Com tradução em Portugal para “atenção plena”, o mindfulness é um conjunto de práticas e ferramentas cientificamente comprovadas que ajudam a focar no presente, sem deixar que o passado ou o futuro afetem esse processo.

O objetivo é que todos tenham uma consciência muito ativa e consigam viver de uma forma fiel aos seus pensamentos, sempre no momento presente. É a solução para quem procura começar a sentir-se bem, estar ativo, atento e focado, determinado, e a ganhar alguma agilidade na resolução de eventuais problemas que possam surgir. É viver a vida consciente do momento presente, dos sentimentos e sensações que nos rodeiam; é aproveitar bem os dias e perceber que é possível vivermos melhor.

O mindfulness na Educação

Quer a nível empresarial, na saúde ou na política, a prática do mindfulness já começa a ser notória em alguns dos setores do nosso País. Mas… e na Educação?

As escolas e os colégios assumem um papel fundamental e impactante na formação dos adultos de amanhã. É na formação que se deve investir, de modo a criar boas práticas que permitam à criança conhecer-se de uma forma leve, desenvolver boas emoções, saber o que é certo, lidar com o errado e gerir emoções menos positivas. Através de um mergulho interior, a criança começa a ganhar consciência de si, a saber relacionar-se consigo, mas também com o outro. Aliás, este saber ser reflete-se, inevitavelmente, na construção de relações interpessoais, o que  constitui um dos  aspetos fundamentais para o desenvolvimento e progresso da sociedade.

Com o aumento dos níveis de ansiedade e de stress a que os mais novos estão expostos, e acreditando na importância que estas entidades exercem no desenvolvimento da sua personalidade, penso que esta temática merece mais atenção. Aqui ficam algumas vantagens da introdução do mindfulness a nível escolar:

  1. A ansiedade e stress diminuem, e as crianças percebem, com muita consciência, o que está acontecer ao seu redor, o que querem ou não querem;
  2. Conseguem identificar as suas próprias emoções e aprendem a lidar com elas;
  3. Vivem momento a momento e são elas que escolhem como querem viver o dia a dia – mesmo tendo um acontecimento negativo, conseguem voltar ao ambiente que querem viver e sentir;
  4. Melhoram a memória e a concentração;
  5. Diminuem os impulsos e aumentam o autocontrolo;
  6. Desenvolvem habilidades naturais na resolução de conflitos, através da empatia e da compreensão dos demais;
  7. Desenvolvem valores como a generosidade sentida, o altruísmo forte, a compaixão por todos.

Estudos realizados em países da União Europeia que já adotam esta prática a nível escolar salientam que os professores expressam que o stress diminui, os atestados médicos também e têm uma sala mais produtiva, silenciosa e harmoniosa. Na esfera familiar, os pais expressam que a comunicação se torna mais fácil, possibilitando a criação de laços mais confiantes e fortes com as crianças – que ficam mais concentradas e motivadas, estabelecem objetivos e começam a perceber alguns passos necessários para conseguirem atingir o que pretendem.

Vamos formar crianças e jovens mais felizes e seguros de si mesmos prontos para a vida adulta de uma forma mais plena e consciente?

Palavras-chave

Leia 6 meses GRÁTIS

Este verão assine a ACTIVA, CARAS, CARAS DECORAÇÃO, entre outras publicações do grupo Trust in News, por 1 ano e receba 6 meses de leitura grátis. Conheça todas as opções, incluindo as versões digitais. ASSINAR

Mais no portal

Moda

Esta tendência de swimwear improvável favorece peitos pequenos

Deixamos esta e outras sugestões para valorizar a área nas suas próximas idas à praia.

Saúde

4 bons motivos para começar a comer mais uvas

A sua saúde agradece.

Comportamento

Eis o que fazer quando se sente tentada a mentir

De acordo com uma psicóloga.

Imagem de Sucesso

Dicas para fazer as melhores compras em época de saldos

Este é o tema do novo episódio da rubrica Imagem de Sucesso.

Lifestyle

Estes casinos estão prestes a reabrir

Saiba quando os poderá visitar.

Mulheres Inspiradoras

Condessa D’Edla: a segunda mulher de D. Fernando II, que era artista e não agradava ao povo

A produção de capa da ACTIVA de agosto, protagonizada por Júlia Palha, foi fotografada num chalet conhecido como o "Chalet da Condessa”. Conheça a história desta mulher fascinante.

Saúde

Levantamento das restrições: um teste à eficácia da vacina para a COVID-19

Um artigo de opinião assinado pela Dra. Laura Brum, virologista dos Laboratórios SYNLAB.

Moda

Estes básicos da H&M prometem 'fazer bonito' em qualquer ocasião

Estas sugestões são bonitas, intemporais e surpreendentemente acessíveis.

Celebridades

Este foi o visual de gala preferido de Kate Winslet

A atriz caracterizou o vestido como "uma escultura bordada".

Saúde

O DIU pode causar queda de cabelo?

Saiba se tem alguma relação.

Comportamento

Psicóloga explica como perceber as diferenças entre amor e luxúria

A luxúria pode levar ao amor, mas eles não são a mesma coisa.

Celebridades

Anna Faris casou-se em segredo

A atriz e Michael Barrett namoram desde 2017.