@who

Hoje, dia 12 de Outubro, celebra-se o Dia Mundial das Doenças Reumáticas. E invoca-se a sua importância pelos milhões de doentes em todo o mundo que sofrem com este tipo de doenças.

Destaca-se a quantidade de doenças diferentes que se classificam nesta categoria, desde as supostamente mais benignas (mas mais frequentes), como a osteoartrite ou a osteoporose, até às potencialmente mais graves (felizmente mais raras), como algumas doenças autoimunes sistémicas. E ainda se sublinha o carácter universal deste tipo de enfermidades capazes de atingir quaisquer escalões etários, a forma como implicam sofrimento para doentes, familiares e cuidadores, como impõem um desgaste psicológico e financeiro a quem com elas convive, como representam um custo muito importante para toda a sociedade.

Estranho mundo este onde o dia celebrado é o da doença e não o do doente…

Porque se alguém merece ser alvo de qualquer tipo de celebração, de reconhecimento, de ajuda é exactamente cada um dos que, anonimamente ou não, sofre e suporta as vicissitudes de uma sorte que foi mais madrasta do que amiga. E também aqui existem filhos e enteados… Há alguns anos, era eu ainda aprendiz nas artes da medicina (felizmente ainda não parei de o ser!), lembro-me de ouvir uma doente comentar a propósito da sua doença (um Lupus Sistémico particularmente grave): “Se vou ter uma doença, que seja algo raro… um Ferrari!”

Estranho mundo este onde o sofrimento causado por doenças comuns é desvalorizado pela frequência e o exotismo, ainda que perigoso, é valorizado com orgulho!

Aqui reside o paradoxo deste dia: não existe nenhuma pessoa no mundo que não tenha (ou não venha a ter) uma doença reumática! Elas existem não só como consequência de disfunções imunológicas e alterações metabólicas, mas também como consequência do envelhecimento e, por isso mesmo, pela sua omnipresença, acabam muitas vezes por ser desvalorizadas ou mesmo ignoradas por médicos, cuidadores e até doentes que vêem em muitas doenças reumáticas, principalmente nas que têm um carácter degenerativo, apenas um desígnio do destino.

E claro, também existem os “Ferraris”, as doenças mais raras, complexas, a exigirem outro tipo de cuidados e a resultarem em outro tipo de complicações, mais graves, potencialmente fatais. E é nesta altura que médicos discutem quais as especialidades que devem tratar o quê, economistas analisam como devemos pagar e a quem e políticos discursam sobre o mérito dos seus projectos.

Conseguem imaginar como seria a saúde da nossa sociedade se cada um de nós se concentrasse de facto em contribuir para uma equipa global, onde os méritos inerentes ao nosso treino e aptidão fosse colocado numa perspectiva de equipa, onde de facto os doentes fossem o foco daquilo que fazemos. É notável a energia gasta em “animosidades institucionais”, sempre em nome dos doentes, sempre em prol da saúde da nossa população, sempre na defesa dos melhores interesses que, cada um de nós, tem a certeza serem os dos outros.

As doenças reumáticas são um universo demasiado grande para ser controlado e demasiado importante para ser ignorado. Por isso celebramos o Dia Mundial das Doenças Reumáticas. Porque temos a obrigação de não desistir, teremos de coordenar melhor os nossos esforços, valorizar mais o que temos e o que somos, reconhecer que todas as especialidades médicas, todos os profissionais de saúde, todos os decisores políticos têm o dever de fazer melhor e podem fazê-lo se colocarmos, de facto, o doente primeiro.

Este ano, a 12 de Outubro, deveríamos fazer algo verdadeiramente radical: celebrar o Dia Mundial do Doente Reumático!

*Este texto não é escrito de acordo com o novo acordo ortográfico

Os textos nesta secção refletem a opinião pessoal dos autores. Não representam a ACTIVA nem espelham o seu posicionamento editorial.

