65.gif

Nuno Montenegro projetou o edifício com uma série de elementos que suscitam interrogações. As figuras humanas recortadas em paredes e portadas, as formas oculares nos balcões da entrada, a fórmula H2O gravada no teto da sala de convívio são os mais visíveis.

FG+SG Fotografia de Arquitectura

Orientado a sul, o edifício fica no topo do terreno, exercendo a sua influência arquitetónica sobre uma extensa área. Ao fundo, a densa mata forma um cenário natural. Subindo a comprida rampa, em betonilha clara, ladeada por espaços relvados, o volume paralelepipédico, que ao branco dominante soma superfícies em preto, revela as suas contidas aberturas geométricas. No piso superior, uma janela quadrada emoldura um vão revestido com centenas de pedras e um rasgo retangular ilumina um dos pátios interiores. No térreo, recuado em relação ao primeiro andar, há uma sequência de figuras humanas recortadas nos painéis da entrada.

Contornando o edifício, que está parcialmente enterrado, pouco se percebe a diferença de cotas, lentamente absorvida nas paredes da construção. “A relação dos corpos e o dimensionamento dos vãos coadjuvam na redução da escala. A Escola Superior de Tecnologia e Gestão, com 4200 metros quadrados, é a maior do Instituto Politécnico de Beja e, no entanto, parece a mais pequena”, nota o arquiteto Nuno Montenegro.

Refletindo sobre o conceito de escola, “o que significa habitar intermitentemente uma construção dedicada ao pensamento?”, Nuno Montenegro projetou o edifício com uma série de elementos que suscitam interrogações. As figuras humanas recortadas em paredes e portadas, que ora habitam os espaços, ora enquadram a natureza envolvente, as formas oculares nos balcões da entrada, a fórmula H2O gravada no teto da sala de convívio e a sanca em lágrima na escadaria do piso inferior são os mais visíveis. O que representam? Mas há ainda outros elementos, que só os observadores mais perspicazes decifram: a pequena porta da entrada principal dá acesso a uma área com um pé-direito de 15 metros, os corrimãos são em escada, os vãos interiores repetem-se para anular as hierarquias espaciais adjacentes e as portas estreitas e altas no interior tornam-se largas e baixas no exterior. O que significam?

O desafio é lançado por elementos arquitetónicos, pretende-se que alunos, docentes e visitantes assumam uma postura crítica em relação ao próprio edifício, mas deve ser aplicado sobretudo no contexto académico. “O pressuposto é interrogar, para posteriormente procurar respostas e, finalmente, aprender com esse processo informal de obtenção e transformação da informação”, explica o arquiteto. Já escrevia Honoré de Balzac, no século XIX, que “a chave de todas as ciências é, inegavelmente, o ponto de interrogação”. O projeto responde, deste modo, ao novo paradigma universitário, herdeiro de Bolonha, que concede ao aluno um papel mais interventivo e autónomo.

Palavras-chave

Mais no portal

Saúde

Este alimento é capaz de reduzir o colesterol quase instantaneamente

Inclua-o na sua alimentação diária.

Celebridades

Kate fala sobre Lilibet, a filha de Harry e Meghan

Saiba o que a duquesa disse acerca da sobrinha.

Celebridades

Estará Neymar novamente apaixonado?

O atleta pareceu deixar uma indireta nas redes sociais.

Saúde

Gravidez: casos leves de Covid-19 não prejudicam o bebé

As informações são reveladas por um recente estudo.

Beleza

Não vai acreditar nesta nova tendência de cores de cabelo

Uma opção para as mais aventureiras.

Moda

7 macacões perfeitos para o verão

De assinatura Zara.

Saúde

5 mitos acerca de pessoas ansiosas

Entenda algumas das características associadas à ansiedade e que não são verdade.

Moda

Verde pastel: estas fotos servem de inspiração para começar a vestir a cor do momento

A cor faz sucesso entre os Millennials e a Geração Z.

Beleza

Quais são as diferenças entre BB cream e CC cream?

Ambos são adorados no mundo da beleza e têm funções distintas.

Saúde

Estudo mostra que as bebidas alcoólicas pioram os sintomas da TPM

Uma taça de vinho pode aumentar em 45% as hipóteses de a mulher ter tensão pré-menstrual.