigrantes”

Prostitutas que roubam maridos e falam “brasileiro”. Os estereótipos construídos ao redor da mulher brasileira são usados para justificar violência, negativas de direitos fundamentais e esvaziar as suas identidades. E estamos em 2021.