A marca nacional de swimwear, Papaia Praia, foi fundada, em 2017, pelas mãos de uma mãe e duas filhas que partilham entre si a paixão e ambição de dar asas a este projeto que eleva as mulheres.

Com o objetivo de fazer a mulher sentir-se mais segura e confiante numa ida à praia, a marca é dirigida a mulheres reais, conscientes do seu corpo. Os modelos, marcados pela qualidade, diversidade, sustentabilidade e valorização da silhueta feminina, aposta no fair trade, privilegiando a mão de obra nacional e justa.

Nós estivemos à conversa com as fundadoras desta marca de swimwear que recentemente se estendeu para uma linha de roupa, para falar do processo criativo por detrás destes modelos que empoderam as mulheres.

A mais recente novidade da marca é a sua primeira coleção de roupa. O que as motivou a alargar do mercado de swimwear para uma linha de roupa?

Este ano quisemos tirar o pé da areia e ir para além da praia. Além da paixão que toda a equipa tem por criar, pensar fora da caixa e ter projetos novos sempre a acontecer, sentimos muitas vezes que o swimwear nos limita no tempo e nos torna uma marca sazonal. Como nós queremos acompanhar a nossa comunidade durante todo o ano, ter sempre algo a comunicar, novidades para contar e não desaparecer e aparecer com as estações do ano, decidimos fazer esta coleção cápsula para perceber o interesse do nosso público. Até ao momento, a coleção está a ter uma incrível aceitação por parte das nossas clientes, pelo que pode vir a ser uma realidade permanente, fazendo a transição para uma linha permanente com lançamentos constantes, algo que também é nosso objetivo.

Quais foram as principais inspirações durante o processo criativo da mais recente coleção de biquínis e agora da novidade da marca, o some.wear?

Pode parecer um cliché mas é verdade! A atual situação pandémica pela qual todos passamos, e que é comum ao mundo inteiro, influenciou a forma como compramos, como nos relacionamos e como nos vestimos. A simplicidade e o conforto ganharam terreno em todas as áreas, na moda inclusive. Numa marca cujo lema sempre foi “the comfortable way of summer” – “o lado confortável do verão” – isso não podia passar ao lado. Assim, deixámos de vez os folhos e laços e na Bloom Collection assumimos cortes mais simples e que privilegiam o conforto. Em relação à linha some.wear a inspiração veio diretamente da nossa experiência, de todos os dias passados em casa a querer estar confortáveis e, simultaneamente, bonitas e confiantes. Acho que é exatamente conforto e elegância que estas peças levam às nossas clientes, e daí o nome ser precisamente some.wear. Além de ser um trocadilho para distinguir da coleção de swimwear, o nome define exatamente aquilo que queremos: que estas peças sejam usadas somewhere.

Durante o processo criativo o nosso foco é sempre o sentimento que a cliente vai ter quando veste uma peça nossa, e essa premissa torna a nossa marca diferenciadora. Pensamos e desenhamos as nossas peças para que tragam toda a confiança e segurança a quem as usa. Além disso, temos uma componente muito humana, personalizada e próxima no atendimento ao cliente.

De onde surgiu o nome Papaia Praia?

Esta é a pergunta que nos é feita com mais frequência, mas para a qual não tenho nenhuma resposta muito interessante. A nossa marca começou quase por acidente e de forma muito orgânica e por isso o nome não foi pensado de uma forma estratégica. Estávamos em 2017, numa altura em que quase todos os padrões tinham frutas tropicais, e um dos nossos primeiros modelos tinha imensas papaias e achámos engraçado o facto de rimar com praia. A única decisão a tomar foi “Papaia Praia ou Praia Papaia?”. E a minha mãe disse logo “Papaia Praia!”. Assim ficou.

Hoje em dia, a moda é muito sobre diversidade e autenticidade. Isso foram valores implementados na Papaia Praia?

