João Lemos

A última vez que vi Marta Videira foi há 10 anos, numa clínica veterinária em Lisboa. Lembro-me bem dessa ocasião porque foram suas as palavras que me confortaram num momento muito difícil, estava a despedir-me de uma gatinha com cancro que tinha feito parte da minha vida durante doze anos. Portanto, quando soube, em 2013, que tinha assumido a direção clínica da Casa dos Animais em Lisboa, fiquei supercontente pois sabia que era a pessoa certa para o cargo. Para quem não conhece, a Casa dos Animais, que fica em Monsanto, é o centro de recolha dos animais – canil e gatil – que pertence à Câmara Municipal de Lisboa. É, no fundo, o local que tem por missão fazer a recolha, o alojamento, os tratamentos e a preparação de animais, que foram abandonados ou não têm dono, para adoção. Infelizmente, todos os anos são abandonados milhares de animais, como se de uma t-shirt velha e esburacada se tratasse. Apesar de termos evoluído muito, há comportamentos incompreensíveis e desumanos que ainda se mantêm. “Nós temos entradas diárias de animais, mas infelizmente não temos saídas diárias. Ainda ontem deixaram à porta uma cadelinha amorosa presa por uma trela. Isto é constante, e é muito difícil arranjar espaço para todos. Números exatos dos animais que temos aqui não sei, muda diariamente, mas cães, o normal é termos entre 150-170. Gatos é mais flutuante, de maio a outubro é normal termos 130-150, sem contar com os 80 gatos das nossas colónias que estão lá fora, todos esterilizados. Nos últimos anos houve uma grande evolução na forma como se vê um animal, não como um objeto, mas como um ser senciente, com estatuto jurídico, e todas essas mudanças também se refletiram na legislação – hoje já não é permitido que os canis e gatis abatam animais como forma de controlo populacional – e na sociedade, temos mais pessoas preocupadas com a causa animal, mas ainda há um longo caminho a percorrer.”

De coração cheio

Antes de aceitar o cargo como diretora clínica na Casa dos Animais de Lisboa, Marta tinha já 15 anos de prática no setor privado, “em que as pessoas nos procuram com o seu animal, de uma forma geral, muito bem tratado, quase como um filho, para usarmos os melhores recursos disponíveis para melhorar a sua saúde. E depois vim para aqui, para uma área completamente oposta, em que o animal não tem ninguém e conta só connosco para o melhorarmos. É muito trabalhoso, mas extremamente gratificante, não trocaria. Os animais mais desfavorecidos, os que não têm ninguém, tornaram-se a minha paixão. Não há nada melhor que sermos recebidos todos os dias com esta alegria”, diz-nos apontando para Riza e Caramelo, dois cães que tiraram a foto com a veterinária e andam com Marta para todo o lado. “Estes dois estão sempre aos meus pés, são mais meus que os lá de casa. Riza foi recolhida da rua com a ninhada, foi ela que nos escolheu, abria as portas e vinha ter connosco. O Caramelo está cá desde 2014, foi recolhido gravemente acidentado. Conseguir reabilitar um animal que nos chega em situação limite, conseguir pô-lo bem de saúde, física e psicologicamente, colocá-los para adoção e depois receber fotos e vídeos dos adotantes a mostrar como eles estão felizes, na praia, no sofá, é tão compensador! Até nos vêm lágrimas aos olhos porque sabemos que aqueles animais passaram por tanto até chegarem a nós. Fazemos o melhor possível por eles, mas não deixamos de ser um canil, é um sítio de densidade, não conseguimos canalizar o nível de afeto que precisam, e alguns passam aqui anos! Mas é uma área psicologicamente muito dura e emocionalmente muito exigente, pesada, porque somos confrontados quase diariamente com situações graves do ponto de vista social, o animal que entra no canil tem quase sempre associada uma história muito triste.”

“Todos os dias há situações que me chocam, se isso deixar de acontecer é porque não estou a fazer bem o meu papel, que é de mudar, melhorar.”

Os piores dias

Há situações difíceis e há as que são devastadoras, “quando são descobertos acumuladores. Uma coisa é um senhor que faleceu e tem um cão em casa, outra coisa é alguém que foi internado num lar e tem 33 gatos em casa ou, como aconteceu há pouco tempo, quem tem 17 cães e 15 gatos em duas assoalhadas. De repente, temos de alojar todos aqueles animais que normalmente vêm com problemas comportamentais, muito ansiosos, e temos de os reabilitar física e psicologicamente, esterilizar de forma maciça porque as fêmeas vêm quase todas gestantes. É um sufoco, esses dias são mesmo muito dramáticos”.

