@maggie_mccormack

Se o seu filho balança ou move ritmicamente uma parte do corpo antes de adormecer, isso pode ser um sinal do distúrbio de movimento rítmico relacionado com o sono (DMR).

O DMR envolve movimentos corporais repetidos e costuma manifestar-se nos primeiros anos de vida, sendo mais prevalente entre os meninos, diz um artigo de revisão da Sociedade Brasileira de Pediatria. Os sintomas tendem a desaparecer com o passar do tempo — regra geral, ficam resolvidos entre os três e os quatro anos —, mas, em casos raros, podem persistir na idade adulta.

A American Academy of Sleep Medicine (AASM) explica que os episódios acontecem quando a criança está a adormecer ou durante qualquer estágio do sono. Além disso, também podem ocorrer durante atividades silenciosas, quando ela está acordada, por exemplo, a ouvir música ou a andar de carro. Já as ações são rápidas, com um ou dois movimentos a cada um ou dois segundos. Um episódio pode durar até 15 minutos e as crianças com idade suficiente para falar, de modo geral, não se lembram dele ao despertar.

Existem vários tipos de DMR, incluindo:

  • Balançar o corpo. A criança pode balançar o corpo todo apoiada nas mãos e nos joelhos. Ela também pode balançar a parte superior do corpo quando está sentada;
  • Bater com a cabeça. Isto costuma acontecer quando a criança está deitada de barriga para baixo. Ela levanta a cabeça ou toda a parte superior do corpo e, em seguida, bate a cabeça com força na almofada ou no colchão. Esta ação é repetida e também pode ocorrer na posição sentada;
  • Movimentos laterais com a cabeça. A cabeça é abanada de um lado para o outro, regra geral, quando a criança está deitada de costas.

As formas de movimento rítmico menos comuns incluem o seguinte:

  • Abanar o corpo
  • Bater com as pernas
  • Balançar as pernas

Os movimentos rítmicos só são diagnosticados como um distúrbio se existirem consequências associadas aos eventos como, por exemplo, quando as ações prejudicam gravemente a criança ou perturbam muito o sono da mesma. Caso tenha dúvidas, procure um pediatra.

Nos adultos, pode ser síndrome das pernas inquietas?

Depende. Este problema é crónico e pode dificultar o sono dos pacientes. A síndrome das pernas inquietas caracteriza-se “por sensações desconfortáveis nos membros inferiores, que ocorrem mais ao final do dia e à noite, sobretudo na cama”, explica o Dr. Alexandre Mendes, neurologista no Hospital Lusíadas Porto e médico da Consulta de Doença do Parkinson e outras doenças do movimento, no site oficial do grupo de saúde. 

As sensações, refere o especialista, “surgem em repouso” e “forçam a pessoa a mover os membros inferiores para obter alívio”. Quem sofre da síndrome das pernas inquietas pode descrever vários tipos de sensações que nascem no interior destes membros: latejamento, dor, comichão e até uma sensação elétrica. Estes sintomas vão-se intensificando e só com o movimento é que se consegue sentir algum alívio.

Já nos casos de distúrbio de movimento rítmico relacionado com o sono, os movimentos constituem uma forma de a pessoa se acalmar para facilitar o sono, não havendo uma sensação desconfortável nas pernas, nos braços ou em ambos os membros, quando se está sentado ou deitado, e a que se associa uma vontade irresistível de os mover. 

Palavras-chave

Assine a ACTIVA

Deixe-se inspirar, assine a ACTIVA, na sua versão em papel ou digital, a partir de €2,00 a edição. Saiba tudo aqui ASSINAR

Mais no portal

Moda

As 12 peças de vestuário Parfois que vai querer usar este outono

Desde coletes a casacos.

Saúde

7 sinais físicos que indicam que está mais stressado do que pensa

Esteja atento ao que o seu corpo lhe diz.

Saúde

A aparência das palmas das mãos pode indicar se tem cancro

Esteja atenta.

Celebridades

Médico legista afirma que Gabby Petito foi assassinada

As autoridades já confirmaram que o corpo encontrado pertence à blogger.

Lifestyle

Quer passar umas férias na casa de Winnie the Pooh?

Uma casa inspirada no Winnie the Pooh, da Disney, no Bosque dos Cem Acres, disponível no Airbnb

Moda

10 casacos para usar na próxima estação

Conheça estas sugestões de diferentes estilos.

Saúde

Os bebés devem ou não usar sapatos?

Veja a explicação de um ortopedista.

Celebridades

Morreu o ator que deu vida a Stanford Blatch, em "O Sexo e a Cidade"

Willie Garson tinha 57 anos.

Comportamento

Diferenças comuns que podem colocar a sua relação em perigo

De acordo com uma psicóloga.

Lifestyle

“Y: O Último Homem” estreia hoje no Disney+

Um drama de 10 episódios baseado na banda desenhada da DC Comics.