Num ano que nos coloca tantos desafios, como o ano de 2020, é necessário mantermo-nos atentos e não descurarmos a rápida identificação e adequado tratamento dos doentes com AVC.  É essencial no Dia Mundial do AVC, assinalado a 29 de outubro, relembrarmos a importância de instruir a população para os sinais de alarme.

Durante a fase inicial da pandemia,  na maioria dos hospitais, o circuito dos doentes da VVAVC não sofreu grandes alterações, mantendo-se assim ativo e em pleno funcionamento o tratamento de fase aguda. Verificou-se, no entanto, uma diminuição acentuada do número de doentes com AVC que recorreram ao hospital, o que levou a um decréscimo do número de doentes tratados quer com fibrinólise, quer com trombectomia mecânica.

Não há explicação para esta diminuição do número de casos, o que é preocupante. Sabemos que a COVID-19 aumenta o risco de eventos trombóticos, o que deveria levar a um aumento do número de AVC. No entanto, num inquérito realizado a 32 hospitais portugueses, cerca de metade teve diminuição do número de doentes internados por AVC em cerca de 25-50%. Será que alguns doentes com sintomas menores, por receio de serem contaminados, não recorreram aos cuidados de saúde? Ou porque os doentes, estando em casa com menos stress e melhor adesão a terapêutica, tiveram menos eventos?

Se é verdade que, neste momento, deve ser reforçada junto da população a importância do confinamento, é igualmente premente lembrar que o 112 deve ser ativado sempre que for identificado um dos sinais de alerta de AVC (face descaída, perda de força no braço/perna ou alteração da fala), de modo a permitir que os doentes sejam orientados para uma unidade hospitalar que permita realizar o tratamento de fase aguda adequado, pois a rapidez de atuação é fundamental para que se possa evitar sequelas.

Além da procura de cuidados de saúde em casos de sinais e sintomas de alerta, deve ser reforçada a indicação, aos doentes, para manter a terapêutica habitual para controlo de fatores de risco vascular (anti-hipertensores, estatinas, antiagregantes plaquetários, anticoagulantes e terapêutica para diabetes). Não existe, atualmente, qualquer indicação para suspender nenhuma das terapêuticas previamente prescritas.

É também essencial garantir o acesso à reabilitação. No início da pandemia, a reabilitação a estes doentes foi suspensa na sua quase totalidade. Segundo um inquérito divulgado pela Portugal AVC, 91% dos doentes com indicação para cuidados de reabilitação, entre 20 e 27 de abril, afirmaram ter sido obrigados a interromper os tratamentos ou não ter tido possibilidade de os iniciar. Houve doentes com enorme potencial de recuperação que, infelizmente, não tiveram acesso a esses cuidados.

Temos de garantir a assistência na sua plenitude a doentes com e sem COVID-19. É assim fundamental permitir que os serviços tenham capacidade para tratar os doentes infetados com SARS-CoV2 e os não infetados. Para que isso aconteça tem de haver um adequado investimento, quer em recursos humanos quer em meios materiais, para evitar o colapso do SNS perante este enorme desafio

Palavras-chave

Assine a ACTIVA

ASSINE AGORA A REVISTA ACTIVA COM OFERTA ISDIN. DEIXE-SE INSPIRAR. Saiba tudo aqui. ASSINAR

Relacionados

Saúde

Aprenda a fazer uma palpação correta da mama neste Outubro Rosa

Um especialista da plataforma Doctorino ensina os passos essenciais para um autoexame de rastreio do cancro da mama.

Beleza

10 formas de fortalecer a nossa saúde em menos de um minuto

Confira estas dicas eficazes (e rápidas) que devem fazer parte da sua rotina.

Saúde

Como a densidade mamária pode dificultar o diagnóstico de cancro da mama

Mais no portal

Beleza

Outubro Rosa: como cuidar da pele, cabelo e unhas de pacientes oncológicos

Num mês em que se assinala o Mês de Prevenção para o Cancro da Mama, a La Roche-Posay reforça a importância em adequar os cuidados pessoais durante e após os tratamentos oncológicos.

Mulheres Inspiradoras

O novo álbum de Adele é uma verdadeira lição de crescimento pessoal

'30' está prestes a ser lançado e a artista incluiu nele várias fases que enfrentou recentemente, associadas ao divórcio de Simon Konecki.

Lifestyle

Vila do Conde recebe novo Mercadona

Este é o 26º supermercado da cadeia em Portugal.

Celebridades

Kate deslumbra ao apostar numa das maiores tendências da temporada

Veja um dos visuais mais recentes da duquesa de Cambridge.

Saúde

7 cuidados a ter com a nossa higiene íntima

Fique com alguns conselhos que ajudam as mulheres a prevenir o desconforto na zona íntima.

Lifestyle

Já é possivel encomendar de vários restaurantes e só pagar uma taxa de entrega

Conciliar gostos diferentes tornou-se de repente muito mais fácil.

Diz Quem Sabe

Intolerâncias alimentares e novos estilos de vida

Um artigo de opinião assinado pela Dra. Andreia Monteiro, médica especialista em imuno-hemoterapia, medicina antienvelhecimento e estética.

Lifestyle

Sugestões assustadoras para celebrar o Halloween

Temos de celebrar à altura, certo?

Moda

Tipia: a coleção de acessórios com letras que lembram as antigas Iluminuras

De assinatura Inês Telles.

Moda

Cachecóis Maxi: a aposta da Parfois para o inverno

Conheça algumas sugestões da marca.

Saúde

Devemos lavar os dentes antes ou depois do pequeno-almoço?

Entenda qual a prática mais benéfica.

Saúde

4 vilões na alimentação que pioram os sintomas da TPM

Saiba o que evitar nessa altura do mês.