iStock_17709445_SMALL.jpg

Photographer: Ruslan Dashinsky

Afinal, como vou saber que chegou a hora do parto? Esta é uma das questões que todas as grávidas põem. Clinicamente, o trabalho de parto começa quando se iniciam as contrações uterinas dolorosas, promovendo o apagamento e dilatação do colo uterino, mas na prática há vários sinais que podem indicar que a hora pode estar para breve. No entanto, é importante saber que os sintomas variam de mulher para mulher e até há casos em que não se manifestam. Aqui ficam alguns dos mais comuns.

Contrações uterinas
O principal sintoma e também o mais óbvio. As contrações regulares e dolorosas indicam que a hora chegou. Começam por se manifestar regularmente a cada 20/30 minutos e com uma duração de 30/60 segundos. A este período inicial chama-se fase latente, em que as contrações moderadas dão início ao processo de dilatação. Pode demorar até 8 horas, ou menos para quem já teve filhos. O ideal é caminhar um pouco para aumentar as contrações e passar rapidamente à fase seguinte. E quando é que tem mesmo de ir para o hospital? Quando percebe que as contrações se tornam mais frequentes (de 15 em 15 minutos), longas (cerca de um minuto) e dolorosas, acompanhadas de uma crescente pressão intra-uterina.
Mas atenção, que existem falsas contrações, as chamadas Braxton Hicks, que surgem nas últimas semanas de gravidez, são irregulares e raramente se sentem mais do que duas vezes por hora.

Romperam-se as águas
Quase todas as grávidas já tiveram pesadelos com este momento e imaginaram que ele podia acontecer nos locais mais inconvenientes. Mas a verdade é que na maioria dos casos a grávida entra em trabalho de parto e só depois existe a rotura da bolsa de águas. O contrário também pode acontecer, as águas podem rebentar antes do trabalho de parto começar, o que deve acontecer nas 12 horas seguintes. Caso contrário, o parto terá de ser induzido. A rotura da bolsa de água raramente passa despercebida, a não ser que a perda seja mesmo muito discreta.

Muco fora do normal
Durante a gravidez forma-se um ‘tampão’ de muco no canal cervical, que faz a ligação entre a cavidade uterina e a vagina, chamado rolhão mucoso. Na prática, é uma forma de proteger o bebé de infeções. Assim que o corpo se começa a preparar para o parto, o colo do útero dilata e provoca a perda do rolhão mucoso. Este muco tem um aspeto pegajoso e espesso. Não tem cheiro, é acastanhado ou rosado e pode sair de uma vez só ou aos poucos, juntamente com vestígios de sangue. Perder o rolhão mucoso, por si só, não indica que está em trabalho de parto, mas significa ele está mais próximo.

Alterações no trânsito intestinal
Na primeira fase do trabalho de parto, o corpo começa a libertar prostaglandinas, que vão contribuir para o encurtamento e dilatação do colo do útero. Estas substâncias, que ajudam nesta fase, também estimulam os intestinos, o que pode provocar idas frequentes à casa de banho e até mesmo diarreia. Mas se for o seu único sintoma, não vá a correr para o hospital, pois o trabalho de parto propriamento dito ainda não começou.

O bebé mexe-se menos
Durante a gravidez é importante controlar os movimentos do bebé. São considerados normais os movimentos fetais iguais ou superiores a 10 em 24 horas. Mas quando no final da gestação, à medida que vai tendo menos espaço e quando se coloca na posição cefálica, é natural que mexa menos.

Perda de sangue
A perda de sangue na fase final da gravidez (e em qualquer fase!) constitui um sinal de alarme, pelo que deve sempre consultar o seu médico. Pode indicar que entrou em trabalho de parto, mas pode ter outras causas, como descolamento da placenta. Por outro lado, se a perda de sangue for pequena e estiver associada à saída do rolhão mucoso, não há motivo para alarme.

Desconforto pélvico
A sensação ou desconforto pélvico quando anda poderá ser indicativo de que o parto está para breve. Isto acontece porque o bebé começa a descer e a cabeça exerce pressão sobre o colo uterino, provocando a sua dilatação progressiva. No entanto, há grávidas que dizem sentir este desconforto não apenas na fase final da gravidez, o que pode estar associado com o crescimento do útero.