Nunca desligar

Sendo um trabalho tão absorvente e sem horário fixo, a veterinária confessa que o problema é desligar, mesmo depois de ir para casa há sempre emails a responder, decisões que têm de ser tomadas a desoras porque a Casa dos Animais de Lisboa está aberta 24h/7. “Às vezes temos situações urgentes de madrugada com animais acidentados e temos de vir para cá. É difícil equilibrar, é preciso ter estrutura mas eu acho que tenho essa estrutura. Paga-se um preço e eu aceito esse preço porque tem as suas compensações, que não são financeiras obviamente, mas há outras coisas que ganhei, como esta companhia [aponta para Riza e Caramelo e ri-se], ver animais a recuperar que estavam muito mal, trabalhar neste sítio no meio de tanto arvoredo, com trabalhadores dedicados e voluntários incansáveis.” Entretanto, passa por nós uma das filhas de Marta a passear a cadelinha abandonada no dia anterior. Seguirá ela os passos da mãe? “As minhas filhas adoram animais, gostam muito de cá vir e trabalham bastante, dão banho aos cães, passeiam-nos, mas acho que não querem ser veterinárias. São muito novas mas já não têm a visão romântica que muitas crianças têm deste trabalho, elas conhecem a realidade.” Nessa realidade estão os animais que vivem até ao fim da vida em abrigos, que não se consegue recuperar, física ou psicologicamente. “Os cães, mesmo que venham muito debilitados psicologicamente, conseguem criar uma ligação com os tratadores ou voluntários, voltam a ter alguma esperança, digamos assim, agora há gatos, uma minoria é certo, que morrem de desgosto. Gatos de casa, muito acarinhados, que entram num mecanismo de tristeza, anorexia, e mesmo com festinhas, colo, estimulação de apetite, soro, alimentação forçada, deixam-se ir, desistem, e é duríssimo para todos porque tentamos de tudo.”

“Reabilitar um animal física e psicologicamente e depois conseguir que ele seja adotado e ver fotos dele feliz é muito compensador!”

Um membro da família

Na Casa dos Animais, o período da pandemia, sobretudo em 2020, foi favorável à adoção de animais, “muitas pessoas tinham o projeto de adotar e como houve um abrandamento da vida, concretizaram-no e foram adoções que correram bem. Agora voltamos a ter quem, por agravamento de condições financeiras, está a dispensá-los. Eu gostava que essas pessoas não se precipitassem, que soubessem que podem pedir ajuda, com a alimentação por exemplo. Quando pensarem em adotar um animal, essa decisão tem de ser bem ponderada, gostava que o vissem como um membro da família com todas as exigências que isso tem, o seu espaço em casa, as despesas, mas também pensem nas imensas vantagens que é ter um canal de amor e carinho sem fim. A vida às vezes prega-nos partidas, mas não se precipitem a entregar o animal. Deem tempo para se encontrar a melhor solução para todos. As consequências do abandono são muito difíceis, voltar a estabelecer os canais de confiança é um trabalho árduo, e temos muito poucos recursos. E quem adotar um animal de um canil, que tem um histórico que sabe Deus o que ele passou, tem de ter paciência e dedicação para dar tempo de adaptação, porque eles adaptam-se sempre, mas depende de nós darmos essa abertura”.

Palavras-chave

Mais no portal

Mais Notícias

Agenda pais e filhos para dezembro

Agenda pais e filhos para dezembro

Palácio de Buckingham afasta funcionária após ato racista durante evento da rainha Camilla

Palácio de Buckingham afasta funcionária após ato racista durante evento da rainha Camilla

Lancia ‘renasce’ como marca 100% elétrica

Lancia ‘renasce’ como marca 100% elétrica

O centenário de Saramago

O centenário de Saramago

JL 1360

JL 1360

Calendários do Advento: 25 sugestões para ir descobrindo até ao Natal

Calendários do Advento: 25 sugestões para ir descobrindo até ao Natal

The Devil In Me em análise: Hotel dos horrores

The Devil In Me em análise: Hotel dos horrores

VOLT Live: Reparação de baterias em carros elétricos

VOLT Live: Reparação de baterias em carros elétricos

Primeiro contacto: Toyota bZ4X, o elétrico com garantia de um milhão de quilómetros para a bateria

