@ipoporto

A Medicina Física e de Reabilitação, como especialidade médica, tem um papel cada vez mais preponderante nos doentes com patologia oncológica. Graças aos avanços no conhecimento científico dos mecanismos biomoleculares do cancro e às novas oportunidades terapêuticas inerentes ao mesmo, é cada vez maior a sobrevida destes doentes.

Para que serve a reabilitação oncológica?

A Medicina Física e de Reabilitação visa promover níveis máximos de funcionalidade nestes doentes podendo intervir em todas as fases do processo de abordagem ao cancro (diagnóstico, pré-cirurgia, pós-cirurgia, durante os tratamentos adjuvantes de quimio e radioterapia, e após conclusão dos tratamentos). Pretende-se, assim, o regresso mais rápido possível às atividades da vida diária com as menores limitações possíveis.

Que tratamentos podem ser feitos?

Possui, para tal, um arsenal terapêutico vasto que engloba técnicas de cinesiterapia (fortalecimento muscular, mobilização articular e exercício físico terapêutico prescrito de modo individualizado), massoterapia (massagem de relaxamento muscular), medidas analgésicas (corrente elétrica TENS, mesoterapia e prescrição medicamentosa) ou a terapia complexa descongestiva (conjunto de técnicas de tratamento do linfedema que inclui massagem de drenagem linfática, pressoterapia mecânica, terapia compressiva com bandas multicamadas/mangas elásticas e exercícios físicos dirigidos).

Os cuidados da Medicina Física e de Reabilitação devem ser prestados no âmbito de uma equipa multidisciplinar. No hospital onde trabalho a equipa é constituída por médicos fisiatras, técnicos de Fisioterapia e de Terapia da Fala em articulação com equipa clínica oncológica. A formação em Reabilitação oncológica é, também, fundamental para a qualidade clínica dos cuidados prestados, assim como as instalações devem oferecer e assegurar o máximo de conforto, privacidade e acesso aos mais modernos equipamentos que contribuem em grande medida para os resultados que se esperam alcançar.

Em que situações é fundamental o suporte da MFR?

A prestação de cuidados de Medicina Física e de Reabilitação é dirigida a diferentes tipos de cancro e consequências do seu tratamento, salientando-se:

  • Deteção precoce de limitações articulares e físicas prévias ao tratamento adjuvante de radioterapia (com risco de limitação para a realização do tratamento ou agravamento com o mesmo)
  • Manutenção do condicionamento físico e redução da fadiga associada ao cancro e aos tratamentos adjuvantes (nomeadamente à radioterapia)
  • Tratamento complementar da dor oncológica
  • Recuperação pós-cirúrgica (cinesiterapia respiratória geral e dirigida a cancro do pulmão, recuperação de amplitudes articulares do braço e caixa torácica após cirurgia de cancro da mama, recuperação do descondicionamento físico associado ao internamento)
  • Recuperação da mobilidade de cicatrizes e prevenção da instalação de queloides ou hipertrofias
  • Reabilitação do pavimento pélvico em situações de incontinência urinária e/ou fecal (associadas a cancro da próstata, útero ou recto/cólon)
  • Prevenção e tratamento de linfedema do membro superior (em situações de cancro da mama) e do membro inferior (cancros uroginecológicos)
  • Tratamento de linfedema da cabeça e pescoço, assim como de limitações da fala e da deglutição associadas a cancros destas regiões

Em todas estas áreas de atuação da reabilitação o doente é um elemento central da equipa, sendo incorporado e ouvido em todas as decisões, que se pretendem informadas, esclarecidas e personalizadas. Esclarecimentos esses, que neste contexto de pandemia, passam muito pela tranquilização sobre medidas e circuitos de segurança que as unidades de saúde aplicam, uma vez que os doentes sentem receio de contágio pela COVID-19. Tal não é motivo para adiar o tratamento de reabilitação!

Com esta intervenção especializada de reabilitação oncológica os profissionais do serviço de Medicina Física e Reabilitação pretendem contribuir com os seus conhecimentos e experiência para melhorar os cuidados de saúde disponibilizados aos doentes com cancro.

Palavras-chave

Relacionados

Saúde

Cancro da mama em mulheres muito jovens é mais agressivo e tem diagnóstico tardio

Estas são as principais conclusões do maior estudo feito em Portugal sobre impacto do cancro da mama em mulheres muito jovens.

Saúde

Cancro da mama ultrapassa o do pulmão como o mais diagnosticado do mundo

Os dados são da Organização Mundial da Saúde, que alerta para a evolução preocupante da doença.

Saúde

Um novo e simples teste de urina pode detetar o cancro do útero

O cancro do colo do útero é a terceira neoplasia maligna mais comum em mulheres em todo o mundo.

Mais no portal

Celebridades

Ben Affleck e Jennifer Lopez namoram em público

O casal já não esconde que reatou o namoro.

Lifestyle

Dê uma nova vida à casa de banho com estas 5 ideias

Dicas simples que podem fazer toda a diferença.

Beleza

Eis a tendência de manicure mais arrojada para este verão

Quem se atreve a experimentar?

Saúde

A nossa libido aumenta mesmo durante a ovulação?

Sempre ouvimos dizer que sim. Entenda se é verdade.

Saúde

Este alimento é capaz de reduzir o colesterol quase instantaneamente

Inclua-o na sua alimentação diária.

Saúde

Gravidez: casos leves de Covid-19 não prejudicam o bebé

As informações são reveladas por um recente estudo.

Beleza

Não vai acreditar nesta nova tendência de cores de cabelo

Uma opção para as mais aventureiras.

Moda

7 macacões perfeitos para o verão

De assinatura Zara.

Saúde

5 mitos acerca de pessoas ansiosas

Entenda algumas das características associadas à ansiedade e que não são verdade.

Moda

Verde pastel: estas fotos servem de inspiração para começar a vestir a cor do momento

A cor faz sucesso entre os Millennials e a Geração Z.