Claro, procuramos a diversidade e a autenticidade quando desenhamos as nossas peças, e é por isso que fazemos coleções com modelos muito diferentes entre si. É com a diversidade que mais nos identificamos. Sabemos que todas somos diferentes: não há corpos iguais, cada uma de nós tem as suas seguranças e inseguranças mas também não há moods iguais. Quando falamos de swimwear não temos só que lidar com o físico de cada uma, temos uma ligação direta ao mindset e a forma como cada mulher pensa o seu corpo. Assim, a diversidade é algo que temos sempre em mente. Queremos que, as nossas peças, acabem com as inseguranças em relação ao corpo e à exposição do mesmo. Acreditamos que as nossas peças, por serem tão distintas entre sim, são autênticas e valorizam a diversidade.  

Quais são os best-sellers da marca?

Os nossos best-sellers são o biquíni Sofia e o fato-de-banho Helena, modelos que já consideramos os clássicos da marca. Foram, até ao momento, os únicos modelos com direito a reposição e a aceitação continua a ser enorme. Nesta nova coleção, online desde o início de maio, os queridinhos das nossas clientes são o fato-de-banho Diana, o biquíni Clara e o biquíni Olivia. Em relação à nossa coleção de roupa, o some.wear, que tem tido uma enorme aceitação, a loucura tem sido com o macacão Faith e o macacão Freedom, estando já o stock mesmo a terminar.

Quem são as pessoas que vestem Papaia Praia?

Mulheres reais! Este sempre foi o nosso mindset e acreditamos que, ao pensarmos assim, estamos a atrair estas pessoas para a nossa comunidade. A mulher que veste Papaia Praia sente-se segura e confiante, empoderada pelas nossas peças. Não são mulheres perfeitas mas são mulheres conscientes do seu corpo que sabem que, nas nossas coleções, encontram modelos que as fazem sentir bem e sem medos.

A sustentabilidade é uma premissa que sempre quiseram implementar na marca?

Sim. Hoje em dia isso já não devia ser opção para as marcas. Sabemos que a moda é uma indústria altamente poluente e prejudicial para o meio ambiente, pelo que fazemos todos os possíveis para reduzir a nossa pegada ambiental. Desde o início da nossa produção que usamos, sempre que possível, lycras que são produzidas através de plásticos e redes de pescadores que ficam acumuladas no fundo do mar. Também tentamos ao máximo evitar o plástico e o desperdício no nosso packaging. Além disso, somos uma marca fair trade em todo o processo criativo e de produção, privilegiando a mão de obra nacional e justa.

O que podemos esperar da marca no futuro?

Esperamos continuar a crescer junto das nossas clientes e a fazê-las sentir-se cada vez mais confiantes e empoderadas. Queremos continuar a evoluir no mercado de swimwear produzindo mais modelos e tendo mais padrões disponíveis por coleção. E queremos, mesmo muito, arriscar com algumas coleções cápsula de produtos diferentes, provavelmente em colaboração com outras marcas ou criadores, uma vez que gostamos de criar essas sinergias. E quem sabe trazer novidades já no inverno.







Palavras-chave

Mais no portal

Mais Notícias

Livros: 7 novidades e um passatempo

Livros: 7 novidades e um passatempo

Já começou a campanha eleitoral de 'Miúdos a Votos'!

Já começou a campanha eleitoral de 'Miúdos a Votos'!

A primeira foto de Carolina Carvalho após dar à luz

A primeira foto de Carolina Carvalho após dar à luz

VOLT Live: como serão os custos dos carregamentos em 2023

VOLT Live: como serão os custos dos carregamentos em 2023

Mesa ILtavolo 2.0: design e sustentabilidade

Mesa ILtavolo 2.0: design e sustentabilidade

O imperativo da liderança para a cibersegurança

O imperativo da liderança para a cibersegurança

Bacia do Barlavento algarvio continua com quantidade de água abaixo da média

Bacia do Barlavento algarvio continua com quantidade de água abaixo da média

Comissão de Avaliação dá parecer favorável à mina de lítio em Montalegre

Comissão de Avaliação dá parecer favorável à mina de lítio em Montalegre

Número de casas à venda em Portugal cai para mínimos de 15 anos

Número de casas à venda em Portugal cai para mínimos de 15 anos

Homem do Leme: Anna

Homem do Leme: Anna

Parecer final dá luz verde à mina de lítio em Montalegre

Parecer final dá luz verde à mina de lítio em Montalegre

Aquecimento: o decorativo e escultórico radiador Milano

Aquecimento: o decorativo e escultórico radiador Milano

Letizia dá uma nova vida à sua saia branca plissada (que demorou três anos a estrear!)

