Num ano que nos coloca tantos desafios, como o ano de 2020, é necessário mantermo-nos atentos e não descurarmos a rápida identificação e adequado tratamento dos doentes com AVC.  É essencial no Dia Mundial do AVC, assinalado a 29 de outubro, relembrarmos a importância de instruir a população para os sinais de alarme.

Durante a fase inicial da pandemia,  na maioria dos hospitais, o circuito dos doentes da VVAVC não sofreu grandes alterações, mantendo-se assim ativo e em pleno funcionamento o tratamento de fase aguda. Verificou-se, no entanto, uma diminuição acentuada do número de doentes com AVC que recorreram ao hospital, o que levou a um decréscimo do número de doentes tratados quer com fibrinólise, quer com trombectomia mecânica.

Não há explicação para esta diminuição do número de casos, o que é preocupante. Sabemos que a COVID-19 aumenta o risco de eventos trombóticos, o que deveria levar a um aumento do número de AVC. No entanto, num inquérito realizado a 32 hospitais portugueses, cerca de metade teve diminuição do número de doentes internados por AVC em cerca de 25-50%. Será que alguns doentes com sintomas menores, por receio de serem contaminados, não recorreram aos cuidados de saúde? Ou porque os doentes, estando em casa com menos stress e melhor adesão a terapêutica, tiveram menos eventos?

Se é verdade que, neste momento, deve ser reforçada junto da população a importância do confinamento, é igualmente premente lembrar que o 112 deve ser ativado sempre que for identificado um dos sinais de alerta de AVC (face descaída, perda de força no braço/perna ou alteração da fala), de modo a permitir que os doentes sejam orientados para uma unidade hospitalar que permita realizar o tratamento de fase aguda adequado, pois a rapidez de atuação é fundamental para que se possa evitar sequelas.

Além da procura de cuidados de saúde em casos de sinais e sintomas de alerta, deve ser reforçada a indicação, aos doentes, para manter a terapêutica habitual para controlo de fatores de risco vascular (anti-hipertensores, estatinas, antiagregantes plaquetários, anticoagulantes e terapêutica para diabetes). Não existe, atualmente, qualquer indicação para suspender nenhuma das terapêuticas previamente prescritas.

É também essencial garantir o acesso à reabilitação. No início da pandemia, a reabilitação a estes doentes foi suspensa na sua quase totalidade. Segundo um inquérito divulgado pela Portugal AVC, 91% dos doentes com indicação para cuidados de reabilitação, entre 20 e 27 de abril, afirmaram ter sido obrigados a interromper os tratamentos ou não ter tido possibilidade de os iniciar. Houve doentes com enorme potencial de recuperação que, infelizmente, não tiveram acesso a esses cuidados.

Temos de garantir a assistência na sua plenitude a doentes com e sem COVID-19. É assim fundamental permitir que os serviços tenham capacidade para tratar os doentes infetados com SARS-CoV2 e os não infetados. Para que isso aconteça tem de haver um adequado investimento, quer em recursos humanos quer em meios materiais, para evitar o colapso do SNS perante este enorme desafio

Palavras-chave

Leia 6 meses GRÁTIS

Este verão assine a ACTIVA, CARAS, CARAS DECORAÇÃO, entre outras publicações do grupo Trust in News, por 1 ano e receba 6 meses de leitura grátis. Conheça todas as opções, incluindo as versões digitais. ASSINAR

Relacionados

Saúde

Outubro Rosa: saiba como fazer uma palpação correta da mama

Um especialista da plataforma Doctorino ensina os passos essenciais para um autoexame de rastreio do cancro da mama.

Beleza

10 formas de fortalecer a nossa saúde em menos de um minuto

Confira estas dicas eficazes (e rápidas) que devem fazer parte da sua rotina.

Saúde

Como a densidade mamária pode dificultar o diagnóstico de cancro da mama

Mais no portal

Moda

Esta tendência de swimwear improvável favorece peitos pequenos

Deixamos esta e outras sugestões para valorizar a área nas suas próximas idas à praia.

Saúde

4 bons motivos para começar a comer mais uvas

A sua saúde agradece.

Comportamento

Eis o que fazer quando se sente tentada a mentir

De acordo com uma psicóloga.

Imagem de Sucesso

Dicas para fazer as melhores compras em época de saldos

Este é o tema do novo episódio da rubrica Imagem de Sucesso.

Lifestyle

Estes casinos estão prestes a reabrir

Saiba quando os poderá visitar.

Mulheres Inspiradoras

Condessa D’Edla: a segunda mulher de D. Fernando II, que era artista e não agradava ao povo

A produção de capa da ACTIVA de agosto, protagonizada por Júlia Palha, foi fotografada num chalet conhecido como o "Chalet da Condessa”. Conheça a história desta mulher fascinante.

Diz Quem Sabe

Levantamento das restrições: um teste à eficácia da vacina para a COVID-19

Um artigo de opinião assinado pela Dra. Laura Brum, virologista dos Laboratórios SYNLAB.

Moda

Estes básicos da H&M prometem 'fazer bonito' em qualquer ocasião

Estas sugestões são bonitas, intemporais e surpreendentemente acessíveis.

Celebridades

Este foi o visual de gala preferido de Kate Winslet

A atriz caracterizou o vestido como "uma escultura bordada".

Saúde

O DIU pode causar queda de cabelo?

Saiba se tem alguma relação.

Comportamento

Psicóloga explica como perceber as diferenças entre amor e luxúria

A luxúria pode levar ao amor, mas eles não são a mesma coisa.

Celebridades

Anna Faris casou-se em segredo

A atriz e Michael Barrett namoram desde 2017.