Primeiro contacto: Toyota bZ4X, o elétrico com garantia de um milhão de quilómetros para a bateria

Esta Iguana move-se no universo das novelas gráficas

Esta Iguana move-se no universo das novelas gráficas

Sara Matos apresenta Júlia, a trigémea de “Sangue Oculto”

Sara Matos apresenta Júlia, a trigémea de “Sangue Oculto”

Georgina Rodríguez partilha fotografias com os filhos à chegada ao Qatar

Georgina Rodríguez partilha fotografias com os filhos à chegada ao Qatar

"Sangue Oculto": Carolina assume a identidade de Beni

CORREÇÃO

CORREÇÃO "Casa aberta" disponível para vacinação de pessoas acima dos 60 anos

EXAME 464 - Dezembro de 2022

EXAME 464 - Dezembro de 2022

Porque é que numa maratona se correm exatamente 42,195 quilómetros?

Porque é que numa maratona se correm exatamente 42,195 quilómetros?

Atitude, arrojo e inovação: Recorde os

Atitude, arrojo e inovação: Recorde os "looks" de Letizia na entrega dos prémios Francisco Cerecedo

Eduardo Carpinteiro Albino e José Carlos Figueiredo vencem Campeonato de Portugal de Novas Energias

Eduardo Carpinteiro Albino e José Carlos Figueiredo vencem Campeonato de Portugal de Novas Energias

Esperança de vida aos 65 anos estimada em 19,30 anos no último triénio

Esperança de vida aos 65 anos estimada em 19,30 anos no último triénio

Exodus Fest: Aveiro é a capital da fotografia e do vídeo de viagens durante três dias

Exodus Fest: Aveiro é a capital da fotografia e do vídeo de viagens durante três dias

Um Calendário do Advento cheio de ideias e presentes!

Um Calendário do Advento cheio de ideias e presentes!

Manifestação no Campus de Justiça em solidariedade com ativistas em julgamento

Manifestação no Campus de Justiça em solidariedade com ativistas em julgamento

Joana Freitas restaura casa de banho preferida dos seguidores com Cinacryl

Joana Freitas restaura casa de banho preferida dos seguidores com Cinacryl

Raimundo apela à mobilização nas ruas para reconquistar direitos que

Raimundo apela à mobilização nas ruas para reconquistar direitos que "não caem no colo"

Seixo by Vasco Coelho Santos: Cozinha do dia a dia no novo restaurante do Douro

Seixo by Vasco Coelho Santos: Cozinha do dia a dia no novo restaurante do Douro

Medicamento atrasou em 27% o declínio cognitivo em doentes com Alzheimer. Efeitos secundários graves são preocupação

Medicamento atrasou em 27% o declínio cognitivo em doentes com Alzheimer. Efeitos secundários graves são preocupação

Marta Melro em lágrimas com mensagem de Vintém

Marta Melro em lágrimas com mensagem de Vintém

"Casa aberta" disponível para vacinação de pessoas acima dos 60 anos

Truques para estudares melhor

Truques para estudares melhor

Saiba como escolher a máquina de secar roupa

Saiba como escolher a máquina de secar roupa

JL 1357

JL 1357

Tendências: couro

Tendências: couro

O meu filho é sobredotado: vantagem ou problema?

O meu filho é sobredotado: vantagem ou problema?

Com a iminente partida de William e Kate para Boston, recorde a visita da rainha Isabel II à cidade norte-americana em 1976

Com a iminente partida de William e Kate para Boston, recorde a visita da rainha Isabel II à cidade norte-americana em 1976

Bolsas europeias em alta após discurso do presidente da Fed

Bolsas europeias em alta após discurso do presidente da Fed

Mesa com tecnologia inovadora foi premiada

Mesa com tecnologia inovadora foi premiada

Meteorito massivo esconde dois minerais nunca vistos na Terra

Meteorito massivo esconde dois minerais nunca vistos na Terra

Volta a Portugal em design nos dois apartamentos da Santo Infante

Volta a Portugal em design nos dois apartamentos da Santo Infante

Google paga a influencers para promoverem smartphone Pixel que nunca usaram

Google paga a influencers para promoverem smartphone Pixel que nunca usaram

Mais ricos de Portugal estão ainda mais ricos

Mais ricos de Portugal estão ainda mais ricos

Dez camisolas para aquecer o Natal

Dez camisolas para aquecer o Natal

Girl Talk: este País não é para nós

Girl Talk: este País não é para nós