@jackieaina

Os regressos – por vezes, felizes; por vezes, dolorosos – onde a ansiedade, os receios e medos começam a surgir, não podem controlar a nossa mente e comportamentos.

Regressar ao escritório não é novo e pode ser um fator positivo, no sentido em que permite rever os colegas e regressar à habitual azáfama do quotidiano profissional (da qual muitos já sentem saudades). Mas a mente pode ser traiçoeira, pois já está conformada com a rotina dos últimos meses e, como sabemos, sempre que surge alguma mudança, tende a complicar a adaptação.

A melhor forma de olhar para o regresso ao escritório é encará-lo como um desafio – e se é um desafio, é para vencer. Não será igual, mas certamente será especial. A verdade é que preparar a mente para regressar ao espaço físico pode ser mesmo um desafio para alguns.  Então, vamos preparar este recomeço de forma positiva?

  1. Reorganizar a agenda e horários. Acorde cedo e cuide de si antes de sair de casa. Estabeleça uma rotina: o horário de saída; as paragens, por exemplo, para levar os filhos à escola ou dar boleia a um colega; se vai de transportes, etc. Planeie tudo com antecedência para que nada se atrase.
  2. Velhas rotinas, novos hábitos. A mente facilmente retoma as velhas rotinas, ainda que com alguma diferença, por conta das medidas em vigor. Lembre-se de que, apesar das medidas estabelecidas pela DGS, é possível conversar com colegas, partilhar as experiências, as dificuldades e o que cada um aprendeu, e podem, agora, acrescentar levar essas mais-valias para o escritório.

  3. Ansiedade e medo. Não crie grandes expectativas e encare o medo como uma preparação, para não se descuidar nem falhar os compromissos próprios e com os colegas. A ansiedade é controlada a viver o presente, em reagir perante as adversidades que vão aparecendo. Não deixe dúvidas por esclarecer antes de regressar. Se sentir o stress a acumular, faça cinco respirações profundas e perceberá que a mente e o corpo ficam mais calmos e tranquilos.

  4. Partilhar momentos. Na pausa, ou durante o serviço, procure saber como cada colega passou os últimos tempos: as peripécias, os desafios, os filhos e a família, e partilhe o que sentiu. Existem vários assuntos a explorar para descontrair e descansar um pouco a mente. Além disso, está comprovado que os 10 minutos de pausa ajudam no aumento da produtividade e bem-estar… Então, não abra mão deles.

  5. Não fazer tudo num dia. Entre com calma. O que se comprometer a fazer, faça com consciência. É mais produtivo preparar o local de trabalho, estar com os colegas e ir fazendo as tarefas, pois o descontrolo sobre prazos pode levar a picos de stress que terão resultados negativos a médio prazo.

  6. Finalizar o dia. No regresso a casa, ou já em casa, estabeleça cinco minutos de relaxamento: oiça a sua música, beba um chá ou mesmo aquele copo de vinho e reveja o dia. Guarde apenas o melhor de cada dia e estabeleça uma barreira profissional. Não pense mais no que aconteceu ou como foi, desligue o trabalho. Em casa, durante as folgas e aos fins de semana, é tempo de dedicar-se a si e à sua família. Não dispense o lazer pois é fundamental para uma mente saudável.

Estes hiatos e rotinas fazem parte da pirâmide do sucesso, que, quando realizada durante vários dias sequenciais, apresentam resultados extremamente positivos – a nível profissional e pessoal.

Palavras-chave

Assine a ACTIVA

Deixe-se inspirar, assine a ACTIVA, na sua versão em papel ou digital, a partir de €2,00 a edição. Saiba tudo aqui ASSINAR

Relacionados

Diz Quem Sabe

As especificidades da saúde mental feminina - e como protegê-la

Estudos realizados denotam que as mulheres estão a sofrer mais com a pandemia, ao mesmo tempo que também são quem demora mais tempo a procurar ajuda.

Diz Quem Sabe

O impacto da automotivação nos relacionamentos amorosos

"Quando um casal tem os mesmos valores, as prioridades e os objetivos passam a ser os mesmos. E só assim a relação funciona, flui". Um artigo de opinião assinado pela mental coach Joana Freitas.

Diz Quem Sabe

Desconfinar: 5 dicas para gerir a ansiedade

"Dúvidas, receios, o stress de ter de gerir tudo de novo, as saudades e o aperto no coração ao deixar os filhos na escola. Sentir tudo faz parte do processo"

Mais no portal

Moda

Mafalda Carvalho mostra os desfiles (e as emoções) do último dia de Portugal Fashion

Veja tudo o que aconteceu na Alfândega do Porto.

Lifestyle

A Pizzaria Luzzo é uma das pérolas da Graça

Da comida ao ambiente, tudo é pensado para proporcionar refeições (e momentos) super agradáveis.

Lifestyle

Esta câmara trendy foi concebida para tirar selfies

Ela permite tirar, imprimir e partilhar fotografias em movimento. Um sonho para a Geração Z.

Beleza

5 cortes de cabelo clássicos que nunca saem de moda

Em equipa que ganha não se mexe.

Moda

Bailarinas: como usar estes sapatos clássicos de formas contemporâneas

Inspire-se nestas estrelas das redes sociais para adicionar estes sapatos versáteis e elegantes aos seus próximos visuais de outono.

Saúde

Cuidados a ter com a saúde íntima feminina quando as temperaturas descem

Eis as dicas de um ginecologista e obstetra dos hábitos a adotar nesta altura do ano.

Comportamento

Advogada elege as 5 razões mais comuns para o divórcio

Curiosamente, a traição não é uma delas.

Moda

Be The Change: tecidos reciclados e produção responsável com o selo de qualidade Tezenis

Uma coleção de ‘underwear’ bonita, sustentável e mais amiga do ambiente.

Diz Quem Sabe

Pele sensível e pele sensibilizada: entenda as diferenças

E saiba quais os cuidados a ter.

Saúde

Como os cuidados para bebés podem aliar-se à sustentabilidade

Opções para os pais que procuram produtos que causem o menor impacto possível no meio ambiente.

Diz Quem Sabe

A dor crónica não é um problema individual – é um problema de saúde pública

Um artigo de opinião assinado por um grupo de especialistas da Escola de Medicina da Universidade do Minho, a propósito do Dia Nacional da Luta Contra a Dor (15 de outubro).