O Doutor Finanças recomenda que se aproveite o momento atual para rever as condições associadas ao crédito habitação, porque as poupanças podem ser consideráveis.

“O crédito habitação e as despesas que estão associadas a este contrato representam uma fatia significativa do orçamento das famílias. Contudo, as condições que conseguimos quando comprámos a casa não têm de ser eternas. Por isso, devemos rever as condições do nosso crédito com alguma periodicidade. O melhor é analisar o que está a ser oferecido no mercado, dos spreads aos seguros, e não esperarmos por estarmos numa situação de maiores dificuldades”, comenta Rui Bairrada, CEO do Doutor Finanças.

Desta forma, a empresa especializada em finanças pessoais e familiares partilha seis dicas sobre como reduzir os encargos com o crédito habutação:

Quanto pagamos? E o que pagamos?

Para poder reduzir os encargos que temos, precisamos de saber exatamente quanto gastamos por mês. Devemos fazer o levantamento de tudo, desde condições do crédito até aos produtos associados. Para começar, devemos responder às seguintes questões: Quanto pagamos de prestação da casa?; Qual o spread associado?; E a TAEG?; Temos o crédito indexado a uma taxa fixa ou variável?; Quanto tempo falta para terminar o contrato?; Que seguros temos e quanto pagamos?; O que pagamos de comissões?

Após a resposta a estas questões, temos de pesquisar e perceber o que está a ser praticado no mercado. Se atualmente temos um spread de 1,5%, existem bancos a oferecer um spread mínimo inferior a 1%. A partir deste ponto, já teremos as ferramentas necessárias para tentar melhorar as condições do nosso crédito.

Negociar condições com o banco

Uma das primeiras coisas que podemos fazer é entrar em contacto com o nosso banco, questionando qual é a abertura para reverem as condições do nosso crédito. Uma vez que já temos a noção do que está a ser praticado no mercado, temos as ferramentas necessárias para poder questionar todas as condições oferecidas pelo nosso banco.

Pedir outras propostas

Após ouvirmos o nosso banco, devemos pedir propostas a outras entidades financeiras. Neste domínio, o Doutor Finanças pode ajudar, uma vez que sendo um intermediário financeiro tem um poder negocial e um conhecimento superiores ao de um particular, não cobrando aos clientes por este serviço.

Transferir o crédito para outro banco

No caso de outro banco oferecer condições melhores do que as oferecidas pelo nosso, podemos transferir o crédito para outra instituição. Esta decisão permite rever todas as condições. Além de podermos conseguir um spread mais baixo do que o atual, podemos optar por outro indexante no nosso crédito e repensar se é preferível uma taxa variável (Euribor), uma taxa fixa ou uma mista (primeiros anos taxa fixa e depois variável). O momento que vivemos está a ser marcado por juros atrativos, pelo que é uma boa altura para tentar tirar proveito das taxas de juro baixas.

De realçar que, se optarmos por transferir o crédito, há uma outra “prestação” que vamos deixar de pagar: a comissão pelo processamento da prestação, que deixou de ser cobrada nos contratos celebrados a partir de 2021.

Rever os seguros associados ao crédito

Podemos fazê-lo de diferentes formas:

a) Se a nossa decisão é negociar apenas com o nosso banco, quando estivermos a negociar as condições gerais, devemos colocar os seguros como despesa também a rever;

b) Se as nossas condições de crédito são já muito atrativas, podemos questionar o nosso banco sobre a revisão apenas dos seguros;

c) Ao transferir o nosso crédito para outra instituição, devemos avaliar o que será mais vantajoso: subscrever os seguros com o banco que vai financiar o crédito ou subscrever através de outra entidade.

Reduzir ou alargar o prazo do crédito

As necessidades ou os desejos de poupança, diferem de pessoa para pessoa. No caso do crédito, poupar significa pagar o mais depressa possível. Mas, no dia a dia, muitas pessoas precisam de poupar no imediato e, aqui, a solução poderá ser outra.

