Ser criança é sermos todos nós. Ou pelo menos, é o que deveríamos ser. Recordo Saint Exupéry que dizia que os adultos são aborrecidos – e são aborrecidos, precisamente porque se esqueceram de que um dia foram crianças.

Não acredito em roupa de menino ou de menina. Não acredito na atribuição do rosa e do azul. Não creio nas secções de livros para as raparigas e nas secções de livros para os rapazes. Nem nas bonecas para elas. E nas bolas para eles. E acho, acima de tudo, que nenhum menino se deve sentir intimidado por pegar num livro de princesas. Assim como defendo que nenhuma menina deva pensar duas vezes antes de desistir do ballet para rumar ao futebol.

Ser criança é ser uma tela branca. Tela essa onde os adultos – os chatos – pintam os seus sonhos, as suas verdades, os seus dogmas. E tantas vezes se esquecem de pintar a liberdade. A igualde. E o respeito. Todos estes últimos três, tão mais importantes, que os três primeiros.

Neste dia é impossível não recordar uma viagem que fiz ao Egito, na qual percebi que ser criança era bem diferente do que esta privilegiada noção ocidental que temos. Por lá, meninos e meninas pedem por comida. Não é dinheiro que eles querem. É sim matar a fome. Vi-@s encardid@s como se nunca tivessem sentido água na pele. Magr@s como se estivessem à mercê de cair para o lado. E o pior disto tudo – estavam sozinhos.

Aventurei-me pelo Egito sem guias turísticos ou viagens de resort. Fiquei num hotel, que se dizia bom, onde crianças lavavam os elevadores e as escadas. Onde a exploração de trabalho infantil é uma realidade absoluta (e obsoleta) à qual ninguém vira a cara – porque é “normal”. Perdoem-me; não é normal. É DEVER da criança brincar. Não ter fome.

Poder escolher entre vestir rosa e azul. Ou verde, ou amarelo. Porque as cores não trazem “pilinhas ou pipis”. Fomos nós, os crescidos – os chatos – que pintamos a tela dessa maneira. Ser criança é querer sonhar com um amanhã sem medo. É não temer por ser negro ou branco. Amarelo ou vermelho. É poder sentir amor livremente sem se arriscar a ficar sem teto. Ser criança É ter na mão o poder de mudar o mundo. E nós, os adultos, os chatos, temos tanto a aprender com el@s. Porque o maior direito e maior dever da criança é… Ser criança.

Feliz dia da Criança.

Palavras-chave

Assine a ACTIVA

Deixe-se inspirar, assine a ACTIVA, na sua versão em papel ou digital, a partir de €2,00 a edição. Saiba tudo aqui ASSINAR

Relacionados

No Gender

Estamos em desconfinamento total

A rubrica No Gender by Mário de Carvalho está de volta.

No Gender

Mário de Carvalho apresenta "Odete" - uma coleção 100% No Gender

Conheça o significado deste momento, nas palavras do próprio stylist.

No Gender

Mário de Carvalho responde às perguntas das leitoras da ACTIVA

Conheça melhor o stylist responsável pela rubrica No Gender.

Mais no portal

Moda

Mafalda Carvalho mostra os desfiles (e as emoções) do último dia de Portugal Fashion

Veja tudo o que aconteceu na Alfândega do Porto.

Lifestyle

A Pizzaria Luzzo é uma das pérolas da Graça

Da comida ao ambiente, tudo é pensado para proporcionar refeições (e momentos) super agradáveis.

Lifestyle

Esta câmara trendy foi concebida para tirar selfies

Ela permite tirar, imprimir e partilhar fotografias em movimento. Um sonho para a Geração Z.

Beleza

5 cortes de cabelo clássicos que nunca saem de moda

Em equipa que ganha não se mexe.

Moda

Bailarinas: como usar estes sapatos clássicos de formas contemporâneas

Inspire-se nestas estrelas das redes sociais para adicionar estes sapatos versáteis e elegantes aos seus próximos visuais de outono.

Saúde

Cuidados a ter com a saúde íntima feminina quando as temperaturas descem

Eis as dicas de um ginecologista e obstetra dos hábitos a adotar nesta altura do ano.

Comportamento

Advogada elege as 5 razões mais comuns para o divórcio

Curiosamente, a traição não é uma delas.

Moda

Be The Change: tecidos reciclados e produção responsável com o selo de qualidade Tezenis

Uma coleção de ‘underwear’ bonita, sustentável e mais amiga do ambiente.

Diz Quem Sabe

Pele sensível e pele sensibilizada: entenda as diferenças

E saiba quais os cuidados a ter.

Saúde

Como os cuidados para bebés podem aliar-se à sustentabilidade

Opções para os pais que procuram produtos que causem o menor impacto possível no meio ambiente.

Saúde

A dor crónica não é um problema individual – é um problema de saúde pública

Um artigo de opinião assinado por um grupo de especialistas da Escola de Medicina da Universidade do Minho, a propósito do Dia Nacional da Luta Contra a Dor (15 de outubro).