Desenhada à mão.gif

Ao fundo, na cozinha, destaque para a caixa de armários, que, além de arrumação, funciona como isolante. Desenhada pelo arquiteto, assim como o sofá em L.

Anabela Trindade

Pouco se sabe sobre a história desta casa,  junto ao porto de Leixões, adquirida por Paula e José Manuel Freitas Ferreira.O casal, ela gestora, ele arquiteto, encontrou-a por acaso numa das muitas investidas pela cidade do Porto e arredores. No jardim, existia uma construção de dois pisos, árvores de fruto e muito mato. Apesar de abandonado, ainda se apercebiam algumas características da viragem do século XIX para o século XX – como os dois planos retangulares e os percursos a direito. Existiam ainda vestígios de arcos românticos, em ferro, com plantas a envolvê-los. Hoje, toda a área exterior está cuidada, uma obra da Cirurgias Urbanas, em conjunto com os proprietários. Muitas das árvores e plantas foram preservadas, assim como a ‘namoradeira’, que hoje está alinhada com a porta da rua. Ainda do lado de fora da casa destaca-se a arcada cujo corredor de passagem é interrompido pela escadaria exterior que conduz ao piso superior. O arco junto à cozinha foi criado pelo arquiteto, para prolongar este ritmo da fachada virada ao jardim. “Só a parte de cima é nova, de resto toda a pedra do arco, do chão, do percurso e da entrada é de origem”, diz Freitas Ferreira.

O granito e o pinho de flandres testemunham as várias épocas de construção e remodelação da casa, datável de há cerca de 150 anos, provavelmente anterior à construção do porto, mesmo em frente. Na sua gramática decorativa existem alguns pormenores marítimos, como a vigia da antiga casa de banho no alto da escadaria exterior. Freitas Ferreira testemunha: “Apresenta todo o traçado de uma casa de férias, igual às da Foz, com zona reservada a empregados na mansarda. Tinha um armazém enorme, em baixo, muito compartimentado, e um quarto pequeno para os donos da casa.”

Entretanto, o passar dos anos foi-lhe dando outras utilidades até chegar às mãos deste casal. As obras demoraram ano e meio. Os interiores, antes confusos, são hoje amplos: “Aproveitámos o que foi possível. Em termos de intervenção, o princípio foi sempre o de manter tudo ao máximo.” No living foi construída uma caixa onde se alternou o reboco e os armários, isolando os interiores das grossas paredes de pedra. O arquiteto usou e abusou de tetos falsos, pois apenas conseguiu conservar um teto com estuques de época no piso superior. Rebaixou os restantes, para dar mais conforto e intimidade aos ambientes. O pavimento do living não existia, por causa de uma grande infiltração que destruiu a metade da casa virada a leste. Só o descobriram quando começaram a picar as paredes, que acabaram por cair devido ao mau estado dos tabiques e traves de madeira.

“Construtivamente, nota-se que a parte debaixo recuada era de uma casa mais antiga, por causa das pedras aí utilizadas. Mantive o pinho da flandres e o pinho de riga antigo no pavimento e na estrutura”, diz o arquiteto, adiantando ainda: “E optei pelo pinho no pavimento do living e da entrada, que é novo.” Já no quarto do filho o chão é todo de madeira antiga, recuperada da obra. O do quarto de casal é de pinho novo. Neste, a lareira era em madeira, agora recriada com a ardósia dos percursos do jardim. A zona de vestir, em corredor e com acesso direto à casa de banho, espelhada, instalou-se no estreito espaço da antiga cozinha. Este quarto comunica diretamente com o jardim através das escadas da arcada.

A escada ondulante, instalada no hall e que dá ao living, tinha uma claraboia, que caiu. O arquiteto redesenhou-a, mas agora numa versão contemporânea. O rodapé marmoreado, à cor da madeira, desapareceu quase por completo. Existe apenas no corredor dos quartos. “Tivemos um problema e estragaram-se as madeiras e marmoreados. Mantive o que consegui de portadas. O que não consegui, desenhei igual. Mudei os puxadores, que eram de madeira, mas arranjei uns dentro do mesmo contexto. Em contrapartida, mantive as fechaduras, com quase 150 anos, que continuam a funcionar.” Um caso de recuperação notável em que o antigo foi salvaguardado com todo o cuidado, sempre na medida do possível.

Palavras-chave

Mais no portal

Moda

Hoje, temos todos lugares marcados na primeira fila do desfile de Elisabetta Franchi

Uma apresentação digital imperdível da coleção FW21/22.

Imagem de Sucesso

Renove o closet com estas propostas de peças clássicas - e cheias de estilo

No novo episódio da rubrica Imagem de Sucesso, mostro alguns exemplos de artigos de movas que nunca irão falhar-vos.

Saúde

Afinal, o que significam as áreas desbotadas no tecido das cuecas?

É uma coisa perfeitamente normal e tem uma explicação muito simples.

Fora da Caixa

Estas lojas online são verdadeiros paraísos para quem tem caracóis

Encontro tudo o que preciso (e muito mais) para cuidar do meu afro nestas plataformas.

Moda

Tons pastel: não há dúvidas de que o lilás é a sensação do momento

Aqui ficam três sugestões de visuais que incorporam a cor romântica.

Saúde

Não escovar os dentes pode causar estes problemas de saúde inesperados

Pelo bem da saúde em geral, este é um hábito que não deve ser descurado.

Comportamento

Isto é melhor do que qualquer pedido de desculpas

Num relacionamento, durante uma discussão de conflito, existem seis passos que ajudam os casais a evitar que a negatividade fique fora de controlo

Moda

A elegância de uma camisa branca em 20 combinações infalíveis

Esta é bem capaz de ser a peça mais versátil do seu guarda-roupa.

Pera Doce

'Querido diário': fui vegan durante duas semanas e agora não quero outra coisa

Durante duas semanas, fiz-me à cozinha, usei ingredientes que me eram completamente estranhos e não meti nem uma fatia de queijo na boca. Isto foi o registo da experiência.

Saúde

4 hábitos saudáveis que podem prejudicar a saúde oral

Não escolhemos uma fotografia de alguém a beber um sumo verde por acaso.

Beleza

Revelado o produto de beleza que Angelina Jolie tem sempre na mala

A atriz é fã de um óleo facial aquoso conhecido pelas propriedades hidratantes e antienvelhecimento.

Comportamento

Comportamentos gordofóbicos variam consoante o biótipo das mulheres

Se duas mulheres tiverem o mesmo peso e altura, a localização da gordura corporal altera o nível de preconceito de que são alvo.