12376-330-1.jpg

Num vão de escada, a figura do papa João Paulo II em cera, exceutada por especialistas do museu Madame Tussauds

Gavin Jackson

Knightsbrige, Londres. A fachada é de 1830, de traça vitoriana. Lá dentro, o cenário nada tem de conservador. Roland Emmerich, realizador de ascendência germânica, urdiu uma verdadeira rebelião interior. Para tal, apelou à intervenção criativa de John Teall, designer da Flux Interiors. “Foi um desafio absoluto”, lembra Teall, reduzindo a conversa inicial com Emmerich à seguinte frase: “Dá-me um interior que dê um pontapé na moral e faça com que os vizinhos mais coscuvilheiros tenham vontade de chamar a polícia.” Era mesmo o que Teall queria ouvir: “Para mim, a decoração de interiores não é puxar o saco a mulheres de futebolistas… é, sobretudo, uma passagem de energia criativa e artística.” Trabalhar com Emmerich foi, segundo Teall, “uma experiência compensadora”.“O Roland tem uma mente aberta fantástica”, elogia o designer de interiores.

Como seria de esperar de um realizador como Emmerich, expressões políticas e propagandísticas dão o mote à decoração, em grande parte devido a uma viagem a Xangai, onde o realizador encheu a mala de estatuetas kitsch, de Mao a Lenine. Tudo começou com um cartaz de propaganda comunista: “Pintámos toda uma parede a partir deste poster. Gostámos tanto, que decidimos fazer o mesmo noutra e depois noutra e noutra…”A abundância de ‘estrelas vermelhas’, cenários de batalhas políticas e imagens de ditadores (podemos sentar-nos num confortável sofá sobre a cabeça de Saddam ou Stalin) vai para além da inteligência visual. “Não podemos viver com a mente direcionada num único sentido. É por isso que normalmente não gosto do humor no design – depois de olharmos o objeto, a anedota acaba-se numa fração de segundo. O humor só funciona quando se processa algo em ti; quando te agarra, te revolve, desarma e te consegue alimentaro pensamento”, defende o cineasta.

O duplo objetivo de Emmerich e Teall foi o de criar uma casa que, por um lado, fosse convidativa, relaxante e agradável de estar. Por outro, deveria estar apetrechada com temas que tivessem um profundo significado, capaz de inspirar e suscitar reflexões e conversas. É por isso que na casa de banho adjacente ao quarto inglês com um toque de realeza se encontra uma sequência subliminar mostrando Camilla, Duquesa da Cornualha, a ser ‘regada’ por um pénis mitológico. É também por isso que se pode passar a noite na companhia do presidente iraniano Ahmadinejad, fotomanipulado de modo a parecer uma pin-up, a presidir sobre a mesa-de-cabeceira lateral, enquanto um despertador em metal, de contornos fálicos, se evidencia na outra cabeceira. E é também por isso que na sala é mais do que provável perdermo-nos na contemplação das mesas especialmente desenhadas por John Teall, uma para albergar uma maqueta com miniaturas do cenário do homicídio de Kennedy, outra a retratar a infame traição no banco traseiro de um carro protagonizada por Hugh Grant. Outra das mesas é uma réplica da prisão Abu-Ghraib. Após um olhar mais preciso, conseguem vislumbrar-se cenas de tortura que ali tiveram lugar. “A arte a duas dimensões nunca é funcional”, diz Teall, mas se a integrarmos numa mesa onde pousamos o café e a torrada torna-se tridimensional, estimulante e funcional. Uma casa verdaderamente irreverente que, só por si, dá um filme.

Palavras-chave

Mais no portal

Imagem de Sucesso

As regras de estilo para escolher "looks" mais frescos sem descurar a elegância

Este é o tema do novo episódio da rubrica Imagem de Sucesso.

Diz Quem Sabe

Ervilha amarela: uma nova alternativa aos alimentos de origem animal?

Um artigo de opinião assinado pela nutricionista Ana Leonor Perdigão.

Diz Quem Sabe

Tudo o que precisa de saber sobre a reabilitação oncológica

Um artigo de opinião assinado pelo médico Énio Pestana, do Hospital CUF Cascais, sobre este tipo de cuidados.

Saúde

Podcast: Sandra Gomes Silva responde às nossas questões sobre vegetarianismo

Os prós e os contras de um tipo de alimentação que leva em conta preocupações éticas e ambientais. Afinal, precisamos mesmo da carne para sermos saudáveis?

Saúde

O vegetarianismo melhora a vida sexual? Eis o que diz a Ciência

Não podemos subestimar o poder de uma dieta à base de plantas.

Mulheres Inspiradoras

Tem mesmo de conhecer estas ambientalistas portuguesas

Aqui ficam alguns exemplos de mulheres que renovam diariamente o compromisso de conservação e preservação ambiental.

Beleza

Conheça as grandes vantagens dos champôs sólidos

Preparámos também uma lista de produtos que pode incluir na sua rotina de cuidados capilares.

Nas Bancas

Como salvar as suas plantas

Na ACTIVA Verde, já em banca, os conselhos para escolher e cuidar das suas plantas.

Nas Bancas

Este casal mostra-nos como é viver "fora da rede"

Uma casa de madeira foi o início da mudança.

Nas Bancas

Receitas (de chef): desperdício zero

Sabia que está a deitar fora uma das melhores partes dos seus legumes?