activa

Perfil

Saúde e Beleza

7 coisas que os dermatologistas nunca usariam

Ou recomendariam aos seus pacientes.

Activa.pt

MACBOOK PRO

Se a sua pele estiver em apuros, o mais natural é recorrer a um dermatologista para dicas e guiamento. Mas alguma vez perguntou ao seu o que ele faz para proteger a própria pele?

Afinal de contas, muitos destes especialistas têm a pele resplandecente que tanto cobiçamos. Com isso em mente, o Huffpost falou com alguns médicos sobre o que usam e, mais importante ainda, aquilo que não usam.

Veja, abaixo, quais são os produtos a evitar (de forma genérica) e não se esqueça: para uma rotina personalizada, procure um especialista.

1. Protetor solar em spray

skynesher

Podem parecer uma solução prática no que diz respeito a aplicar loções, mas não são os mais populares entre os profissionais. A Dra. Rachel Nazarian, do Schweiger Dermatology Group em Nova Iorque, diz que nunca aplicaria protetor solar em spray no seu rosto ou corpo porque, na sua opinião profissional, os sprays não fornecem uma camada espessa o suficiente para garantir o nível SPF que vem escrito na embalagem.

"Metade dele vai para o ar, quase nada fica na pele. Está a inalar metade dele. Simplesmente não é a forma certa de conseguir uma boa cobertura," disse, sublinhando que existem algumas exceções. "Se tem uma criança que não para quieta e está desesperada, Ok. Mas nenhum dermatologista que se leve a sério usaria protetor solar em spray."

2. Óleos bronzeadores

Giphy

Temos más notícias para quem adora 'tomar um banho de óleo' e apanhar sol antes de mergulhar no mar. O Dr. Kenneth Mark, dermatologista cosmético certificado, diz que nunca usaria este tipo de produtos, que contêm um baixo nível de SPF.

"Em primeiro lugar, não são bons protetores e, além disso, podem entupir os poros," explica.

3. Parabenos

D.R.

Os parabenos são os conservantes usados nos produtos de beleza, que ajudam a limitar o desenvolvimento de bactérias, bolor e fungos. Os mais comuns são os parabenos methyl, ethyl, propyl e butyl, muitas vezes encontrados em cremes hidratantes e antienvelhecimento, e em bases.

Com o passar dos anos, os parabenos passaram a ser vistos como 'vilões' e, apesar de não haver provas fortes de que são extremamente prejudiciais para a saúde, os dermatologistas consultados aconselham-nos a mantermo-nos afastados deles.

"É certamente um ingrediente tabu, portanto penso: 'para quê arriscar?'" disse o Dr. Mark. "Li um artigo sobre uma pesquisa que foi feita recentemente, e os resultados mostraram que há potencial de acelerarem o envelhecimento da pele, acrescentou a Dra. Nazarian. "Não arriscaria, nem que fosse uma quantidade pequena. Não uso parabenos."

O Dr. Samer Jaber, do Washington Square Dermatology em Nova Iorque, tem uma abordagem mais relaxada. Ainda assim, evita os parabenos e acredita que é melhor fazê-lo e encontrar um produto "paraben free".

4. Sabonetes de hotel

D.R.

Há quem não pense duas vezes em relação a usar os produtos disponibilizados pelos hotéis, mas eles podem não ser os melhores para a pele. Especialmente no que diz respeito a usá-los no rosto.

"Tenho cuidado nos hotéis," afirma o Dr. Jaber. "Nunca uso os sabonetes porque eles deixam a pele seca, uma vez que têm muita fragrância. Levo sempre o meu próprio produto."

Os dermatologistas consultados concordam que os produtos com fragrâncias, no geral, podem irritar a pele e dizem que evitam produtos com fragrâncias acrescentadas.

"Nada de bom surge de acrescentar fragrância ao seu produto de limpeza," diz a Dra. Nazarian.

5. Esfoliantes

MishaBeliy

Qualquer produto que contenha pequenas bolinhas, ou quais quer partículas esfoliantes levam um 'não' da Dra. Nazarian.

"A esfoliação física ou mecânica é muito má para a pele," revela. "Gosto de produtos que esfoliam quimicamente de forma suave, ou algo como o ácido ácido glicólico, que remove suavemente as células, ao contrário dos esfoliantes manuais, que são algo de que ninguém precisa."

A especialista também não é fã das populares escovas de limpeza e não as recomenda a nenhum dos seus pacientes.

    newsletter

    Receba GRÁTIS no seu email as notícias que selecionamos para si!