@amsiro.jpg

A crónica de hoje será facilmente simplificada com uma premissa tão fácil de entender, recorrendo ao nosso raciocínio lógico: a grande diferença entre as pessoas de sucesso e aquelas que não o conseguem atingir está na entrada em ação. Quando falo em “entrar em ação”, refiro-me a simplesmente: fazer alguma coisa.

A nossa mente faz de tudo para nos manter na zona de conforto, isso já sabemos. Passar do “saber” para o “fazer” depende de uma simples tomada de decisão. E neste circuito tão simples, mas tão complicado, o sucesso está em não permitir que a nossa cabeça caia na tentação de pensar em demasia. Se isso acontecer, muito provavelmente não sairemos do mesmo sítio.

O facto é que “querer” é meio caminho andado para se conseguir chegar ao objetivo, principalmente quando esse “querer” está conectado com um grande porquê (valores e razões pessoais e profissionais fortes que nos levem a querer atingir determinado objetivo).

No entanto, devemos agir de imediato. Devemos dar um pequeno passo, de forma a mostrar a nós mesmas (principalmente) e às outras pessoas (se isso for importante) que estamos no caminho certo e que estamos a fazer alguma coisa por nós.

A inércia pode ser justificada de muitas formas, sendo que todas as desculpas são válidas para enganar o nosso cérebro e, acima de tudo, para nos mantermos exatamente onde estamos. A principal razão poderá ser o medo do incerto e, muitas vezes, o medo é simplesmente algo que não chega a acontecer. Ao sofrermos por antecipação, estamos a alimentar o fosso entre o querer e o ter. Simples. Outras razões também o podem justificar como, por exemplo, as nossas crenças, as nossas verdades (que são só nossas e que podem ser questionadas quando e como nos apetecer).

E como lidar com isto tudo? Entrando em ação. Não tem outra forma. Ninguém vai fazer por nós e, mesmo que alguém nos dê a mão (sim, essas pessoas também existem!), teremos de ser nós a dar o primeiro passo.

Deseja mudar de emprego? Faça alguma coisa por isso, trace um plano de ação. Dê pequenos passos todos os dias. Deseja criar um negócio próprio? Comece a colocar as ideias no papel, a fazer contactos, a verificar de que forma esse negócio poderá acontecer. Tem medo do incerto? Faça qualquer coisa para mostrar que está no bom caminho. Não se esqueça que encontramos sempre aquilo em que nos focamos. Por isso, foque-se em encontrar soluções e não problemas.

Algumas dicas? Então aqui estão elas:

  1. Defina objetivos/metas claras, sejam elas a curto, médio ou longo prazo. E não se esqueça de que os nossos objetivos deverão estar sempre fortemente conectados com os nossos valores. Só desta forma conseguiremos ir buscar motivação extra nos tempos mais desafiantes, e manter o foco rumo a novos resultados. Se os nossos objetivos não estiverem conectados com os nossos valores, será muito mais desafiante.
  2. No seguimento do que referi no ponto anterior, aproveito para questionar: tem consciência real da sua hierarquia de valores na vida? Se não, pense neste assunto e defina o que realmente é importante para si.
  3. Na dúvida, faça! Que este princípio seja colocado em prática sempre que necessário.
  4. Mais vale feito do que perfeito. Não espere pela perfeição para entrar em ação.
  5. Não espere mais do que 5 segundos para entrar em ação. Caso contrário, é bem provável que a sua mente mais “antiga” comece a procurar todas as justificações possíveis que a façam ficar exatamente onde está.

Recordar que ninguém pode “tomar a pílula milagrosa” por si. Tem de ser você a tomar a decisão e a dar os passos necessários. Entre em ação! E conte-me tudo.

Próximas acções de formação:

Programa Intensivo de Liderança Feminina (turma presencial), em Alcobaça, dia 2 de Julho. Vagas limitadas.

Palavras-chave

Assine a ACTIVA e receba uma fabulosa OFERTA da LIERAC. ASSINE AQUI

Relacionados

Mais no portal