179693002.jpg

Getty Images/Wavebreak Media

Há quem goste de muita coisa, de pouca, e de nada. Mas no Facebook gostamos principalmente que gostem de nós: e há 10 anos que somos, quase todos, em maior ou menor grau, viciados em ‘likes’. 
“Somos todos humanos e gostamos de receber atenção”, reconhece Andrew Keen, autor do livro ‘Digital Vertigo’ (Vertigem Digital). “As redes sociais são a cocaína da era digital e estamos todos viciados”, alerta Keen, que admite ser ele próprio dependente.
A palavra vício não é só uma maneira de dizer: um estudo da Universidade de Harvard mostra por que é que não conseguimos desapegar-nos do nosso ‘quintal’ e de dizer ao mundo que almoçámos esparguete com almôndegas. Para o cérebro, contar aos outros qualquer coisa sobre nós é altamente aditivo. Ou seja, dá-nos uma poderosa sensação de prazer, que aumenta conforme o tamanho da audiência. 
Isto também explica certos comportamentos estranhos, como os ladrões que postam fotos de si próprios durante o próprio ato de roubar, por exemplo, ou os adolescentes que matam e depois dizem ‘foi fantástico aparecer na CNN’. 
Ou seja, o que nos atrai não é o Facebook ele próprio: é a quantidade de oportunidades para a autopromoção que oferece, e aquilo que pode fazer aumentar a nossa autoestima: sim, há quem esteja melhor do que nós, mas também há quem esteja pior. 
“Podemos postar o que estamos a pensar, fotos nossas, dar a nossa opinião, exibir a opinião dos outros”, resume o psicólogo Hudson Brewer, da Universidade do Massachusetts Medical School, na secção ‘Vícios e recuperação’ do jornal ‘Huffington Post’. “Junte-se à receita um pouco de reforço intermitente (nunca sabemos quando virá o próximo ‘like’, que é aliás o mesmo esquema dos casinos) e temos uma fórmula imbatível.”

Podem destruir-nos… ou animar-nos a vida
Mas o que é que um simples ‘like’ pode fazer de nós? Ao que parece, seres vazios: “Muita gente não sabe estar só”, nota a psicóloga Clara Soares. “A certa altura, tornamo-nos tão públicos que não resta mais nada para partilhar, não temos nada dentro de nós que não seja uma montra, pronto a consumir. A certa altura, estamos constantemente a fazer encenações e nem sabemos bem do quê.”
A cultura dos ‘likes’ corresponde em espelho à nossa adoração por ‘reality shows’: “E depois vê-se como é que as pessoas descompensam quando saem”, nota Clara. “O síndroma do ecrã é muito descompensador, porque fora do olhar dos outros não sobra nada. Vive-se do espelho. Vive-se da adrenalina que dá, e quando a ‘droga’ acaba vem a ressaca.” 
Ou seja, estou a pôr aquilo que sou fora de mim? “Claro. Está a compensar com o olhar do outro aquilo que não sabe se está lá, como um bebé que precisa do olhar da mãe para saber quem é. O mundo funciona como a mãe, e quando o mundo retira o olhar, não somos nada, e a situação deixa de ser sustentável.”
Portanto, ficar viciado em ‘likes’ pode ser um problema. Mas atire a primeira pedra quem nunca ficou mais animada e se sentiu melhor graças a um simples ‘like’… 


Ficamos mais ou menos sós no Facebook?
As duas coisas, conforme o usamos. Ou seja: há estudos que provam as duas coisas: que o Facebook nos pode tornar mais solitários (se só andamos por lá como um fantasma a cuscar as vidas dos outros e a sentirmo-nos mal por comparação) e menos (se andamos a comentar, a partilhar, a conversar e a fazer novas amizades). Portanto, usem o Facebook… para se tornarem  mais felizes. 

Relacionados

Lifestyle

Tem uma relação saudável com o Facebook?

Esta rede social pode trazer-nos muitos benefícios mas também pode ...

Lifestyle

Quanto tempo lhe custa uma hora no Facebook?

Um estudo recente contabilizou o tempo que passamos online e quanto...

Lifestyle

As 15 Pessoas mais irritantes do Facebook

Do que não pára de nos adicionar a vários grupos ao que só posta an...

Lifestyle

Facebook aumenta a nossa auto-estima

Redes sociais incentivam o narcisismo e melhoram a autoestima.

Mais no portal

Lifestyle

5 dicas de Mindy Weiss para organizar o casamento perfeito

Weiss é a organizadora de eventos favorita de Hollywood, sendo que,...

Comportamento

Vamos desmistificar o mito da virgindade?

Recentemente, o rapper T.I. gerou controvérsia ao revelar que subme...

Lifestyle

Josefinas vence prémio internacional por campanha contra a violência doméstica

A marca portuguesa de calçado está de parabéns.

Moda

15 ténis brancos aprovados para o outono

Queremos um de cada, por favor!

Moda

Quatro modelos de ténis que arrasam em qualquer look de festa

Para quê sacrificar o conforto, certo?

Comportamento

Missão amor-próprio: como descobri-lo, alimentá-lo e evitar armadilhas

Gostar de nós próprios devia ser
a nossa primeira missão na vida, m...

Moda

3 peças que aliam o código streetwear e o da alta-costura

Para 'looks' com personalidade.

Moda

Conheça a Maria por trás da marca portuguesa de bodies Maria.Bodyline

A marca encantou várias "It-girls", incluindo a italiana Francesca ...

Beleza e Saúde

Diz quem sabe: Como comer de forma saudável fora de casa

Momentos esporádicos de diversão com família e amigos são desejávei...

Beleza e Saúde

6 maneiras simples de cortar calorias durante o dia

Pequenas mudanças na forma de comer e cozinhar vão diminuir a sua i...

Moda

Tezenis x Mr. Wonderful: é impossível resistir a estes pijamas!

Diversão e originalidade são as palavras de ordem nesta colaboração.

Celebridades

People's Choice Awards: Kim e Kourtney Kardashian protagonizam momento constrangedor na red carpet

Nas redes sociais, os fãs acusaram Kim de querer protagonismo.