A pandemia tem contribuído em muito para o empobrecimento da nossa saúde oral e as máscaras vieram esconder mais do que os nossos sorrisos. Quase um ano depois, começam a ser cada vez mais visíveis as consequências que este inimigo invisível tem tido na saúde mental e, consequentemente, na saúde em geral. Esta nova realidade trouxe-nos medo, stress, ansiedade, depressão e a saúde oral também tem sido afetada pelo que sentimos.

Ao longo dos últimos meses, o número de pacientes que procuram ajuda médica devido a dores nas articulações e/ou fraturas nos dentes tem vindo a aumentar e o stress tem sido o principal responsável. É certo que nem todas as pessoas lidam com o que sentem da mesma forma, mas muitas acabam por libertar a sua tensão através do ranger ou apertar dos dentes – o chamado bruxismo. O bruxismo caracteriza-se por ser uma atividade involuntária e repetitiva dos músculos responsáveis pela mastigação, o que leva a que se aperte ou ranja os dentes de forma prejudicial. Esta resposta involuntária ao stress acaba por resultar no desgaste dos dentes, fraturas, dores de cabeça e pescoço ou dores nas articulações que se têm vindo a verificar com maior frequência nos últimos tempos. Os casos de bruxismo têm sido cada vez mais e cada vez mais acentuados: quem antes não tinha este distúrbio, agora tem, e quem já tinha, viu-o agravar-se.

Contudo, o stress não é o único impacto psicológico da pandemia. Os casos de depressão, principalmente associados ao isolamento, também têm vindo a ser cada vez mais habituais, bem como as suas consequências ao nível da saúde oral. Se estar em confinamento pode por si levar à alteração de alguns dos hábitos de higiene, a depressão vai conduzir a uma ainda maior supressão das rotinas que cuidam da boca. Neste sentido, tem sido comum assistir a uma despreocupação e descuido em pessoas que se encontram em estados depressivos. Posteriormente, e uma vez que a nossa boca se ressente de imediato quando há este tipo de alterações, a falta de higiene pode levar a problemas graves como cáries, perdas de dentes ou até mesmo à perda de trabalhos anteriores – como ter de refazer certos tratamentos, até porque nestes casos as pessoas também deixaram de ir às consultas.

É ainda importante relembrar que, se por um lado as queixas e dores motivam as idas às consultas, no geral muitos tratamentos foram desmarcados e adiados. Apesar de ir ao dentista continuar a ser seguro devido à grande preparação e cumprimento das medidas por parte das clínicas, muitas pessoas continuam a evitar este acompanhamento que é tão importante.

Acredito que numa fase pós pandemia, a par de tantas outras coisas, também a saúde oral estará mais debilitada e terá de ser feito um esforço extra para recuperar o que ficou para trás. Ainda assim, é importante tentar desde já estabelecer hábitos de higiene importantes e consistentes, bem como retomar as idas ao dentista que continuam a ser seguras. Não deixemos para depois o que pode ser tratado já!

Palavras-chave

Relacionados

Saúde

Esta doença oral comum foi associada às mortes por COVID-19

Este é um dos resultados de um estudo recente, que juntou investigadores internacionais.

Saúde

Covid-19: elixir oral promete mesmo acabar com o vírus?

Confira o que os especialistas têm a dizer.

Saúde

4 hábitos saudáveis que podem prejudicar a saúde oral

Não escolhemos uma fotografia de alguém a beber um sumo verde por acaso.

Mais no portal

Imagem de Sucesso

As regras de estilo para escolher "looks" mais frescos sem descurar a elegância

Este é o tema do novo episódio da rubrica Imagem de Sucesso.

Diz Quem Sabe

Ervilha amarela: uma nova alternativa aos alimentos de origem animal?

Um artigo de opinião assinado pela nutricionista Ana Leonor Perdigão.

Diz Quem Sabe

Tudo o que precisa de saber sobre a reabilitação oncológica

Um artigo de opinião assinado pelo médico Énio Pestana, do Hospital CUF Cascais, sobre este tipo de cuidados.

Saúde

Podcast: Sandra Gomes Silva responde às nossas questões sobre vegetarianismo

Os prós e os contras de um tipo de alimentação que leva em conta preocupações éticas e ambientais. Afinal, precisamos mesmo da carne para sermos saudáveis?

Saúde

O vegetarianismo melhora a vida sexual? Eis o que diz a Ciência

Não podemos subestimar o poder de uma dieta à base de plantas.

Mulheres Inspiradoras

Tem mesmo de conhecer estas ambientalistas portuguesas

Aqui ficam alguns exemplos de mulheres que renovam diariamente o compromisso de conservação e preservação ambiental.

Beleza

Conheça as grandes vantagens dos champôs sólidos

Preparámos também uma lista de produtos que pode incluir na sua rotina de cuidados capilares.

Nas Bancas

Como salvar as suas plantas

Na ACTIVA Verde, já em banca, os conselhos para escolher e cuidar das suas plantas.

Nas Bancas

Este casal mostra-nos como é viver "fora da rede"

Uma casa de madeira foi o início da mudança.

Nas Bancas

Receitas (de chef): desperdício zero

Sabia que está a deitar fora uma das melhores partes dos seus legumes?

Comportamento

A sustentabilidade chegou ao sexo

Conheça quatro formas de ajudar a salvar o planeta entre quatro paredes.