Saia a bem do seu emprego

Sair com elegância da sua empresa pode ser fundamental para a sua carreira porque, em muitos casos, a última impressão é a que fica. Faltas de respeito, não avisar o chefe da saída dentro dos prazos legais e deixar trabalhos a meio podem ser fatais para o seu curriculum. A fim de evitar precipitações, leve em linha de conta algumas regras de conduta que preparámos especialmente para si e que podem ajudá-la a minimizar os estragos na hora da partida.

ESTÁ A SER PERSEGUIDA



Se está há anos sem ser promovida nem aumentada, não é incumbida de tarefas relevantes nem convocada para reuniões, deve ficar des obreaviso. O quadro fica ainda mais negro se o seu trabalho está sempre a ser criticado e ainda mais se for recorrentemente desautorizada perante subordinados, mas fica verdadeiramente insuportável quando todos os seus esforços e sugestões são ignorados e o chefe até evita cruzar-se consigo.



O que fazer – Não espere que as relações se degradem e tome providências porque a paciência tem limites. Quando o ambiente de trabalho é desgastante e confrangedor, mais cedo ou mais tarde, vai transformar-se numa pessoa amarga e irascível criando à sua volta uma imagem errada de si. Mexa-se para arranjar um novo posto de trabalho (quando se está empregada é mais fácil) e marque uma reunião a sós com o seu chefe.

Como actuar – Quandoo problema reside exclusivamente no mau relacionamento com o seu chefe, não deixe a corda esticar até ao limite. Para a maioria das pessoas, diferenças de personalidade e de opiniões inviabilizam a boa convivência profissional. Sempre que isso acontece, fale só de trabalho para não entrar em litígio, mas se mesmo assim não conseguir evitar o confronto, converse com o chefe e sejas incera: diga-lhe que está preocupada e que gostaria de melhorar o ambiente de trabalho. Alguns chefes gostam desta subserviência por necessidade de afirmação.

Na saída – Se chegarà conclusão que a sua saída da empresa é a única alternativa, tem duas opções:espera que a despeçam ou negoceia a sua rescisão do contrato. Normalmente a segunda hipótese é melhor para manter o curriculum limpo e também muito menos desgastante. " A saída por mútuo acordo implica quase sempre uma indemnização em função do tempo de serviço negociada entre a entidade patronal e o trabalhador", informa Eduardo G., responsável pelo Gabinete de Recursos Humanos de uma grande empresa. Nestes casos, é o próprio chefe – aliviado com a sua saída – que costuma dar boas referências de si ao futuro empregador. E nunca se esqueça: Por mais que tenha sido perseguida e injustiçada, nunca saia do seu emprego a espumar e muito menos aos gritos com ninguém. Reserve os comentários para os amigos.

A GOTA DE ÁGUA



As razões para isso podem ser as mais variadas e diferem de pessoa para pessoa, porém os sintomas são comuns à maioria dos mortais: desmotivação, cansaço e nervosismo permanente, que se manifesta quase sempre com atitudes de cólera e palavras furiosas para o chefe e também para os colegas. Ir para o local de trabalho deixa de ser um prazer para se transformar numa verdadeira dor de cabeça.

O que fazer – Não espere que a situação bata no fundo para procurar outra colocação até porque, nessas condições, o seu desempenho, a sua saúde mental e a maneira de lidar com os outros podem degradar-se tanto que corre o risco de ser demitida e até de criar inimizades para o resto da vida. "O pior é que quem está saturado, tem tendência para agarrar a primeira oportunidade de mudança que surge no seu percurso, fazendo, quase sempre, péssimas escolhas", adverte Eduardo G. O ideal é dispor de algumas horas por semana para procurar novo emprego, ou tire uns dias de férias para se dedicar a tempo inteiro a isso, mas não fale do assunto com ninguém e muito menos com os seus colegas de trabalho.

Como actuar – Se tomou mesmo a decisão de abandonar o seu emprego, não entre em detalhes sobre os motivos do seu descontentamento, pois, nessas situações, os mais instalado spodem não concordar com as suas razões e a sua franqueza pode criar alguns ressentimentos que acabam por ser prejudiciais para si. Antes de partir, diga ao seu chefe que a experiência foi gratificante e muito enriquecedora do ponto de vista humano e profissional, mas que deseja dedicar-se a outros projectos para diversificar o seu trabalho e assim poder desenvolver outras capacidades.

Na saída – Se estiver prestes a sair do seu local de trabalho sem ter outro garantido, não revele isso a ninguém e muito menos ao chefe, pois ficará clara a sua extrema insatisfação ou então vão pensar que é uma irresponsável. Lembre-se que a melhor altura para tomar uma decisão destas é entre Outubro e Maio, porque nos meses de férias normalmente não se admite ninguém. Depende naturalmente das empresas, porque as que trabalham com o turismo têm no Verão a sua época alta. Esforce-se por conseguir uma colocação rapidamente porque para além dos inevitáveis prejuízos financeiros, ficar vários meses em casa não é recomendável para o curriculum nem para o bem-estar emocional de ninguém. Como o mercado de trabalho não está fácil, se isso lhe acontecer, aproveite o período de férias forçadas para fazer cursos intensivos de línguas, de reciclagem profissional ou para lhe redireccionar a carreira.

MUDAR PARA MELHOR



Melhor salário e funções mais estimulantes aguardam por si dentro de poucos dias mas isso não é desculpa para largar os projectos que tem em mãos, deixá-los a meio e passar o resto do tempo na empresa a falar do seu novo emprego e das enormes vantagens que a troca lhe vai trazer.