Letizia dá uma nova vida à sua saia branca plissada (que demorou três anos a estrear!)

Quem trabalha na televisão?

Quem trabalha na televisão?

Burnout num ambiente laboral incendiário, sem extintores e cheio de pirómanos

Burnout num ambiente laboral incendiário, sem extintores e cheio de pirómanos

Portugal ultrapassa objetivo europeu de convidar 90% da população-alvo para rastreio do cancro da mama

Portugal ultrapassa objetivo europeu de convidar 90% da população-alvo para rastreio do cancro da mama

Maior avião elétrico e a hidrogénio voa durante dez minutos no Reino Unido

Maior avião elétrico e a hidrogénio voa durante dez minutos no Reino Unido

Testagem à covid-19 a passageiros oriundos da China mantém-se até final de fevereiro

Testagem à covid-19 a passageiros oriundos da China mantém-se até final de fevereiro

Em “Flor Sem Tempo”: Catarina e os irmãos choram a morte da mãe

Em “Flor Sem Tempo”: Catarina e os irmãos choram a morte da mãe

Paixão pela tauromaquia leva Victoria Federica de Marichalar a receber prémio:

Paixão pela tauromaquia leva Victoria Federica de Marichalar a receber prémio: "É uma bonita herança que recebi da minha família"

Em “Sangue Oculto”: Teresa e Vanda quebram pacto para encontrar Beni

Em “Sangue Oculto”: Teresa e Vanda quebram pacto para encontrar Beni

Intergift, em Espanha, abriu portas com Portugal bem representado

Intergift, em Espanha, abriu portas com Portugal bem representado

Massandra 1949: uma viagem pela História das Guerras

Massandra 1949: uma viagem pela História das Guerras

Stéphanie do Mónaco, a 'princesa rebelde', celebra 58 anos

Stéphanie do Mónaco, a 'princesa rebelde', celebra 58 anos

Uma vénia ao ovo

Uma vénia ao ovo

VOLT Live: o efeito da descida dos preços dos Tesla

VOLT Live: o efeito da descida dos preços dos Tesla

Musk bloqueia conta do Twitter para testar pessoalmente um erro

Musk bloqueia conta do Twitter para testar pessoalmente um erro

Shakespeare musical no Trindade

Shakespeare musical no Trindade

M.Ou.Co, no Porto: Um hotel embalado pela música

M.Ou.Co, no Porto: Um hotel embalado pela música

Schiaparelli leva

Schiaparelli leva "O Inferno" de Dante à Semana da Alta Costura de Paris

Vender online e com pagamentos facilitados? É para já!

Vender online e com pagamentos facilitados? É para já!

Letizia recupera vestido verde de estampado 'paisley' pela sexta vez

Letizia recupera vestido verde de estampado 'paisley' pela sexta vez

Mostramos tudo com estas 20 peças transparentes

Mostramos tudo com estas 20 peças transparentes

Parecer final dá luz verde à mina de lítio em Montalegre

Parecer final dá luz verde à mina de lítio em Montalegre

Moda: Esquiar com estilo

Moda: Esquiar com estilo

Únicos os cocktails, única a sua criadora. Bem-vindos ao Uni, o novo bar de Constança Cordeiro

Únicos os cocktails, única a sua criadora. Bem-vindos ao Uni, o novo bar de Constança Cordeiro

Teams Premium: Microsoft já integra ChatGPT

Teams Premium: Microsoft já integra ChatGPT

Deputados aprovam pedidos de baixas até três dias através do SNS24

Deputados aprovam pedidos de baixas até três dias através do SNS24

Downloads cósmicos

Downloads cósmicos

Morreu jornalista da Globo Glória Maria,

Morreu jornalista da Globo Glória Maria, "uma das pessoas mais alegres"

Arcaico: Estas conservas portuguesas são 100% artesanais

Arcaico: Estas conservas portuguesas são 100% artesanais

Projeto Serra: Estas camisolas nasceram do amor à montanha

Projeto Serra: Estas camisolas nasceram do amor à montanha