146948101.jpg

Getty

AFP/Getty Images

Fiquei cá a pensar nisso, por um lado com certa pena dela por não a ver mais entusiasmada com esta nova aventura, por outro a considerar que – embora "assentar" não signifique deixar de ter vida social –  há um tempo para tudo na vida e que quem não se adapta está a correr atrás não sabe de que ilusão. 

  Há pessoas assim, que embora estejam bem continuam a olhar para o lado na ânsia de não sei quê que às tantas é melhor.
  Uma coisa é não deixar de sonhar, outra é a maturidade que as circunstâncias exigem e que se não se ganha, é uma constante fonte de frustração.

Eu que nunca fui uma party girl – cumpria as minhas obrigações profissionais e sociais, que começaram cedo e me faziam estar em alguns eventos, o que por sua vez fez com que nunca sentisse a ânsia de "mundo" e "liberdade" normal nessas idades – nunca percebi as raparigas que o eram. Acompanhava as minhas amigas a alguns sítios da moda e como toda a gente tenho um punhado de boas memórias, mas…as boas memórias são das raras noites que foram realmente divertidas. 

Sejamos muito honestos – isso de sair à noite é, 50% das vezes, fazer um esforço tremendo para se divertir e outras tantas, uma pessoa fingir que se diverte. Basta fazer um resumo daquilo que é "ir para a night", pelo menos aqui para as minhas bandas:

– Faz-se tempo num café ou bar qualquer até às duas da manhã, que é quando as pistas abrem, à moda de Ibiza (que tem tudo a ver com o friozinho que às vezes faz por cá e com o facto de não se estar exactamente de férias). Bebem-se cafés para ter andamento e não cabecear de sono. Quando chega a hora de ir para a dita bailação, os pés já estão massacrados de andar de um lado para o outro na calçada portuguesa com os saltos de sair.

– Chega-se ao clube ou discoteca e corre-se para o primeiro sofá disponível. Poupam-se os pés para as músicas preferidas, porque as outras não valem o sacrifício.

– Ainda bem que se conversou tudo o que se tinha a conversar nas duas horas extenuantes no bar anterior, porque a música está tão alta que ninguém percebe patavina.

– Não sei ao certo como as coisas estão agora – entretanto abriram imensos sítios com música dos anos 80 e coisas dessas, cantigas com princípio, meio e fim, que permitem dizer "não quero dançar esta, danço na próxima" – mas há uns anitos a música house era de rigueur em praticamente toda a parte: quem não apreciava ou fingia apreciar era parolo. O pior é que por cada hit engraçado, eram três músicas chatas de doer- por isso era ver todo o mundo, 80% do tempo,a abanar-se sem vontade nenhuma. E isto horas. Loucura!

– Vai-se beber qualquer coisa  porque ninguém aguenta tanta maçada completamente sóbrio. Esperam-se tempos esquecidos no bar. Ai os pés!

CLIQUE PARA LER O RESTO

Assine uma destas revistas e escolha um presente grátis. Estadas em hotéis, produtos de beleza e muitos outros. Aproveite. Assine aqui

Relacionados

Moda

Crónica: Dos jeans rotos de Doña Letizia: ser moderno (a) é uma virtude?

Disse o escritor e teólogo  G.K. Chesterton "cada época foi salva por um punhado de homens que tiveram a coragem de não serem actuais". A que ponto é aconselhável ser-se a 100% um homem - neste caso, uma mulher - do seu tempo?

Beleza

Crónica: "Ele nunca me viu sem maquilhagem"...say what?

No outro dia fiquei surpreendida ao ler uma entrevista com a famosa maquilhadora Charlotte Tilbury, em que ela - com uma experiência de 20 anos ao lado dos maiores rostos da moda e senhora de uma pele impecável - confessa que dorme SEMPRE maquilhada. Considerando que é ruiva natural, deve ter uns genes à prova de bala para aguentar uma rotina tão nociva!

Moda

Crónica: Estilo infalivel para dias de preguiça (ou de pressa): Model off duty

As manequins, um pouco como as bailarinas, ganham a vida aperaltadas - saltos vertiginosos, muita maquilhagem, cabelos em constante e cansativa mudança, toilettes exigentes - por isso, nos seus momentos de lazer, optam geralmente por um estilo simples e muito chic, a que se junta a beleza do seu porte.É um visual espartano, que fascina os seguidores atentos da indústria de moda pela ausência de pretensão...e por ser fácil de usar, claro.

Comportamento

Crónica: A problemática do piropo

A questão dos piropos tem estado  on fire nos social media e revistas online (sobretudo americanas) e ainda não atinei com a fonte. Se calhar isso é secundário, porque o assunto vem à baila de tempos a tempos - mesmo por cá, no ano passado.

Lifestyle

Crónica: ''Nada é tão forte como a gentileza e nada é tão suave como a verdadeira força"

Uma das maiores tolices que se pode fazer é acreditar em bravatas - ou cair em bravatas. 

Mais no portal

Beleza

Meghan remove a maquilhagem com estas toalhitas acessíveis

E amigas do ambiente - muito ao estilo da duquesa de Sussex.

Moda

Este vestido Zara não deixa ninguém indiferente

E é da cor do momento!

Moda

7 combinações de cores a experimentar em 2022

Inspire-se nestes "looks" que encontrámos nas redes sociais

É só uma sugestão

Contra: refeições deliciosas num espaço icónico em Lisboa

Localizado nas Docas de Santo Amaro, na capital, garante momentos saborosos à beira-rio.

Saúde

Covid-19: Mesmo com teste negativo, evite sair de casa se tem este sintoma

Parece ser bastante comum na variante Ómicron.

Comportamento

A explicação simples para não sentimos atração por parentes próximos

Como, por exemplo, irmãos ou primos.

Saúde

10 segredos simples para emagrecer rápido

Adote estes hábitos que aceleram o processo sem prejudicar a saúde.

Moda

Esta peça básica é a "cola" de todos os visuais de inverno

Provavelmente já a tem no guarda-roupa.

Comportamento

4 dicas práticas para aumentar a autoestima

De acordo com uma escritora, consultora e especialista na interseção de felicidade e tecnologia.

Comportamento

Diferenças comuns que podem colocar a sua relação em perigo

De acordo com uma psicóloga.

#VozActiva

Helena Isabel: "As pessoas podem ser bonitas de diferentes maneiras e em qualquer idade"

No #vozactiva deste mês, a protagonista de capa da nossa edição de fevereiro (nas bancas) fala da relação entre a beleza e a idade.

Comportamento

O tamanho não importa, mas há uma coisa que as mulheres valorizam bastante

De acordo com diferentes estudos sobre o assunto.