A Cor Púrpura é um daqueles livros de quase todos ouvimos falar. Existe até uma adaptação cinematográfica! Eu nunca tinho lido este romance de Alice Walker e sentia que estava em falha. Decidi recentemente culmatar essa falha e posso desde já dizer: que história marcante!

O início da obra é logo um murro no estômago. Depressa percevemos que estamos perante um relato cru da realidade de muitas mulheres que viveram no sul dos EUA numa altura mais conservadora e repressiva (e será que essa época já terminou?). Celia escreve cartas sinceras e até algo ingénuas a Deus, nas quais relata momentos do seu dia, faz confissões, expõe dúvidas, revela medos e desejos. É impossível não sentir empatia por esta mulher ao longo das páginas do livro. As cartas são escritas do jeito que fala, tornando-a genuína, nossa amiga e confidente.

Ao longo da narrativa, assistimos à evolução desta protagonista ao londo de vários anos. Sofremos com as suas dores e injustiças de que é alvo às mãos de uma realidade patriarcal. Sentimos orgulho nas conquistas que vai fazendo e na forma que encontra para se afirmar e empoderar.

Além de ser um relato duro e cru sobre o papel da mulher pobre e negra no sul dos EUA, A Cor Púrpura é também uma lição de força. Uma história que merece todo o reconhecimento que recebeu e que deve continuar a ser transmitida pelas gerações. Tem uma mensagem intemporal de luta pela igualdade, força, resistência e amor. Afinal, é possível encontrar o amor mesmo nas situações mais adversas. Pelos outros, pelo mundo e por nós. 

Sinopse:

Celie, de 14 anos, escreve cartas a Deus para tentar compreender o que lhe está a acontecer. Órfã de mãe, abusada pelo homem a quem chama “pai”, separada da irmã, Netie, privada dos dois filhos e oferecida em casamento a um homem que a maltrata, considera-se «uma negra, pobre e feia”. Até que conhece Sugar, a amante do marido. Com a ajuda de Sugar, «a mulher mais linda» que ela viu na vida, Celie descobre não só o paradeiro da irmã desaparecida mas também o próprio corpo, o prazer, o amor e, acima de tudo, a sua voz.

Romance epistolar composto pelas cartas que Celie endereça a Deus com uma honestidade brutal e pelos relatos de viagem que Nettie lhe envia de uma missão em África, A Cor Púrpura aborda temas como a violência brutal a que estavam sujeitas as mulheres negras no início do século XX, a relação dos negros com o seu passado de escravatura, e a busca do espiritual num mundo cruel e sem sentido.

Palavras-chave

Relacionados

Mais no portal

Imagem de Sucesso

As regras de estilo para escolher "looks" mais frescos sem descurar a elegância

Este é o tema do novo episódio da rubrica Imagem de Sucesso.

Diz Quem Sabe

Ervilha amarela: uma nova alternativa aos alimentos de origem animal?

Um artigo de opinião assinado pela nutricionista Ana Leonor Perdigão.

Diz Quem Sabe

Tudo o que precisa de saber sobre a reabilitação oncológica

Um artigo de opinião assinado pelo médico Énio Pestana, do Hospital CUF Cascais, sobre este tipo de cuidados.

Saúde

Podcast: Sandra Gomes Silva responde às nossas questões sobre vegetarianismo

Os prós e os contras de um tipo de alimentação que leva em conta preocupações éticas e ambientais. Afinal, precisamos mesmo da carne para sermos saudáveis?

Saúde

O vegetarianismo melhora a vida sexual? Eis o que diz a Ciência

Não podemos subestimar o poder de uma dieta à base de plantas.

Mulheres Inspiradoras

Tem mesmo de conhecer estas ambientalistas portuguesas

Aqui ficam alguns exemplos de mulheres que renovam diariamente o compromisso de conservação e preservação ambiental.

Beleza

Conheça as grandes vantagens dos champôs sólidos

Preparámos também uma lista de produtos que pode incluir na sua rotina de cuidados capilares.

Nas Bancas

Como salvar as suas plantas

Na ACTIVA Verde, já em banca, os conselhos para escolher e cuidar das suas plantas.

Nas Bancas

Este casal mostra-nos como é viver "fora da rede"

Uma casa de madeira foi o início da mudança.

Nas Bancas

Receitas (de chef): desperdício zero

Sabia que está a deitar fora uma das melhores partes dos seus legumes?