Fontes: Joana Amaral e Carla Nunes (obstetras)

Palavras-chave

Relacionados

Saúde

Assumir uma Depressão Pós-Parto: dúvidas, medos e vergonhas

A semana passada uma leitora do blog veio falar comigo através do facebook.

Beleza

Filipa Fonseca Silva: O lado menos cor-de-rosa da maternidade

É publicitária, mãe de Tiago e Carlota, blogger (Crónicas de uma Fashion Victim) e publicou um livro, ‘Coisas que uma mãe descobre (e ninguém fala)’, no qual desabafa, na primeira pessoa e com muito humor, sobre o mundo da gravidez e a da maternidade, nas partes menos ‘cor-de-rosa’ que descobriu à sua custa.

Saúde

Baby blues e Depressão Pós-parto: Duas realidades (muito) diferentes.

A verdade é que ter um bebé é por si só stressante! Não interessa o quanto se desejou este momento ou o quanto se ama esse filho.

Beleza

Gravidez e parto: como é que uma doula pode ajudar?

A presença de uma doula durante o trabalho de parto ajuda a reduzir a taxa de cesarianas. É o que dizem os obstetras e ginecologistas norte-americanos. Saiba o que é uma doula

Beleza

Estudo: 1 em cada 6 casais portugueses sofre de infertilidade

A Sociedade Portuguesa de Medicina de Reprodução (SPMR) decidiu fazer um estudo sobre a Fertilidade dos Portugueses

Mais no portal

Beauty Spot

As melhores técnicas e produtos para fazer sardas falsas

A rubrica Beauty Spot desta semana é dedicada a esta tendência divertida, que combina na perfeição com visuais mais naturais de maquilhagem.

É só uma sugestão

Falar de Livros: "D.A.D. - Desempregado, Artista, Dona de Casa" é um retrato humorista da vida de um pai

Um livro de Alexandre Esgaio publicado pela Suma de Letras.

Moda

Olivia Wilde elege sobretudo acessível para se proteger do frio em Londres

Não sabíamos que precisávamos de um sobretudo azul... até vermos um dos visuais mais recentes da atriz.

Comportamento

3 formas de manter a conta bancária emocional do seu relacionamento com saldo positivo

Este conceito está diretamente relacionado com a forma como os casais gerem discussões de conflito.

#ActivaEmCasa

Braços e pernas: cinco exercícios para maior definição muscular

Aqui fica mais um circuito de treino completamente gratuito, preparado e exemplificado por Susana Carromeu, coach do CrossFit Cais.

Beleza

Cabelo: Os produtos que temos de experimentar

Conhece as novidades mais recentes? Para fortalecer, dar brilhou ou obter o styling perfeito.

Moda

Inspire-se no que há de novo nestas marcas de moda populares

A nova estação traz muitas novidades e estas marcas dão o mote para o que vamos querer usar nos dias quentes.

Exclusivo
Beleza

Bárbara Corby: "Considero que a beleza vem de dentro"

A influencer é o novo rosto da Vichy em Portugal, depois de ter sido embaixadora digita da marca durante algum tempo. Em conversa com a ACTIVA falou sobre o novo papel e a a relação que tem com o mundo da beleza.

Imagem de Sucesso

Como usar o cinto para modernizar looks e valorizar a silhueta

Quer seja fino, grosso, de metal ou de couro, o cinto pode ser um grande aliado para no que toca ao styling.

Mulheres Inspiradoras

Joana Pessoa: um novo fado

É fadista desde os 15 anos, mas isso está longe de resumir a sua vida. Estivemos à conversa sobre escolhas, caminhos, filhos, divórcio, destino, amor, velhice, para voltarmos ao fado e fecharmos o círculo. Levei-lhe quase quatro horas de vida. É o que dá conversar com uma das mulheres mais interessantes que já entrevistei.

Comportamento

Existem quatro tipos de vinculação num relacionamento - saiba qual é o seu

Este tipo de apego é construído na infância e pode acabar por ter repercussões na vida adulta.