@cturpinmonikh

O impacto mais imediato da pandemia no mercado imobiliário em 2021 continua a ser a escassez do produto. Nos tempos que correm, o confinamento contribui bastante para que as pessoas não coloquem os seus imóveis à venda. Há um receio constante do contacto direto com outras pessoas e, por conseguinte, a oferta diminui.

Em regiões como, por exemplo, Lisboa, Porto, Aveiro e Algarve, observa-se uma desocupação resultante da ausência do Turismo. As cidades estão cheias de pessoas e, por outro lado, as casas estão mais vazias. Observa-se um impacto direto em zonas específicas como Alfama, Graça e Bairro Alto. Em alguns locais, verifica-se uma manutenção ou decréscimo dos preços. Na cidade, as pessoas estão cansadas de confinar em apartamento e procuram moradias na periferia ou apartamentos com espaços exteriores.

Por outro lado, o relacionamento das pessoas com os imóveis sofreu alterações, como já sabemos. A casa passou a ser o bem mais importante. Atualmente, vive-se em casa e só em casa. A rotina trabalho-casa, casa-trabalho, passou a ser casa-trabalho em casa, trabalho em casa-casa. Não é por acaso que as empresas de decoração e restruturação aumentaram as vendas durante a pandemia e, consequentemente, a faturação. As casas são para viver e trabalhar, sendo que observamos a necessidade de nos ajustarmos a esta nova realidade e de fazermos do nosso espaço, cada vez mais, o nosso lar.

Quando as medidas de confinamento terminarem, de que forma é que isso vai permanecer. Será que a rotina, agora esquecida, será recuperada? A verdade é que nada vai voltar ao que era. A memória coletiva desta nova realidade vai permanecer e a realidade é que as novas construções vão ser desenhadas e executadas a pensar em espaços mais amplos, moradias, apartamentos com terraços ou varandas, janelas amplas, mais suítes. As casas vão, sem dúvida, ser mais sustentáveis e direcionadas para situações de prevenção. Estamos a caminhar num novo sentido.

Para quem recorre a um mediador imobiliário para comprar casa, o consumo de energia está a tornar-se um assunto cada vez mais recorrente. Diria até que é um fator decisivo. Os níveis de consumo aumentaram e as pessoas estão cada vez mais preocupadas com os gastos que fazem dentro de casa. Não tenho dúvidas de que essa preocupação vai manter-se.

“Queremos um chão flutuante para ficar mais quentinho”. São alterações como esta que tornam a casa num lar. Ouvimos isto muitas vezes agora, enquanto mediadores imobiliários. Detalhes que, em anos anteriores, se mostravam insignificantes e eram considerados como um “extra”, passaram a ser imprescindíveis e determinantes na hora de dizer “negócio fechado”.

Apesar da mudança e dos ajustes à nova realidade, o ano 2021 tem-se revelado positivo para o setor imobiliário, em termos de receitas. A procura continua forte, apesar de a oferta ter diminuído radicalmente. Cada vez mais, verifica-se uma crescente tendência na procura de casas fora dos centros urbanos, que não sejam excessivamente longe dos locais de trabalho e com o máximo de deslocação dos empregos (entre 30 a 40 minutos de deslocação). No ano corrente, o mercado imobiliário viu grandes mudanças que vão alterar a conjuntura do ramo.

 

Palavras-chave

Relacionados

Lifestyle

5 dicas para encontrar a habitação perfeita durante a pandemia

Saiba o que deve prioritizar na altura de comprar uma casa nova, especialmente nos tempos que correm.

Lifestyle

Estarão as moratórias a “segurar” um possível crash imobiliário?

Um artigo de opinião de Hugo Silva, especialista em mediação imobiliária.

Mais no portal

Beauty Spot

As melhores técnicas e produtos para fazer sardas falsas

A rubrica Beauty Spot desta semana é dedicada a esta tendência divertida, que combina na perfeição com visuais mais naturais de maquilhagem.

É só uma sugestão

Falar de Livros: "D.A.D. - Desempregado, Artista, Dona de Casa" é um retrato humorista da vida de um pai

Um livro de Alexandre Esgaio publicado pela Suma de Letras.

Moda

Olivia Wilde elege sobretudo acessível para se proteger do frio em Londres

Não sabíamos que precisávamos de um sobretudo azul... até vermos um dos visuais mais recentes da atriz.

Comportamento

3 formas de manter a conta bancária emocional do seu relacionamento com saldo positivo

Este conceito está diretamente relacionado com a forma como os casais gerem discussões de conflito.

#ActivaEmCasa

Braços e pernas: cinco exercícios para maior definição muscular

Aqui fica mais um circuito de treino completamente gratuito, preparado e exemplificado por Susana Carromeu, coach do CrossFit Cais.

Beleza

Cabelo: Os produtos que temos de experimentar

Conhece as novidades mais recentes? Para fortalecer, dar brilhou ou obter o styling perfeito.

Moda

Inspire-se no que há de novo nestas marcas de moda populares

A nova estação traz muitas novidades e estas marcas dão o mote para o que vamos querer usar nos dias quentes.

Exclusivo
Beleza

Bárbara Corby: "Considero que a beleza vem de dentro"

A influencer é o novo rosto da Vichy em Portugal, depois de ter sido embaixadora digita da marca durante algum tempo. Em conversa com a ACTIVA falou sobre o novo papel e a a relação que tem com o mundo da beleza.

Imagem de Sucesso

Como usar o cinto para modernizar looks e valorizar a silhueta

Quer seja fino, grosso, de metal ou de couro, o cinto pode ser um grande aliado para no que toca ao styling.

Mulheres Inspiradoras

Joana Pessoa: um novo fado

É fadista desde os 15 anos, mas isso está longe de resumir a sua vida. Estivemos à conversa sobre escolhas, caminhos, filhos, divórcio, destino, amor, velhice, para voltarmos ao fado e fecharmos o círculo. Levei-lhe quase quatro horas de vida. É o que dá conversar com uma das mulheres mais interessantes que já entrevistei.

Comportamento

Existem quatro tipos de vinculação num relacionamento - saiba qual é o seu

Este tipo de apego é construído na infância e pode acabar por ter repercussões na vida adulta.