Para quem tem folga orçamental, a recomendação é que reduza o prazo do seu crédito. Diminuir o número de meses a pagar vai implicar uma poupança real no final do contrato. Para quem a necessidade é reduzir o encargo imediato, a solução pode passar pelo aumento do prazo de financiamento. Neste caso, pagará menos agora, mas mais ao longo do contrato.

Mesmo que a poupança seja de 10 euros mensais, devemos pensar que no final de 12 meses já estamos a falar de 120 euros. Soluções para reduzir os encargos com o crédito habitação não faltam. O essencial é que decidamos fazê-lo e não esperar por melhores dias, nem por estarmos numa situação desesperante. O segredo é a antecipação.

Palavras-chave

Relacionados

Finanças de A a Z

Tudo o que deve saber antes de contrair um crédito pessoal

Este é o tema do novo episódio da rubrica Finanças de A a Z.

Lifestyle

Finanças pessoais. Esta pode ser a solução para evitar a situação de incumprimento

Numa altura de grande incerteza, fim das moratórias e redução de rendimentos, este serviço pode ser muito útil.

Lifestyle

7 dicas para entrarmos em 2021 com a vida financeira arrumada

A empresa Doutor Finanças partilhou dicas importantes nesse sentido e nós somos todas a ouvidos.

Mais no portal

Beauty Spot

As melhores técnicas e produtos para fazer sardas falsas

A rubrica Beauty Spot desta semana é dedicada a esta tendência divertida, que combina na perfeição com visuais mais naturais de maquilhagem.

É só uma sugestão

Falar de Livros: "D.A.D. - Desempregado, Artista, Dona de Casa" é um retrato humorista da vida de um pai

Um livro de Alexandre Esgaio publicado pela Suma de Letras.

Moda

Olivia Wilde elege sobretudo acessível para se proteger do frio em Londres

Não sabíamos que precisávamos de um sobretudo azul... até vermos um dos visuais mais recentes da atriz.

Comportamento

3 formas de manter a conta bancária emocional do seu relacionamento com saldo positivo

Este conceito está diretamente relacionado com a forma como os casais gerem discussões de conflito.

#ActivaEmCasa

Braços e pernas: cinco exercícios para maior definição muscular

Aqui fica mais um circuito de treino completamente gratuito, preparado e exemplificado por Susana Carromeu, coach do CrossFit Cais.

Beleza

Cabelo: Os produtos que temos de experimentar

Conhece as novidades mais recentes? Para fortalecer, dar brilhou ou obter o styling perfeito.

Moda

Inspire-se no que há de novo nestas marcas de moda populares

A nova estação traz muitas novidades e estas marcas dão o mote para o que vamos querer usar nos dias quentes.

Exclusivo
Beleza

Bárbara Corby: "Considero que a beleza vem de dentro"

A influencer é o novo rosto da Vichy em Portugal, depois de ter sido embaixadora digita da marca durante algum tempo. Em conversa com a ACTIVA falou sobre o novo papel e a a relação que tem com o mundo da beleza.

Imagem de Sucesso

Como usar o cinto para modernizar looks e valorizar a silhueta

Quer seja fino, grosso, de metal ou de couro, o cinto pode ser um grande aliado para no que toca ao styling.

Mulheres Inspiradoras

Joana Pessoa: um novo fado

É fadista desde os 15 anos, mas isso está longe de resumir a sua vida. Estivemos à conversa sobre escolhas, caminhos, filhos, divórcio, destino, amor, velhice, para voltarmos ao fado e fecharmos o círculo. Levei-lhe quase quatro horas de vida. É o que dá conversar com uma das mulheres mais interessantes que já entrevistei.

Comportamento

Existem quatro tipos de vinculação num relacionamento - saiba qual é o seu

Este tipo de apego é construído na infância e pode acabar por ter repercussões na vida adulta.