Ella Jones, 65, tornou-se a primeira mulher negra a ser eleita presidente da Câmara Municipal de Ferguson, nos Estados Unidos, nesta terça-feira, 2 de junho. O momento histórico acontece quase seis anos depois de a cidade irromper em protestos na sequência da morte de Michael Brown, que apontou os holofotes nacionais e internacionais para o município e galvanizou o movimento Black Lives Matter.

Para contextualizar: localizada no estado americano do Missouri, Ferguson tem uma população de menos de 22 mil habitantes e status de cidade desde 1894. Desde então, a câmara foi comandada apenas por homens brancos, a despeito de uma população formada em quase 70% por negros. Com o resultado das eleições municipais, Jones quebrou o ciclo não só pelo seu tom de pele, mas também por ser mulher.

Esta vitória, com 54% dos votos, atraiu novamente o olhar do mundo para Ferguson, que já foi o palco principal de protestos semelhantes aos que, nos últimos dias, se espalharam pelos Estados Unidos contra o racismo e a violência policial. Em 2014, o adolescente Michael Brown, de 18 anos, foi alvejado e morto por um polícia branco, e este foi um dos casos que alanvancaram o movimento Black Lives Matter, cujo catalisador mais recente foi o assassinato do ex-segurança George Floyd sob a custódia da polícia de Minneapolis, no Minnesota. 

“A minha eleição dá esperança às pessoas”, disse Ella no dia 3 de junho, citada pelo “The New York Times”. “Toda a gente está à procura de mudanças. Toda a gente quer ter um estilo de vida melhor. Ninguém quer sair à rua, andar quarto quarteirões e temer ser alvejado; ninguém quer isso. As coisas estão a começar a mudar. Estamos a fazer mudanças”, continuou. “Eu tenho vivido na injustiça durante toda a minha existência. Não fiquei exposta a ela porque me tornei um membro da Câmara Municipal”.

Barack Obama, o ex-presidente dos Estados Unidos, escreveu sobre a vitória no Twitter. “Um lembrete da diferença que a política e o voto podem fazer para mudar quem tem o poder de transformar uma comunidade como Ferguson, com um histórico de práticas discriminatórias na aplicação da lei”. 

Moradora de Ferguson há mais de 40 anos, Ella é também pastora da Igreja Episcopal Metodista Africana, a primeira denominação protestante independente a ser fundada por pessoas negras. Em 2015, tornou-se a primeira mulher negra na Câmara Municipal. Apesar da sua postura crítica ao sistema de segurança pública e ao impacto desproporcional que este tem na comunidade da qual faz pare, na altura, não se posicionou diretamente a favor dos protestos que tomaram a cidade.

Mais recentemente, prometeu continuar as mudanças promulgadas após o homicídio Michael Brown, incluindo um decreto federal de consentimento, ou seja, um acordo juridicamente vinculativo que exige reformas no departamento de polícia. Além disso, deixou claro que é a favor das manifestações pacíficas, tendo condenado a violência registada em várias cidades americanas, numa tentativa conjunta de exigir justiça para George Floyd.

Jones sucederá James Knowles III, que é presidente da Câmara Municipal de Ferguson desde 2011 e não pôde concorrer à reeleição por causa dos limites de mandato. A candidata perdeu para Knowles em 2017, sendo que nessas eleições fez uma campanha porta a porta para se apresentar aos munícipes. Depois da derrota, revelou que muitos moradores negros lhe disseram que não acreditavam que a sua eleição fosse mudar o destino daquela comunidade e questionaram Ella sobre os progressos que tinha alcançado em dois anos como membro do Conselho da Cidade.

“Se foste oprimido durante tanto tempo, é difícil haver abertura a uma nova ideia”, afirmou. “E quando foste governado pelo medo e as pessoas dizem que a cidade vai entrar em declínio porque uma americana negra estará no comando, tende-se a ouvir a retórica e não abrir a mente a novas possibilidades”.

Palavras-chave

Relacionados

Celebridades

O discurso emocionado de Meghan sobre o racismo nos Estados Unidos

A duquesa de Sussex deixou uma mensagem aos alunos finalistas do liceu que frequentou em Los Angeles e emocionou-se falar de George Floyd e de outras vítimas de racismo na América.

Celebridades

Paulo Pascoal: "Temos de deixar de ver os negros como 'os outros'"

Falámos com o ator Paulo Pascoal sobre o significado do assassinato de George Floyd, nos Estados Unidos, e o impacto que este teve (e continua a ter) em todo o mundo.

Celebridades

Jon Legend reage a provocação racista: "A desumanização sempre foi uma forma de racismo e subjugação dos negros"

Descubra o que pensa o artista tem a dizer sobre o paparazzo que lhe chamou "macaco".

Mais no portal

Imagem de Sucesso

As regras de estilo para escolher "looks" mais frescos sem descurar a elegância

Este é o tema do novo episódio da rubrica Imagem de Sucesso.

Diz Quem Sabe

Ervilha amarela: uma nova alternativa aos alimentos de origem animal?

Um artigo de opinião assinado pela nutricionista Ana Leonor Perdigão.

Diz Quem Sabe

Tudo o que precisa de saber sobre a reabilitação oncológica

Um artigo de opinião assinado pelo médico Énio Pestana, do Hospital CUF Cascais, sobre este tipo de cuidados.

Saúde

Podcast: Sandra Gomes Silva responde às nossas questões sobre vegetarianismo

Os prós e os contras de um tipo de alimentação que leva em conta preocupações éticas e ambientais. Afinal, precisamos mesmo da carne para sermos saudáveis?

Saúde

O vegetarianismo melhora a vida sexual? Eis o que diz a Ciência

Não podemos subestimar o poder de uma dieta à base de plantas.

Mulheres Inspiradoras

Tem mesmo de conhecer estas ambientalistas portuguesas

Aqui ficam alguns exemplos de mulheres que renovam diariamente o compromisso de conservação e preservação ambiental.

Beleza

Conheça as grandes vantagens dos champôs sólidos

Preparámos também uma lista de produtos que pode incluir na sua rotina de cuidados capilares.

Nas Bancas

Como salvar as suas plantas

Na ACTIVA Verde, já em banca, os conselhos para escolher e cuidar das suas plantas.

Nas Bancas

Este casal mostra-nos como é viver "fora da rede"

Uma casa de madeira foi o início da mudança.

Nas Bancas

Receitas (de chef): desperdício zero

Sabia que está a deitar fora uma das melhores partes dos seus legumes?