iStock-155285790.jpg

mbbirdy

Quando Gordon Ramsay disse que se recusa a comer refeições de avião, abriu uma verdadeira caixa de Pandora.

“Trabalhei para companhias aéreas durante 10 anos, portanto sei onde a comida esteve, para onde vai e quanto tempo leva a chegar a bordo,” disse o famoso Chef ao Refinery29, que sugere fazer uma refeição ligeira como, por exemplo, queijo e presunto, antes do voo.

E se a afirmação do apresentador nos fez considerar abdicar da comida durante um voo, parece que o item que se segue é o café. Os assistentes de bordo têm partilhado fatos surpreendentes e um, em particular, dá que pensar, no que às bebidas diz respeito.

“Os assistentes de bordo não bebem água quente no avião. Eles não bebem café ou chá simples,” revelou um membro de uma tripulação ao Business Insider.

Porquê? Porque nem sequer a tripulação conhece o horário de limpeza dos recipientes nos quais a água fica armazenada. Aliás, testes realizados em 2013 concluíram que uma alta percentagem dos aviões tem bactérias na água servida a bordo. As bactérias encontradas pertencem ao grupo Coliforme que, embora tenha pouca probabilidade de deixar alguém doente, também pode indicar a presença de E.Coli.

O Businesss Insider contactou a Associação de Assistentes de Bordo (AFA, na sigla em inglês), uma união que representa a classe nos Estados Unidos, que fez o seguinte comunicado.

“A água a bordo é regulada sob a Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos para garantir que há água potável no avião. A Associação de Assistentes de Bordo insistiu para que houvesse este regulamento há mais de 15 anos e este dá uma ampla discrição às companhias aéreas sobre a frequência com que devem testar a água e descarregar os tanques. A AFA não acredita que esta regulamentação vá longe o suficiente ou seja suficientemente reforçada.”

Relacionados

Mais no portal