O que fazer – Antes de desatar a falar do seu novo emprego com os colegas informe primeiro o seu chefe. O segredo ainda é a alma do negócio, por isso resista à tentação de falar das coisas antes de tempo.

Como actuar – Mesmo que tenha decidido aceitar o outro emprego, não deixe transparecer que a decisão está tomada. Não perca a oportunidade de sublinhar o quanto lhe agrada o que está a fazer, embora possa comentar que está sempre aberta a novas propostas. Assim a troca poderá ser entendida, quer pelos colegas, quer pelo chefe, como uma nova experiência para a enriquecer profissionalmente. E nunca se esqueça de dizer que só vai trocar de emprego porque recebeu uma proposta irrecusável.

Na saída – Se optar pela mudança, evite fazer comentários sobre as vantagens do novo emprego e muito menos criticar a empresa actual. Os seus colegas vão continuar ali e podem considerar as suas observações desajustadas e grosseiras. No novo emprego nunca fale mal do anterior porque se o fizer é vista como alguém pouco confiável, além de estar a desvalorizar a sua própria história profissional. Se o seu cargo for de chefia, evite levar pessoas da antiga empresa para a nova porque isso será considerado antiético pelas duas.



Regras Gerais



Qualquer que seja o motivo da sua saída é aconselhável:



· Se o seu contrato de trabalho tem mais de seis meses, deve avisar o seu chefe sobre a sua demissão com 30 dias de antecedência. "Se o contrato for superior a dois anos, o aviso deve ser feito dois meses antes da sua saída. Claro que estes prazos podem ser diferentes se forem acordados no momento da rescisão", sublinha o mesmo responsável dos Recursos Humanos.



· Enquanto estiver no emprego, esforce-se por cumprir os horários e terminar o trabalho que tem em mãos, não deixando tarefas incompletas para os outros. Se estiver nomeio de um longo projecto, prepare relatórios sobre o andamento do trabalho e ofereça-se para informar correctamente o seu substituto.



· Não descuide a aparência e não perca o sorriso. Os outros não têm culpa que as coisas não lhe estejam a correr bem.





· Quando se desvincular da empresa não se esqueça de transferir as moradas para evitar visitas desnecessárias ao antigo local de trabalho para ir buscar o correio. A experiência ensina que quem volta parece sempre arrependida e pouco à vontade com a situação.





· Tente recolher os seus pertences e esvaziar a mesa ou o seu gabinete de trabalho fora da hora de expediente. Sem ninguém por perto é menos constrangedor.





Relacionados

Lifestyle

Por que é que há tantos chefes incompetentes?

Fazemo-nos essa pergunta várias vezes por dia: como? Como é que os nossos chefes chegaram onde chegaram?

Lifestyle

O que podemos aprender com os chefes

Com cada tipo de chefe, há sempre alguma lição útil a retirar.

Lifestyle

Estratégias infalíveis para dar a volta ao chefe

Não há estatísticas, mas cada vez ouvimos mais pessoas a queixar-se dos chefes. Por isso fomos saber quais as melhores estratégias para aprender a lidar até com os impossíveis.

Lifestyle

6 passos para não sofrer no trabalho

O chefe tomou-a de ponta? A sua colega age consigo como uma vilã de telenovela? Deixou de ter vida pessoal e a pressão está a levá-la à loucura? A solução está na mudança de algumas formas de pensar

Lifestyle

Como subir na vida depressa e bem!

Se quer subir alguns degraus na hierarquia da sua empresa, há regras elementares que não deve perder de vista. Neste aspecto os homens ganham-nos, muitas vezes, aos pontos. Aprenda com eles e com os conselhos da dr.ª Ana Afonso, especialista em psicologia do trabalho.

Mais no portal

Moda

Fomos espreitar as propostas da Primark e estes são os nossos 10 acessórios preferidos

Os acessórios must-have para os dias de calor

Moda

Quem disse que não há lugar para fatos num armário de primavera?

Dos tons neutros aos mais vibrantes; das silhuetas justas às oversized, é impossível resistir a estes 10 conjuntos coordenados.

Beleza

Cabelos: três tendências inspiradas nas Deusas do Olimpo

Confira as sugestões Jean Louis David.

Lifestyle

Aos fins de semana, há 'brunch' na Doca de Santo

Com vista para o Tejo.

Moda

Uns ténis para quem não tem medo de brilhar debaixo dos holofotes

Os novos ténis da marca Puma em colaboração com Dua Lipa

Celebridades

Harry aterra no Reino Unido sem Meghan e reencontra-se com o irmão

A propósito do funeral do avô, Philip.

Moda

Estas cinco combinações de cores são a definição de luxo

Quer dar mais cor ao seu guarda-roupa? Então, inspire-se nestes visuais que encontram equilíbrio em apostas inesperadas.

Moda

Parfois: 10 artigos imperdíveis em promoção

Confira as sugestões que selecionámos.

Saúde

Um beijo, três consequências para a saúde oral

O Dia do Beijo celebra-se anualmente a 13 de abril, e Portugal não foge aos festejos. Aqui ficam três consequências (boas e más) deste gesto de carinho na saúde oral.

Body Shaper

A receita caseira que combate três grandes preocupações estéticas das mulheres

No novo episódio da rubrica Body Shaper, partilho uma massagem que ajuda a eliminar a celulite, a má circulação e a retenção de líquidos.

Saúde

CDC declara racismo ameaça à saúde pública

A agência americana focou-se no impacto deste a nível físico e emocional.