@icewasonline

O momento mais aguardado por todos chegou: vamos desconfiar e, pouco a pouco, regressamos à liberdade. Com isto, é muito natural que sensações como a ansiedade, alguns receios, medos e dúvidas se manifestem e, atenção, tudo isto tem uma razão de ser.

Após a comunicação do plano de desconfinamento, mesmo que faseado, começa um role de emoções e sentimentos. A ansiedade fica em alerta: se, por um lado, podemos matar as saudades de uma série de coisas que gostamos de fazer; por outro lado, a rotina que ja está imposta é novamente alterada. 

O cérebro é reptiliano: acomoda-se e evita a mudança. Inicialmente, podemos sentir que é preferível a continuação da rotina que temos vindo a levar nas últimas semanas, mas a mudança é necessária… E a ansiedade faz parte deste processo.

Mude a Perspetiva

O primeiro passo – e o mais importante –  é tentar não ser muito exigente consigo mesmo. Sentir tudo faz parte do processo: dúvidas, receios, o stress de ter de gerir tudo de novo, as saudades e o aperto no coração ao deixar os filhos na escola, entre outros sentimentos. Todos vamos passar novamente por isso. Não temos de estar sempre preparados para tudo… e está tudo bem! Todos sabemos que as crianças se adaptam com facilidade a novos mundos e realidades, pois não exigem nada ou colocam pressão sobre si mesmas. Então, que façamos o mesmo.

Respeite as suas limitações

Muitas vezes, as pessoas sentem-se ansiosas por pensarem muito no futuro, o que gera medos e faz com que se sofram por antecipação. Concentre-se somente no que pode controlar e não se permita ficar nos  “e se”, “não concordo”, “ acho mal”… Estes pensamentos tiram o foco e provocam emoções negativas. Concentre-se em si mesmo e no que pode fazer para ter um dia a dia mais fácil e tranquilo.

Organize prioridades

Planeie o primeiro fim de semana fora em família, pois já o pode fazer e acredito que seja algo extremamente desejado. Se se sentir insegura, elabore a sua lista de segurança com os comportamentos que, para si, são aceitáveis e partilhe-a com o seu seio familiar. Ainda que se sinta receosa ou preocupada, lembre-se daquilo que a deixa mais motivada em regressar a uma vida sem limitações? As emoções que constam nessa lista são a motivação e a força de querer voltar à liberdade.

Alimente Pensamentos Bons

Continue a cuidar de si. Exprima o que sente com as pessoas em quem mais confia, pois, certamente, todos vão ter sensações similares. Faça exercício físico. Está confirmado que movimentar o corpo ajuda a controlar a ansiedade, além de agir como prevenção e tratamento complementar para transtornos mentais. Pratique uma boa alimentação e, ainda mais importante, prepare-se para um sono reparador e tranquilo.

Procure Ajuda Profissional

É normal que sinta um misto de sentimentos e emoções – é normal ter medo. Se os sintomas persistirem ou desencadearem outros ainda mais intensos, ou se, ainda assim, a nova realidade provocar medos e bloqueios e não conseguir definir objetivos, procure ajuda para ultrapassar esta fase.

O diagnóstico e a terapia são muito importantes, pois, além de serem uma ponte para o autoconhecimento, permitem a introdução de novos caminhos para ultrapassar as adversidades verificadas. O ser humano não gosta de incertezas e, em geral, é muito resistente a mudanças. Vários estudos já realizados afirmam que, muitas vezes, preferimos viver num desconforto que já é conhecido do que ter de gerir novas e incertas realidades.

Até quando vamos deixar que a ansiedade nos limite?

Palavras-chave

Assine uma destas revistas e escolha um presente grátis. Estadas em hotéis, produtos de beleza e muitos outros. Aproveite. Assine aqui

Relacionados

Diz Quem Sabe

O mindfulness pode ser uma solução muito necessária para as empresas

Um artigo de opinião assinado pela mental coach Joana Freitas, sobre esta filosofia de que tanto se fala nos dias que correm.

Diz Quem Sabe

Telefamília: como conciliar o trabalho com o agregado familiar?

"Os pais têm novos desafios e, por conseguinte, novas rotinas. Além do teletrabalho, têm de ser capazes de gerir as rotinas dos filhos, as aulas (se estiverem em idade escolar), as brincadeiras e as refeições, entre outras atividades". Um artigo de opinião assinado pela mental coach Joana Freitas.

Diz Quem Sabe

5 estratégias para cuidar da saúde mental durante o novo confinamento

Um artigo de opinião assinado por Joana Freitas, Mental Coach, sobre a importância de cuidar da mente no regresso do dever geral de recolhimento domiciliário.

Mais no portal

Nas Bancas

Manuela Roque: um exemplo de como as adversidades nos podem tornar uma pessoa melhor

Conheça a incrível história desta Mulher Real que celebramos na ACTIVA de fevereiro.

Moda

A Bershka tem jeans a 12,99 euros

Conheça a nossa seleção de 10 pares.

Saúde

Vacinas contra a COVID-19 não prejudicam casais que querem ter filhos

Este é o resultado de um novo estudo conduzido pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade de Boston, nos Estados Unidos.

Comportamento

De parceiros românticos a melhores amigos: 9 passos essenciais

Eis as recomendações de um psicólogo.

Comportamento

4 formas de dar a volta à procrastinação

De acordo com um psiquiatra.

#VozActiva

A lição de vida que Helena Isabel mais valoriza

Helena Isabel, a nossa protagonista de capa da edição de fevereiro (nas bancas) fala do que a vida lhe ensinou. Uma bela lição para ouvir no #vozactiva deste mês.

Celebridades

O drama de Kourtney Kardashian enquanto planeia o casamento

E que nada tem a ver com a cerimónia em si. Saiba o que se passa.

Saúde

Este medicamento comum pode prevenir abortos

E aumentar as chances de engravidar.

Beleza

Meghan remove a maquilhagem com estas toalhitas acessíveis

E amigas do ambiente - muito ao estilo da duquesa de Sussex.

Moda

Este vestido Zara não deixa ninguém indiferente

E é da cor do momento!

Moda

7 combinações de cores a experimentar em 2022

Inspire-se nestes "looks" que encontrámos nas redes sociais

Comportamento

A explicação simples para não sentimos atração por parentes próximos

Como, por exemplo, irmãos ou primos.