Licenciou-se em Economia pela Faculdade de Economia do Porto, em 1977, foi professora universitária assistente e aos 24 anos já era assessora dos Laboratórios Bial para questões económico-financeiras.

Uma carreira invejável, que começou bem cedo. Em 1983 entrava no mundo da alta finança, primeiro como técnica de análise económica e financeira do BPA, depois como analista de investimentos internacionais do mesmo banco. De 1990 a 1991 ainda dirigiu a Companhia Portuguesa de Gestão de Fundos de Investimento Imobiliária.

É então que é recrutada para dirigir
Serralves. Em 1988, já com muita bagagem profissional, decidiu-se por uma pós-graduação em Análise Financeira na Faculdade de Economia da Universidade do Porto. ‘Uma pós-graduação ou um MBA (Master Business Administration) não fazem mal a ninguém. Mas acho um erro terrível fazê-los sem ter trabalhado durante uns quatro ou cinco anos. O mais importante é fazer reciclagem de conhecimentos ao longo da carreira: pode ser através de um MBA, uma pós-graduação, estudar muito por nossa conta, ler um guru da gestão e revistas especilizadas.’

ARRUMAR A CASA

Quando chegou a Serralves, encontrou ‘uma casa com pessoas muito motivadas, mas muito desarrumada’.

Começou a pô-la em ordem: definiu funções e procedimentos de compra de obras de arte, estabeleceu um organograma, correu atrás de mecenas, eliminou gastos supérfluos, reestruturou a carteira de aplicações financeiras da Fundação.

E como se consegue fazer o malabarismo entre o rigor das contas e as exigências de qualidade da arte?

‘É uma questão de negociação e diálogo: se gastarmos mais numa exposição, podemos convencer o artista a doar uma obra; podem existir custos que a partilhar com outra instituição. O segredo do nosso sucesso é não sermos mesquinhos ao ponto de dizer ‘não fazemos isto porque não há dinheiro’. Se não dinheiro aqui, arranja-se noutra coisa!’

A MARCA FEMININA

Entre o dinheiro e os egos, a gestora não tem dúvidas: ‘Custa mais gerir pessoas. Mas dá mais satisfação motivar e conquistá-las para o projecto, não deixar que se instalem climas de maldizer.’ É uma chefe muito exigente, admite. ‘Tenho alguns ataques de mau humor’, ri. ‘Mas sabem que sou leal a eles e que podem contar com o meu apoio para resolver os problemas.’

Quando recruta colaboradores, procura mais do que um bom currículo. ‘Claro que as boas qualificações são importantes.Mas valorizo muito a perseverança, entusiasmo, boa disposição. Gosto de pessoas com alguma emotividade, de bem consigo. Tento imaginar aquela pessoa a trabalhar aqui.’

Não acha que o facto de Serralves ter uma mulher aos comandos tenha feito a diferença. ‘No entanto, as mulheres podem ser mais perseverantes e boas executantes’, opina.

O que é preciso é ser um bom gestor: ‘Rigoroso mas flexível, sensível para a realidade, ter capacidade de decisão, porque as coisas não podem parar, ser dinamizador, dar feedback positivo e negativo. Um gestor é um maestro: imprime o ritmo, motiva as pessoas, dá-lhes segurança.’

O DESCANSO DA GUERREIRA

Mas nem tudo foram contas e arrumar a casa. Para descomprimir do stresse não dispensa duas sessões semanais de natação, muita leitura é fã incondicional dos escritores Ian McEwan e de Paul Auster e cinema.

Durante estes 14 anos, conseguiu conciliar uma carreira exigente com a educação de um filho adolescente, que hoje é um homem de 27 anos. ‘Tivemos muito apoio familiar e tentei que o tempo que passámos juntos fosse de grande qualidade e proximidade. Acho que resultou muito bem’, exclama com orgulho.

E ainda houve tempo para viver uma grande paixão que resultou em casamento. ‘Para nos sairmos bem profissionalmente temos de carregar baterias numa boa vida afectiva. Isso é o meu combustível: um casamento feliz e uma relação fantástica com o meu filho.’

FAÇA COMO ELA

Se planeia uma carreira na área da Economia e Gestão, eis algumas sugestões:
Universidade Católica Portuguesa, licenciatura em Administração e Gestão de Empresas.
Universidade do Algarve -Faculdade de Economia Licenciatura em Gestão de Empresas.
Universidade Nova de Lisboa -Faculdade de Economia Licenciatura em Economia.

Mais no portal

Imagem de Sucesso

As regras de estilo para escolher "looks" mais frescos sem descurar a elegância

Este é o tema do novo episódio da rubrica Imagem de Sucesso.

Diz Quem Sabe

Ervilha amarela: uma nova alternativa aos alimentos de origem animal?

Um artigo de opinião assinado pela nutricionista Ana Leonor Perdigão.

Diz Quem Sabe

Tudo o que precisa de saber sobre a reabilitação oncológica

Um artigo de opinião assinado pelo médico Énio Pestana, do Hospital CUF Cascais, sobre este tipo de cuidados.

Saúde

Podcast: Sandra Gomes Silva responde às nossas questões sobre vegetarianismo

Os prós e os contras de um tipo de alimentação que leva em conta preocupações éticas e ambientais. Afinal, precisamos mesmo da carne para sermos saudáveis?

Saúde

O vegetarianismo melhora a vida sexual? Eis o que diz a Ciência

Não podemos subestimar o poder de uma dieta à base de plantas.

Mulheres Inspiradoras

Tem mesmo de conhecer estas ambientalistas portuguesas

Aqui ficam alguns exemplos de mulheres que renovam diariamente o compromisso de conservação e preservação ambiental.

Beleza

Conheça as grandes vantagens dos champôs sólidos

Preparámos também uma lista de produtos que pode incluir na sua rotina de cuidados capilares.

Nas Bancas

Como salvar as suas plantas

Na ACTIVA Verde, já em banca, os conselhos para escolher e cuidar das suas plantas.

Nas Bancas

Este casal mostra-nos como é viver "fora da rede"

Uma casa de madeira foi o início da mudança.

Nas Bancas

Receitas (de chef): desperdício zero

Sabia que está a deitar fora uma das melhores partes dos seus legumes?

Comportamento

A sustentabilidade chegou ao sexo

Conheça quatro formas de ajudar a salvar o planeta entre quatro paredes.