Palavras-chave

Na ACTIVA apresentamos-lhe mulheres e ideias inspiradoras nas mais diversas áreas. Acompanhe-nos, deixe-se inspirar e leia já esta revista. ASSINE AQUI

Mais no portal

Mais Notícias

A PRIMA gosta das cores de verão da Parfois, dos sabores frescos da Brigadeirando e da nova coleção da Joana Mota Capitão

A PRIMA gosta das cores de verão da Parfois, dos sabores frescos da Brigadeirando e da nova coleção da Joana Mota Capitão

Oceanos: Projeto FILMar da Cinemateca ajuda a perceber relação dos portugueses com mar

Oceanos: Projeto FILMar da Cinemateca ajuda a perceber relação dos portugueses com mar

A história do Ballett Gulbenkian

A história do Ballett Gulbenkian

A incrível inteligência dos porcos

A incrível inteligência dos porcos

Os destaques da semana: Um smartphone surpreendente e um relógio luxuoso

Os destaques da semana: Um smartphone surpreendente e um relógio luxuoso

O que especialistas em realeza dizem sobre o futuro financeiro do príncipe André

O que especialistas em realeza dizem sobre o futuro financeiro do príncipe André

Fotografe o Peugeot e-208 no Oeiras EcoRally e ganhe prémios

Fotografe o Peugeot e-208 no Oeiras EcoRally e ganhe prémios

Os nomes dos filhos das Kardashians têm uma coisa em comum

Os nomes dos filhos das Kardashians têm uma coisa em comum

PRIMA ECO. Quatro mulheres empenhadas na causa sustentável

PRIMA ECO. Quatro mulheres empenhadas na causa sustentável

18 erros de Português frequentes e que mancham a sua imagem

18 erros de Português frequentes e que mancham a sua imagem

Maria Cerqueira Gomes faz sucesso com visual verde a que chama

Maria Cerqueira Gomes faz sucesso com visual verde a que chama "manjerico"

Guia prático para preparar o seu jardim (ou varanda!) para o verão

Guia prático para preparar o seu jardim (ou varanda!) para o verão

Lisboa depois dos turistas

Lisboa depois dos turistas

Em

Em "Quero É Viver", Irene apanha Olga e Santiago na cama

Como a Salsa usa tecnologia para melhorar a interação com os clientes

Como a Salsa usa tecnologia para melhorar a interação com os clientes

Não pode ser só o setor público a pagar proteção da costa - Mourinho Félix

Não pode ser só o setor público a pagar proteção da costa - Mourinho Félix

Raquel André: Uma Língua Portuguesa afiada

Raquel André: Uma Língua Portuguesa afiada

Inspirações para relaxar

Inspirações para relaxar

As noites algarvias mudaram! Conheça o Vilamoura Night Village

As noites algarvias mudaram! Conheça o Vilamoura Night Village

Letizia recupera vestido de couro para presidir a entrega de prémios de sustentabilidade

Letizia recupera vestido de couro para presidir a entrega de prémios de sustentabilidade

Verão: o que devemos mudar na nossa alimentação

Verão: o que devemos mudar na nossa alimentação

Divulgado vídeo do 12.º aniversário de Cristiano Júnior

Divulgado vídeo do 12.º aniversário de Cristiano Júnior

Dulce Maria Cardoso “profundamente magoada” com adaptação do seu romance 'Campo de Sangue' ao cinema. O realizador, João Mário Grilo, ficou

Dulce Maria Cardoso “profundamente magoada” com adaptação do seu romance 'Campo de Sangue' ao cinema. O realizador, João Mário Grilo, ficou "surpreendido e chocado" com essa reação

Tecnologia Renault para os carros do futuro

Tecnologia Renault para os carros do futuro

As figuras da PRIMA 16

As figuras da PRIMA 16

Software italiano usado para espiar iPhone e Android

Software italiano usado para espiar iPhone e Android

CARAS Decoração de junho: retiros naturais

CARAS Decoração de junho: retiros naturais

Oeiras EcoRally arranca sexta-feira com a participação da Exame Informática

Oeiras EcoRally arranca sexta-feira com a participação da Exame Informática

Letizia recupera vestido de couro para presidir a entrega de prémios de sustentabilidade

Letizia recupera vestido de couro para presidir a entrega de prémios de sustentabilidade

Dez vestidos em malha que vai querer comprar nos saldos

Dez vestidos em malha que vai querer comprar nos saldos

3 formas de comunicar melhor quando estamos magoados

3 formas de comunicar melhor quando estamos magoados

Paulo Battista:

Paulo Battista: "Tenho clientes que querem fatos à Goucha"

Ministro diz que Cobnferência dos Oceanos é

Ministro diz que Cobnferência dos Oceanos é "oportunidade única"